https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/issue/feed REVISTA INTERSABERES 2022-11-16T14:09:50+00:00 Joana Paulin Romanowski revistaintersaberes@gmail.com Open Journal Systems <p>A Revista&nbsp; Intersaberes, criada em 2006, é um periódico científico vinculada ao Programa de Pós-Graduação em Educação e Novas Tecnologias - PPGENT/UNINTER. Tem como missão fomentar a produção e a disseminação de pesquisas e abordagens científicas na área de Educação, com o objetivo de atender a um vasto público por meio de trabalhos relevantes inseridos em um ambiente que propicie o debate e a troca de novas perspectivas.</p> <p>Linha Editorial: Educação com foco em&nbsp;Formação Docente e Novas Tecnologias.</p> https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2347 Princípios filosóficos de Spinoza e suas contribuições para física 2022-11-15T13:29:17+00:00 Devacir Vaz de Moraes devacir.moraes@ifmt.edu.br Eder Joacir de Lima eder.lima@ifmt.edu.br Daniel Dunck Cintra daniel.cintra@ifmt.edu.br <p>A Física e a Filosofia são ciências conhecidas pela sua relevância, tanto no desenvolvimento tecnológico, quanto na construção do pensamento da sociedade. Entretanto, nas escolas e universidades sempre foram reconhecidas como independentes e físicos e filósofos não reconhecem a importância de uma para a outra. Este trabalho tem como objetivo realizar uma discussão sobre as bases filosóficas presentes na Física, bem como sua importância para o desenvolvimento e conquista da identidade desta ciência, além de apresentar as principais afinidades de Spinoza na construção da Teoria da Relatividade proposta por Albert Einstein. A metodologia usada na construção da pesquisa foi bibliográfica. Através da pesquisa, encontramos evidências de que as correntes filosóficas influenciaram as principais descobertas da Física, entre as quais destacamos as leis que descrevem o movimento dos corpos, propostas por Isaac Newton, como uma confirmação da corrente filosófica de René Descartes. Destacamos também as convergências entre o pensamento filosófico de Benedictus Spinoza no século XVII e Albert Einstein na construção da Teoria da Relatividade. Neste sentido, o texto traz elementos que mostram a importância da Filosofia para a Física, no processo de construção de sua identidade e nas principais revoluções científicas.</p> 2022-08-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2356 Tecnologias educacionais em tempos pandêmicos: mapeamento das produções acerca da temática em 2020 2022-11-15T13:34:13+00:00 Gustavo Thayllon França Silva gustavo.thayllon@gmail.com Liamara Scortegagna liamara@ice.ufjf.br Ademir Aparecido Pinhelli Mendes pinhellimendes@gmail.com <p><span style="font-size: 10.0pt; font-family: 'Candara',sans-serif;">O objetivo deste artigo foi realizar um mapeamento das produções bibliográficas desenvolvidas no ano de 2020, que versassem sobre as tecnologias educacionais utilizadas no período de pandemia da COVID-19. Nesse processo, buscaram-se categorias que aproximassem as pesquisas: a) Investigação dos objetos de pesquisa; b) Abordagens metodológicas; c) Conceitos teóricos acerca das tecnologias e d) Intensificação do uso das tecnologias após o início da pandemia da COVID-19. O mapeamento permitiu, juntamente com a análise, verificar a importância da metodologia utilizada e a relevância das tecnologias educacionais e da mediação pedagógica digital durante a pandemia. O estudo constatou coincidências entre pesquisas no que tange aos benefícios da intensificação do uso das tecnologias digitais na educação, bem como um cenário discrepante no que concerne ao acesso e permanência dos estudantes na educação, em virtude da desigualdade de oportunidade de conexão à internet.</span></p> 2022-08-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2370 A fabricação discursiva do ser humano ambiental na atualidade 2022-11-15T13:39:37+00:00 Elisângela Barbosa Madruga elisangelamadruga@outlook.com Paula Corrêa Henning paula.c.henning@gmail.com <p>Este artigo discute a disseminação e a utilização do discurso ambiental no espaço virtual como estratégia para conscientizar sobre o planeta, visando produzir um ser humano ambiental. Frente a um cenário discursivo e a emergência de um determinado modelo de sujeito, o presente artigo teve como objetivo de examinar a fabricação dos sujeitos ambientalmente corretos no jogo eletrônico Minecraft. Para operar metodologicamente, tomaram-se os estudos acerca da análise do discurso desenvolvida por Michel Foucault. Ao se analisar as discursividades no jogo, evidenciou-se um discurso pedagógico ambiental que se materializa por meio do enunciado de humano ambiental. São táticas discursivas que visam ensinar os sujeitos jogadores modos de ser e agir ambientalmente corretos, através das imagens dos personagens, cenas e das lições de retorno a uma vida natural.