Educação, escola, criatividade e tecnologia: contributos para a conceitualização de um modelo pedagógico do século XXI

Autores

  • Max Günther Haetinger Doutorando em Ciências da Educação da Faculdade de Psiciologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (Portugal).
  • Rui Trindade Docente da Faculdade de Psiciologia e de Ciências da Educação da Universidade do Porto (Portugal).

DOI:

https://doi.org/10.22169/revint.v12i25.1214

Resumo

RESUMO

A criatividade, como eixo pedagógico transversal dos projetos de intervenção educativa, que têm lugar nas escolas, é o objeto de reflexão deste artigo. Ele apresenta os resultados de um projeto de pesquisa que foi desenvolvido em quatro salas de aula, frequentadas por crianças do 4º ano de escolaridade, em Portugal, numa das áreas curriculares dos planos de estudos em vigor neste país, a área de Estudo do Meio. Trata--se de um trabalho onde se pretende discutir os desafios e exigências das escolas do século XXI, o que explica a articulação que se estabelece entre criatividade e Tecnologias de Informação e Comunicação (TIC), cujas potencialidades educativas o referido projeto de pesquisa acaba por comprovar. Comprova-se também que a organização cooperativa dos ambientes de aprendizagem constitui um fator indissociável da construção de ambientes educativos onde a criatividade é entendida como um objetivo e uma referência curricular e pedagógica nucleares.

 

Palavras-chave: Criatividade. TIC. Ambientes cooperativos de aprendizagem.

 

ABSTRACT

Creativity, as a transversal pedagogical axis of educational intervention projects that take place in schools, is the focus of the following paper. It presents the results of a research project that was developed in four 4th grade children groups in Portugal, in one of the areas of Study of the Environment. This is a study where the challenges and demands of 21st century schools are discussed, which explains the articulation between Creativity and Information and Communication Technologies (ICT), whose academic potential the research project can prove. In addition, it proves that the cooperative organization of learning environments is an inseparable factor in the construction of educational environments where creativity is understood as a goal and a curricular and pedagogical reference.

Keywords: Creativity. ICT.  Learning cooperative environments.



DOI: http://dx.doi.org/10.22169/revint.v12i25.1214

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALENCAR, Eunice S.; Fleith, Denise S. (2003). Criatividade, múltiplas perspectivas. Brasília: Universidade de Brasília.

BAUMAN, Zygmunt (2004). Amor liquido: sobre a fragilidade dos lacos humanos. Rio de Janeiro: Zahar Ed.

BRUNER, Jerome (2000). A cultura da educação. Lisboa: Relógio d’Água.

CANÁRIO, Rui (1999). Educação de adultos: Um campo e uma problemática. Lisboa: Educa.

COSME, Ariana; Trindade, Rui (2013). Organização e gestão do trabalho pedagógico: Perspetivas, questões, desafios e respostas. Porto: LivPsic.

COSTA, Fernando A.; Peralta, Helena; Viseu, Sofia. (2007). As TIC na educação em Portugal: Concepções e práticas. Porto: Porto Editora.

CROPLEY, A. J. (1997). Fostering creativity in classroom: General principles. In Runco, Mark. The creativity research handbook, v. 1 (Perspectives on creativity). Cambridge University Press.

CSIKSZENTMIHALYI, Mihaly (1996). Creatividad: El fluir y la psicologia del descubrimiento y la invención. Barcelona: Ediciones Paidos Iberica.

ELLIOT, John (1991). Action research for educational change. Philadelphia: Open University Press.

ESTRELA, Albano (1994). Teorias e Práticas de Observação de Classes - Uma estratégia de formação de Professores. Porto: Porto Editora.

HAETINGER, Max G.; Haetinger, Daniela (2011). A aprendizagem Criativa: Educadores motivados para enfrentar os desafios do novo século. Educação a distância, redes de aprendizagem, criatividade e motivação. Rio de Janeiro: WAK.

KNELLER, George F. (1978). Arte e ciência da criatividade. São Paulo: IBRASA.

LÉVY, Pierre (2000). Cibercultura. 2ª ed. São Paulo: Editora 34.

LOMAX, Pam. (1994). Action Research for Professional Practice: A position paper on

Educational Action Research. Practitioner Research Workshop, BERA, Oxford.

LUBART, Todd (2010). Creativity Across Cultures. In Robert J. Sternberg (Ed.), Handbook of creativity (265-278). Cambridge University Press.

PINHEIRO, Ana (2012). Cruz@r educadores na internet. Porto: LivPsic.

PRENSKY, Marc (2010). Teaching Digital Natives- Partnering for real learning. California: Corwin.

ROBINSON, Ken (2010). O Elemento. Porto: Porto Editora.

SANCHO, Juana M.; Hernández, Fernando e colaboradores (2006). Tecnologias para transformar a educação. Porto Alegre: Artmed.

TRINDADE, Rui (2014). A aprendizagem baseada na resolução de problemas: perspetivas e questões. Revista Lusófona de Educação, 27, 43-57.

TRINDADE, Rui; Cosme, Ariana (2010). Educar e aprender na Escola: Questões, desafios e respostas pedagógicas. V.N. Gaia: Fundação Manuel Leão.

VEEN, Win & Vrakking, Ben (2009). Homozappiens: Educando na era digital. Porto Alegre: Artmed.

Downloads

Como Citar

HAETINGER, M. G.; TRINDADE, R. Educação, escola, criatividade e tecnologia: contributos para a conceitualização de um modelo pedagógico do século XXI. REVISTA INTERSABERES, [S. l.], v. 12, n. 25, p. 188–199, 2017. DOI: 10.22169/revint.v12i25.1214. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/1214. Acesso em: 13 abr. 2024.