Infância portuguesa entre a penumbra da infração e a luz da proteção (séc. XIX-XX)

  • Ernesto Candeias Martins Instituto Politécnico de Castelo Branco

Resumo

RESUMO

O nosso estudo de natureza sócio-histórico aborda a infância marginalizada, vadia, infratora e/ou
delinquente portuguesa, no período do Séc. XIX e inícios do Séc. XX, a qual vivia numa subcultura à
margem da sociedade, considerada perigosa para a coesão social. Norteamos-nos neste fenómeno
social daquela infância (fenomenologia), por uma argumentação hermenêutica. O corpus documental
recorre a fontes primárias da época e análises de estudos posteriores, que dão ênfase às relações
entre aquela infância e o poder político-ideológico, reformas sociais para normalizar aquela infância,
medidas assistenciais e de proteção para serem cidadãos úteis. Guiamo-nos pelos seguintes
objetivos: compreender as políticas sociais, as medidas estabelecidas na governação da infância
vadia, errante, infratora ou delinquente; analisar as relações de poder sobre esse tipo de infância,
com o intuito de suprir o estado de marginalização e desviação social, em que estava imersa;
interpretar essa infância recorrendo aos discursos político-ideológicos, científicos e filantrópicos, cujo
objeto de análise era esse problema social da criança/infância à margem da sociedade. A estrutura
do texto assenta em 4 pontos: o surgimento das medidas de reforma social à proteção da infância
(séc. XVIII) com a pretensão de assistir, acolher, regenerar, educar e reinserir; oscilação da
intervenção por parte do Estado na ‘governação e profilaxia’ e os discursos científicos e filantropos da
época oitocentos; abordagem às diretrizes de correção, de organização e medidas reeducativas com
essa ‘Outra Infância’; e a via infame da marginalização à proteção, no início de novecentos, ao menor
infrator ou delinquente.


Palavras-Chave: Criança vadia. Infância infratora. Delinquência infantil. Proteção infantojuvenil.
Instituições de menores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ernesto Candeias Martins, Instituto Politécnico de Castelo Branco

 

É doutor em Ciências da Educação (Univ. Illes Balears Palma de Mallorca Espanha) com título de Agregado à Universidade na área da Educação/H.ª da Educação (ULisboa-IE), Mestre em educação pela Universidade Católica Portuguesa, licenciado em Filosofia pela Universidade Católica Portuguesa e em Pedagogia/Ciencias da Educação pela Universidade Pontíficia de Salamanca / Universidade de Lisboa – FPCE, docente no Instituto Politécnico de Castelo Branco/Escola Superior de Educação - Depart.º/UTC- CIÊNCIAS SOCAIS E DA EDUCAÇÃO,coordenador dos Mestrados em Educação do 1.º Ciclo, do 1.º / 2.º Ciclo, Intervenção Social Escolar e Educação Especial e do Curso de Licenciatura em Educação Básica na mesma instituição. É membro da SPCE (fundador), da Sociedad Española de Pedagogia, do Institut Estuds Catalans e coordenador da Secção de Filosofia da Educação da SPCE (2003---). Faz parte dos conselhos editoriais de várias revistas nacionais e estrangeiras. E consultor e avaliador de alguns Agrupamentos de Escola e de Centros de Formação de Professores. Faz parte, como membro efectivo, do centro de investigação - CeiEF da Universidade Lusófona de Lisboa. É autor e co-autor de vários livros e algumas centenas de artigos científicos de revistas nacionais e internacionais.

Referências

BARBAS, A. Ação moral da Tutoria. A Tutoria (Lisboa), vol. 1, nº 1, p. 5-8, outubro, 1912

BELEZA DOS SANTOS, J. Regime jurídico dos menores delinquentes em Portugal. Coimbra: Coimbra Editora, 1926.

BORRÁS LLOP, J. Mª (dir.). Historia de la Infancia en la España Contemporánea 1834-1936. Madrid: Ministério de Asuntos Sociales, 1996.

CARRILLO, S.; ASTARITA, C.; VOGEL, H.; PETIT, J-G. et al. Disidentes, Heterodoxos y Marginados en la Historia. Salamanca: Ediciones de la Univ. De Salamanca – Acta Salmanticense – Estudios Histórico & Geográficos (nº 104), 1998.

CASTRO, Pedro A.P. Causas da criminalidade infantil. A Tutoria (Lisboa), vol. 1, 3, p. 35-36, dezembro, 1912.

CASTRO, Pedro A.P. Comissão de Proteção a Menores. A Tutoria (Lisboa), vol. 1, 4, p. 56-57, janeiro, 1913.

CATROGA, F. A. A importância do positivismo na consolidação da Ideologia Republicana em Portugal. Coimbra: Pub., Faculdade de Letras/Univ. Coimbra, 1977.

CÓDIGO PENAL PORTUGUÊS. Decreto com força de Lei, de 10 de dezembro de 1852.

CÓDIGO PENAL PORTUGUÊS. Decreto de 16 de setembro (D. G.20/09), de 1886.

CORRÊA, A. A. Mendes. Os criminosos portugueses. Coimbra: F. França Amado, Ed., 1914.

CORRÊA, A. Augusto Mendes. Creanças delinquentes (Subsídios para o estudo da criminologia infantil em Portugal). Coimbra: F. França Amado, Ed., 1915.