</p> 2022-08-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2372 O Ensino de Filosofia no modelo EaD e a experiência de tutoria em Multiplataformas 2022-11-15T13:42:17+00:00 Antonio Djalma Braga Junior antonio.djalma@hotmail.com Gustavo Luiz Gava gustavoluizgava@hotmail.com <p>Esse artigo tem como objetivo destacar a importância do ensino de filosofia na formação dos estudantes inseridos na modalidade de Ensino a Distância, bem como as possibilidades de motivá-los por meio de ações ativas que fomentem o processo dialógico em ambiente virtual. Sabe-se que a discussão sobre a importância do ensino da disciplina de Filosofia é pauta recorrente nos últimos anos no Brasil, uma vez que existem núcleos de pesquisa formados por professores que investigam e debatem sobre o papel da disciplina na formação desses sujeitos no modelo presencial. Pergunta-se: como seria esse processo de ensino no modelo da EaD? Assim, cabe destacar algumas características básicas experienciadas na tutoria da disciplina de filosofia nos últimos anos. Destarte, considera-se que o ensino on-line de Filosofia em ambiente virtual pode gerar o entendimento conceitual mesmo que à distância, bem como a cultura do pertencimento</p> 2022-11-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2365 Tecnologias digitais: uma nova "Ágora" ou um mero agora? 2022-11-15T13:45:14+00:00 Thiago David Stadler thiago.stadler@ies.unespar.edu.br Deleon Oliveira Santos deleon.santos@escola.pr.gov.br <p>As tecnologias digitais estão presentes nos mais diversos segmentos da nossa sociedade. Nas escolas não seria diferente. No entanto, a presença das tecnologias em sala de aula levanta algumas inquietações: será que as tecnologias não são utilizadas como meras atualizações de práticas pedagógicas já envelhecidas e, agora, apenas revigoradas por telas, jogos, aplicativos etc? Será que a inserção de tecnologias em sala de aula é sinônimo de melhoria da qualidade do ensino? No papel desempenhado pelos professores e professoras há de se adicionar uma formação em T.I? Tantas questões e poucas respostas. Neste jogo entre tecnofóbicos e tecnofílicos uma percepção nos acompanha: o tempo da Ágora não é o agora. O tempo da instrução e da educação não acompanha a velocidade das tecnologias, pois edificar a razão e a sensibilidade demanda tempo e permanente interesse.</p> 2022-08-28T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2385 Cibercultura e Educação: a virtualização das aulas em tempos de pandemia 2022-11-15T13:54:07+00:00 Fausto dos Santos Amaral Filho faustodossantos@outlook.com Fábio Teixeira teixeirafabio@terra.com.br <p>As tecnologias digitais estão presentes na vida das pessoas e têm sido inseridas definitivamente na educação. Com o advento da pandemia da Covid-19, em primeiro momento, tivemos a suspensão das atividades educacionais e, posteriormente, a virtualização das aulas. Diante deste contexto, no qual as aulas passaram a ser ministradas virtualmente, a interação entre aluno e professor tem sido mediada pelas novas tecnologias educacionais. Assim, as chamadas tecnologias da educação e da informação adquiriram um papel central no processo de ensino e aprendizagem. Nesta sociedade que parece estar cada vez mais conectada por diversas ferramentas tecnológicas é que a cibercultura vem se desenvolvendo, produzindo informação em grande velocidade e proporcionando uma nova maneira dos indivíduos se relacionarem. A educação não fica alheia a todo este processo e daí advém o interesse deste trabalho, que consiste justamente nos reflexos da cibercultura no processo educativo.</p> 2022-11-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2374 Comenius, tecnologia e educação: uma perspectiva mumfordiana 2022-11-15T13:57:23+00:00 Thiago Cabrera tprcabrera@gmail.com Giselle Ferreira giselle-ferreira@puc-rio.br Giselle Ferreira giselle-ferreira@puc-rio.br Márcio Lemgruber mslemgruber@gmail.com <p>Comenius é apontado, nos livros de História da Educação, como o fundador da pedagogia moderna. Em sua <em>Didactica Magna</em>, publicada em latim em 1657, o autor propôs uma forma de organização detalhada como arcabouço para um sistema educacional inclusivo, um modelo baseado em metáforas e analogias relacionadas à produção manufatureira em expansão em sua época. Este artigo discute a proposta de Comenius como uma solução técnica para a democratização da educação que se mostra uma importante precursora de formas de pensar a relação entre a educação e a tecnologia na contemporaneidade. O texto examina aspectos da contribuição de Comenius a partir de uma perspectiva inspirada na obra de Lewis Mumford, historiador e filósofo da tecnologia. Em particular, toma o conceito mumfordiano de “megamáquina” para discutir a “didacografia” comeniana, que é apresentada na <em>Didactica</em> em uma analogia detalhada entre a tipografia e a sala de aula. Nessa ótica, o sistema educacional de Comenius seria uma megamáquina composta essencialmente de seres humanos mecanizados, embora não prescinda de artefatos como modelos ou mesmo antecipe a perspectiva de mecanizações mais radicais.