Modernidade líquida e consumismo no pensamento de Zygmunt Bauman

Autores

  • Fábio Antonio Gabriel Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Ana Lúcia Pereira Universidade Estadual de Ponta Grossa
  • Ana Cássia Gabriel Faculdade Integradas de Ourinhos – FIO

DOI:

https://doi.org/10.22169/revint.v14i33.1542

Resumo

RESUMO

Este artigo analisa a concepção sobre modernidade líquida, concebida pelo filósofo e sociólogo Zygmunt Bauman. O filósofo aponta esse entendimento como característica da efemeridade aliada a um exacerbado consumismo na sociedade contemporânea. Tais peculiaridades norteiam a compreensão do pensamento desse filósofo. A metodologia deste trabalho vale-se da pesquisa bibliográfica para um estudo descritivo, crítico das contribuições desse sociólogo ao conceito de modernidade líquida. Os resultados alcançados apontam no sentido de que a sociedade hodierna se tornou refém da modernidade, que mergulha na fugacidade, em que tudo flui muito rapidamente, e diante da qual a modernidade sólida não resistiu, deixando-se sucumbir. Infere-se, também, que, ao buscar suprir a sua falta, o homem, influenciado pelo capitalismo, tornou-se extremamente consumista, sem se dar conta, muitas vezes, das consequências que essa atitude pode provocar para si, para o outro e para o mundo.

Palavras-chave: Modernidade líquida; Consumismo; Ética.

 

ABSTRACT

This paper analyzes the conception about liquid modernity, conceived by the philosopher and sociologist Zygmunt Bauman. The philosopher points to this understanding as a characteristic of ephemerality coupled with an exacerbated consumerism in contemporary society. Such peculiarities guide the understanding of this philosopher’s thinking. The methodology of this text uses the bibliographic research for a descriptive study, critical of the contributions of this sociologist to the concept of liquid modernity. The achieved results point to the fact that today’s society has become hostage to modernity, plunged into the fleetingness, in which everything flows very quickly and, in the face of which solid modernity has not resisted, letting itself succumb. It is also inferred that, in seeking to compensate for its lack, man, influenced by capitalism in the current context, has become extremely consumerist, often unaware of the consequences that this attitude can have for himself, to the other and to the world.

Keywords: Liquid modernity; Consumerism; Ethics.

 

RESUMEN

Este artículo analiza la concepción sobre modernidad líquida, concebida a partir del filósofo y sociólogo Zygmunt Bauman. El filósofo apunta ese entendimiento como característica de la fugacidad, aliada a un exacerbado consumismo en la sociedad contemporánea. Tales peculiaridades orientan la comprensión del pensamiento de este filósofo. La metodología de este estudio se vale de investigación bibliográfica para un estudio descriptivo, crítico de las contribuciones de este sociólogo al concepto de modernidad líquida. Los resultados alcanzados apuntan en el sentido de que la sociedad actual se ha convertido en rehén de la modernidad, que se hunde en la fugacidad, en que todo fluye muy rápidamente, y ante la cual la modernidad sólida no resistió, dejándose sucumbir. Se infiere también que, al buscar suplir su falta, el hombre, influenciado por el capitalismo, se ha vuelto extremadamente consumista, sin darse cuenta, muchas veces, de las consecuencias que esa actitud puede provocar para sí mismo, para el otro y para el mundo.

Palabras-clave: Modernidad líquida; Consumismo; Ética. 

 

DOI: http://dx.doi.org/10.22169/revint.v14i33.1542

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fábio Antonio Gabriel, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Doutor em educação - Universidade Estadual de Ponta Grossa (UEPG). Bolsista de doutorado - bolsa CAPES/Fundação Araucária. E-mail: fabioantoniogabriel@gmail.com

Ana Lúcia Pereira, Universidade Estadual de Ponta Grossa

Doutora em Ensino de Ciências e Educação Matemática (UEL). Professora Adjunta no Departamento de Matemática e Estatística e nos Programas de Pós-Graduação em Educação e em Ensino de Ciências e Educação Matemática na UEPG. Bolsista Produtividade da Fundação Araucária. E-mail: ana.lucia.pereira.173@gmail.com

Ana Cássia Gabriel, Faculdade Integradas de Ourinhos – FIO

Bacharel em Direito, Faculdade Integradas de Ourinhos  – FIO. E-mail: anacgabriel.ag@gmail.com

Referências

BACCON, A.; ARRUDA, S. M. Estilos de gestão da sala de aula: uma análise a partir da ação docente. Práxis Educativa, Ponta Grossa, v. 10, n. 2, p. 463-487, jul./dez. 2015.

BAUMAN, Z. 44 cartas do mundo líquido moderno. Tradução Vera Pereira. Rio de Janeiro: Zahar, 2011.

BAUMAN, Z. Modernidade líquida. Tradução Plínio Dentzien. Rio de Janeiro: Zahar, 2001.

BAUMAN, Z. Tempos líquidos. Tradução Carlos Alberto Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2007.

BAUMAN, Z. Vida para consumo: a transformação das pessoas em mercadoria. Tradução Carlos Albertos Medeiros. Rio de Janeiro: Zahar, 2008.

BAUMAN, Z. Vidas desperdiçadas. Tradução de Carlos Alberto Medeiro. Rio de Janeiro: Zahar, 2005.

COLOMBO, M. Modernidade: a construção do sujeito contemporânea e a sociedade de consumo. Revista Brasileira de Psicodrama, São Paulo, v. 20, n. 1 p. 25- 39, jun. 2012.

FONTENELLE, I. F. Cultura do consumo: fundamentos e formas contemporâneas. Rio de Janeiro: FGV, 2017.

FRAGOSO, T. de O. Modernidade líquida e liberdade consumidora: o pensamento crítico de Zygmunt Bauman. Revista Perspectivas Sociais, Pelotas, ano 1, n. 1, p. 109-124, mar. 2011.

ROJAS, E. O homem moderno: a luta contra o vazio. Curitiba: Editora do Chain, 2016.

SILVA, R. B.; MENDES, J. P. S.; ALVES, R. dos S. L. O conceito de líquido em Zygmunt Bauman: contemporaneidade e produção de subjetividade. Athenea Digital, Bellaterra, Espanha, v. 15, n. 2, p. 249-264, jul. 2015.

SOUZA, W. M. L. Uma excursão pelo contemporâneo a partir do conceito de modernidade líquida de Zygmunt Bauman. 2012. 112 f. Dissertação (Mestrado em Epistemes Contemporâneas) – Universidade Federal de Mato Grosso, Cuiabá, 2012.

Downloads

Publicado

2019-12-13

Como Citar

GABRIEL, F. A.; PEREIRA, A. L.; GABRIEL, A. C. Modernidade líquida e consumismo no pensamento de Zygmunt Bauman. REVISTA INTERSABERES, [S. l.], v. 14, n. 33, p. 698, 2019. DOI: 10.22169/revint.v14i33.1542. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/686. Acesso em: 20 maio. 2024.