FERREIRA, Mª M. Salvar corpos, forjar a razão (Contributo para uma análise crítica da criança e da infância como construção social em Portugal, 1880-1940). Lisboa: I.I.E., 2000

FERREIRA-DEUSDADO, M. A. Ideias sobre educação correcional. Lisboa: Editores Guillard Aillaud, 1890

FONSECA, J.A. F. Estudos médico-sociais: A luta contra a degenerescência. A Tutoria (Lisboa), v. 1, nº 7, p. 101-104, abril, 1913.

FOUCAULT, M. É preciso defender a sociedade. Lisboa: Livros do Brasil, 2006.

GENOVÊS, Vicente Garrido. Pedagogía de la delincuencia juvenil. Barcelona: Ceac, 1990

GOMES, António Luís. Ociosidade, vagabundagem e mendicidade. Estudo social e jurídico. Coimbra: Imprensa da Universidade Coimbra, 1892, p. 137-149.

LIMA, J.S. As Novas leis da Infância em Portugal. A Tutoria, nº 3 (dez.), p. 44-45, 1913.

LOPES, Alfredo Luíz. Estudo estatístico da criminalidade em Portugal nos Anos de 1891 a 1895. Lisboa: Imprensa Nacional, 1897

KING, M. Concepts of childhood: what we know and where we might go. Renaissance Quarterly (Chicago), vol. 60, nº 2, p. 371-400, 2007.

MAGALHÃES, J. Presentação da infância. A Tutoria (Lisboa), vol. 1, nº 2, p. 20, nov. 1912.

MARTINS, E. C. Proteção e Reeducação dos menores abandonados, marginados e delinquentes em Portugal. Veritas (Porto Alegre), vol. 42, nº 2 (jun.), 1997, 349-364

MARTINS, E.C. Proteção Social e (R) educação de menores. O Padre António d’ Oliveira (1867-1923). Lisboa: Cáritas Editora, 2012.

MINISTÉRIO DA JUSTIÇA E DOS CULTOS. Serviços jurisdicionais e tutelares de menores – Tutoria Central de Infância de Lisboa. Lisboa: Imprensa Lucas Comp.ª, 1931

OLIVEIRA, (Pe.) António de. Criminalidade, Educação. Vol. I. Lisboa: Livraria Aillaud e Bertrand, 1918

OLIVEIRA, (Pe.) António de. Salvemos a Raça. Lisboa: Edição do Autor, 1923.

OLIVEIRA, Augusto de. Proteção Moral e Jurídica à Infância. Lisboa: Tip. Do Reformatório Central de Lisboa ‘Pe. António de Oliveira’, 1929.

PERROT, M. (ed.). L’Impossiblee prison: recherches sur le système pénitentiaire au XIXe siècle: débat avec Michel Foucault. Paris: Éditions du Seuil, 1980.

PINTO, Mª de Fátima. Os indigentes: entre a assistência e a repressão – a outra Lisboa no 1.º Terço de século. Lisboa: Livros Horizonte, 1999.

PORTUGAL. Diários do Governo. Legislação. Lisboa: Imprensa Nacional, 1880-1962.

PORTUGAL. LPI -Lei de Proteção à Infância, de 27 de maio/1911 (D:G. nº 317, 14/junho). Lisboa, 1911.

SANTOS, Mª José Moutinho. Os jovens delinquentes nas prisões do Porto oitocentista. Revista de Ciências Históricas, 11, 1996, p. 189-204.

SANTOS, Mª José Moutinho. A Sombra e a Luz. As prisões do Liberalismo. Porto: Edições Afrontamento, 1999.

SANTOS, Mª José Moutinho. Crianças e jovens em risco nos séculos XVIII e XIX. O caso português no contexto europeu. Revista de História da Sociedade e da Cultura (Coimbra), nº 2, 2002, p.155-184.

ROCHA, Cristina; FERREIRA, Mª Manuela. Alguns contributos para a compreensão da construção médico-social da infância em Portugal (1820-1950). Educação, Sociedade & Culturas (Porto – Edições Afrontamento), nº2, p. 59-90, 1994.

ROTHMAN, D.J. The discovery of the asylum. Social order and disorder in the New Republic. Boston: Little, Brown and Company, 1971.

TOMÉ, M.R.A. Cidadania infantil na Primeira República e a Tutoria da Infância. A criação da Tutoria de Coimbra e o Refúgio anexo. Revista de História da Sociedade e da Cultura (Coimbra), vol. 11, nº 10, p. 481-500, 2010.

VASCONCELOS, Ernesto Leite de. O Problema da criminalidade infantil. A Tutoria, nº 6 (março), p. 88-89, 1913.

XAVIER, Ângela B. Imagem de pobres, pobreza e assistência entre os séculos XV e XX. In: PAIVA, J. Pedro (coord.), Portugaliae Monumenta Misericordiarum, Vol. 10. Lisboa: União das Misericórdias Portuguesas, 2017, p. 15-41.

Publicado
2021-07-25
Como Citar
Martins, E. C. (2021). Infância portuguesa entre a penumbra da infração e a luz da proteção (séc. XIX-XX). REVISTA INTERSABERES, 16(38), 893-915. https://doi.org/10.22169/revint.v16i38.1927