</p> 2022-11-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2375 Agnotologia: a construção do negacionismo científico na sociedade da informação 2022-11-15T14:15:20+00:00 Maria Madalena Ferreira Machado Calado madalenafmcalado@gmail.com Sidney Reinaldo da Silva sreinald@uol.com.br <p>Este estudo objetiva estabelecer uma análise crítica referente à construção do <br>negacionismo científico em uma época que a informação é acessível à grande parte <br>da população. Para descrever o processo da construção social da ignorância, Robert <br>N. Proctor cunhou, em 1995, o termo Agnotology. Proctor reflete sobre os processos <br>da produção política e social e propagação intencional da ignorância. Contudo, <br>objetiva-se estabelecer uma abordagem da agnotologia na era da informação, que <br>conta com o auxílio das redes sociais. Para esta pesquisa de metodologia qualitativa <br>foi utilizada a revisão de literatura de autores que abordam a temática. Machío (2020) <br>trata da metodologia do Triangulo da Ignorância composto pelo produtor, o observador <br>e o ignorante. Chalmers (1993) e Kuhn (1998) contribuem com o entendimento do <br>processo de criação da Ciência e o papel das descobertas científicas para a <br>sociedade; Feenberg (2010) com questionamentos sobre a racionalização da Ciência <br>e as tecnologias e Teixeira (2017) que complementa com a relação dos postulados do <br>estruturalismo incorporados no pensamento contemporâneo. A partir disso, buscouse entender a as faces da agnotologia na contemporaneidade.</p> 2022-11-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2371 Índice EME: uma ferramenta para a avaliação do design de hardware e software na educação infantil 2022-11-15T14:21:54+00:00 Darío Sandrone dariosandrone@unc.edu.ar <p>Este artigo apresenta e avalia filosoficamente uma ferramenta que chamamos de índice EME. É uma ferramenta para avaliar o projeto do hardware e software envolvidos nos dispositivos tecnológicos usados no ensino de robótica e programação para crianças de primeira infância. Este último é particularmente importante, pois existe um forte impulso a favor da incorporação do ensino da programação e da robótica desde os primeiros anos de escolaridade. O índice EME é um índice que avalia os projetos de dispositivos tecnológicos em termos do tipo de experiência que eles promovem e em relação à apropriação de conhecimento e usos que eles permitem. A avaliação que promove inclui a versatilidade, acesso a possibilidades de expansão, fontes de energia e montagem de dispositivos computacionais, no pressuposto de que estas características materializam (ou não) diferentes experiências de aprendizagem para os sujeitos que interagem com elas. É chamada EME porque inclui as dimensões de Montagem - Modificação - Expansão que são propostas como parâmetros para a avaliação dos projetos.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> 2022-11-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2389 As práticas docentes no contexto tecnológico digital: (in)certezas e desafios para uma práxis no âmbito universitário 2022-11-16T14:09:50+00:00 Jean Marcos Frandaloso jean.frandaloso@gmail.com Maria Alzira Leite mariaalzira35@gmail.com <p>Objetiva-se no artigo distinguir os conceitos de técnica e tecnologia, bem como problematizar e discutir o uso de diferentes aparatos tecnológicos no contexto educacional. Sustenta-se, nesse viés, que o uso de inúmeras mídias digitais em sala de aula pode contribuir para o aprimoramento dos letramentos e demais ações colaborativas entre os discentes, o que favorece o desenvolvimento de um aprendizado mais dinâmico e participativo dos envolvidos. A referida produção científica se pautará numa pesquisa qualitativa, básica, de base bibliográfica, do tipo descritivo-exploratória e traz como pergunta reflexiva: de que modo os letramentos digitais podem potencializar as práticas colaborativas no ensino e na aprendizagem dos alunos? Portanto, o presente estudo buscará ancoragem nas obras de Coscarelli (2016); Coscarelli e Ribeiro (2017) e Kersch e col. (2022), dentre outros autores que poderão ser trazidos à tona para compor o diálogo aqui delineado.</p> <p>&nbsp;</p> <p><strong>&nbsp;</strong></p> 2022-11-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2391 A percepção da lei nº 13.006/2014 pelos docentes do campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná 2022-11-15T14:30:22+00:00 Nilson dos Santos Morais nilson.morais@ifpr.edu.br Adriano Willian da Silva Viana Pereira adrianosilva@ifpr.edu.br <p>Este artigo apresenta os resultados de pesquisa desenvolvida no Programa de Pós-Graduação em Educação Profissional e Tecnológica (PROFEPT), cujo objetivo foi identificar a percepção dos docentes do Campus Curitiba do Instituto Federal do Paraná sobre a Lei 13.006/2014. Almeja-se, também, verificar o conhecimento docente sobre produção cinematográfica brasileira e da utilização de filmes nacionais como suporte pedagógico em sala de aula. Os dados quantitativos foram obtidos por meio do instrumento de pesquisa de campo, com aplicação de questionário semiestruturado. Os dados obtidos foram classificados em consonância com as concepções de educação apresentadas por Saviani, com o objetivo de encontrar as aproximações da linha pedagógica dos docentes pesquisados. Sobre as concepções pedagógicas, observa-se que, independentemente do tempo de atuação dos docentes, prevalece a Pedagogia Tecnicista, seguida da Tradicional, tanto para o docente de até 5 anos de atuação (1,89%), como para os que atuam de 10 a 30 anos (66,04%). A presença da Pedagogia Nova está presente em 11,43% dos docentes que atuam de 10 a 30 anos (66,04%). Sobre o cinema nacional, o resultado obtido foi que 70% dos docentes pesquisados conhecem no mínimo parcialmente a lei. Sobre a possibilidade de implementação da lei, a pesquisa apresenta que 83,12 dos entrevistados afirmam que a existência de um cineclube ou projeto de exibição de filme nacional pode possibilitar a execução da lei 13.006/2014. A concepção teórica deste artigo funda-se na análise de Saviani, na indissolubilidade entre homem, natureza e educação e nas contribuições do debate marxista sobre a Educação Profissional e Tecnológica.</p> 2022-11-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2386 Arquitetura pedagógica e o uso de objetos digitais de aprendizagem:computação afetiva em ambientes virtuais de aprendizagem 2022-11-15T14:35:08+00:00 Gustavo Gava gustavoluizgava@hotmail.com Mariana Haviaras marianahaviaras@gmail.com <p>Nesta pesquisa, buscou-se discutir uma necessidade pedagógica que vem se destacando celeremente nos últimos anos à Educação e, principalmente, devido ao fenômeno da pandemia causado pelo coronavírus: a urgência de ambientes virtuais de aprendizagem capazes de potencializar a sensação de pertencimento nos estudantes. Diante dessa questão, o objetivo final dessa pesquisa foi idear um Objeto Digital de Aprendizagem (ODA), tendo como mote as dores dos estudantes de uma Instituição de Ensino Superior (IES). &nbsp;O intuito foi o de apresentar uma proposta de um ODA pensado de forma situacional, a fim de potencializar o uso do próprio Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA), e de instigar o sentimento de pertencimento a um lugar (virtual) entre docente e discente, ou seja, a relação afetiva mesmo em ciberespaço. Para isso, questionou-se: como seria possível a relação afetiva por meio de um ambiente virtual que busca promover a aprendizagem? A fundamentação metodológica dessa pesquisa foi subdividida em três momentos e por meio de natureza triangular: bibliográfica, qualitativa e exploratória-retrodutiva (a de construir uma hipótese). Em geral, o resultado alcançado nessa pesquisa demostra que existem alguns fatores que devem ser considerados na relação afetiva e o sentimento de pertencimento entre os estudantes: a qualidade de acesso à Internet, a arquitetura pedagógica do ambiente virtual e a experiência neurocognitiva com os objetos digitais. Por fim, destacou-se uma proposta de objeto digital de aprendizagem denominado “Conecta Mais” que se encontra em fase piloto de aplicação em uma Instituição de Ensino Superior do Estado do Paraná.</p> 2022-11-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2414 Editorial: Filosofia da tecnologia 2022-11-15T13:25:23+00:00 Luís Fernando Lopes fernandocater@gmail.com FAUSTO DOS SANTOS AMARAL FILHO faustodossantos@outlook.com ANDRÉ LUIZ MOSCALESKI CAVAZZANI andre.ca@uninter.com 2022-11-15T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2364 Ensino religioso e formação do ser político: uma proposta para a consciência de cidadania 2022-11-15T14:37:48+00:00 Michel Eriton Quintas 1719879@alunouninter.com Waldir Souza waldir.souza@pucpr.br 2022-08-14T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 REVISTA INTERSABERES