Mulheres (intelectuais) católicas, educação, religião e sociedade

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22169/revint.v18.e023tl4007

Palavras-chave:

História da Educação, Mulher intelectual, Religião, Cultura, Stella de Faro

Resumo

O artigo trata da produção sobre mulheres intelectuais católicas no Brasil, tendo como parâmetro o conceito de “intelectual orgânico” de Gramsci e considerando a possível interface entre educação, religião e cultura. As leituras mostram o espaço de luta e resistência das mulheres na história. Sob o aporte de diversos autores, compreende-se a educação feminina como caminho de participação social da mulher. Diversos trabalhos dialogam sobre as ações da mulher na educação e na sociedade, sem situar o campo da intelectualidade. As produções acadêmicas sobre o tema mulheres e religião, em sua maioria, abordam instituições religiosas ou assistenciais. Para materializar o conceito gramsciano de “intelectual orgânico”, procuramos exemplificar com um estudo de caso que trata de Stella de Faro, uma das mais dinâmicas intelectuais católicas. É importante continuar a pesquisa nessa temática para que não se considere como “natural” o não reconhecimento da mulher como intelectual.

Palavras-chave: História da Educação; mulher intelectual; religião e cultura; intelectual orgânico; Stella de Faro.

ABSTRACT

The following paper deals with the production about Catholic intellectual women in Brazil, using Gramsci’s “organic intellectual” concept as a parameter and considering interface’s possibility between education, religion, and culture. The readings show women struggles and resistance space in History. From several authors, female education is understood as a way of women’s social participation. Many works dialogue on women’s action over education and society without considering intellectually aspect. Most of the academic production about women and religion approaches welfare or religious institutions. To materialize Gramscian “organic intellectual” concept, we present a case study about Stella de Faro, one of the most dynamic Catholic intellectuals. It is important to continue researching this topic to avoid seen as normal the lack of recognition of women intellectually.

Keywords: History of education; intellectual woman; religion and culture; organic intellectual; Stella de Faro.

RESUMEN

El artículo estudia la producción sobre mujeres intelectuales católicas en Brasil, asumiendo como parámetro el concepto de “intelectual orgánico”, de Gramsci, y considerando la posible interfaz entre educación, religión y cultura. Las lecturas muestran el espacio de lucha y resistencia de las mujeres en la historia. Desde la perspectiva de varios autores, la educación femenina es vista como el camino hacia la participación social de las mujeres. Varias obras dialogan sobre las acciones de las mujeres en la educación y la sociedad, sin ubicarlas en el campo de la intelectualidad. Las producciones académicas sobre el tema de la mujer y la religión, en su mayoría, se ocupan de instituciones religiosas o asistenciales. Para materializar el concepto gramsciano de “intelectual orgánico” tratamos de ejemplificar con uno estudio de caso que trata de Stella de Faro, una de las más dinámicas intelectuales católicas. Es importante seguir investigando sobre este tema para que no se considere “natural” el no reconocimiento de las mujeres como intelectuales.

Palabras-clave: Historia de la Educación; mujer intelectual; religión y cultura; intelectual orgánico; Stella de Faro.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Suzane Tizott, PUC-PR

Pedagoga, Mestranda em Educação, Pontifícia Universidade Católica do Paraná, Curitiba – Paraná – Brasil.

Peri Mesquida, Pontifícia Universidade Católica do Paraná

Possui graduação em Filosofia pela Universidade de Mogi das Cruzes (1972) e doutorado em Ciências da Educação - University of Génève (1986). Professor Titular da Pontifícia Universidade Católica do Paraná. 

Referências

ALVES, Maria Angélica. A educação feminina no Brasil do entre-séculos (XIX e XX) imagens da mulher intelectual. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 2., 2002, Natal - RN. Anais [...]. Natal: SBHE, 2002. Disponível em:

https://sbhe.org.br/anais. Acesso em: 10 ago. 2022.

BOURDIEU, Pierre. Razões práticas sobre teoria da ação. Campinas -SP: Papirus, 1996.

BOURDIEU, Pierre. Questions sociologiques. Paris: Les Éditions de Minuit, 1988.

CHARTIER, Roger. A história cultural: entre práticas e representações. Tradução de Maria Manuela Galhardo. Lisboa; Rio de Janeiro: Difel, 1994.

CONCEIÇÃO, Cíntia Nascimento de Oliveira. Intelectuais e teleducação: o pioneirismo de Alfredina de Paiva e Souza. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 9., 2018, João Pessoa - PB. Anais [...]. João Pessoa: SBHE, 2018. Disponível em: https://sbhe.org.br/anais. Acesso em: 10 ago. 2022.

DEL PRIORE, Mary; PINSKY, Carla Bassanezi. História das mulheres no Brasil. 10. ed. São Paulo: Contexto, 2013.

DUBY, Georges. Idade Média, Idade dos homens. São Paulo: Companhia das Letras, 2011.

FARO, Stella. Minha vocação. Debates Sociais, Rio de Janeiro, v. 1, n. 1, 1965. p. 77.

FERREIRA, Norma Sandra A. As pesquisas denominadas “estado da arte”. Educação & Sociedade, Campinas - SP, v. 23, n. 79, ago. 2002.

GALVÃO, Ana Maria de Oliveira; LOPES, Eliane Marta Teixeira. Território plural: a pesquisa em história da educação. 1. ed. São Paulo: Ática, 2010.

GERHARDT, Tatiana Engel; SILVEIRA, Denise Tolfo (org.) Métodos de pesquisa. Porto Alegre: Editora da UFRGS, 2009.

GRAMSCI, Antonio. Quaderni dal carcere. Torino: Einaudi, 1975.

GRAMSCI, Antonio. Os intelectuais e a organização da cultura. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 1985.

MALHEIROS, Bruno Taranto. Metodologia da pesquisa em educação. São Paulo: Editora Guanabara – Grupo GEN, 2011.

MESQUIDA, Peri. A educação na restauração lemista da Igreja: a missão de Tristão de Athayde e Stella de Faro no Ministério da Educação e Saúde Pública – 1934-1945. Revista Diálogo Educacional, Curitiba, v. 9, n. 27, p. 279-295, maio/ago. 2009.

MOSCOVICI, Serge. As representações sociais da psicanálise. São Paulo: Zahar, 1978.

OLIVEIRA João Paulo Gama. Vestígios “dos jovens anos escolares” de uma intelectual brasileira: itinerários da aluna Maria Thetis Nunes no Atheneu Sergipense (1935- 1941). Revista de História e Historiografia da Educação, Curitiba, v. 1, n. 1 p. 174-192, 2017.

ORLANDO, Evelyn de Almeida. A Bandeira e a Cruz: caminhos da trajetória intelectual da educadora Maria Junqueira Schmidt. Educar em Revista, Curitiba, Brasil, n. 65, p. 103-118, jul./set. 2017.

PERROT, Michelle. Mulheres públicas. São Paulo: Unesp, 1998.

PERROT, Michelle. Os excluídos da história – Operários, mulheres e prisioneiros. Rio de Janeiro/São Paulo: Paz e Terra, 2017.

ROMANOWSKI, J. P.; ENS, R. T. As pesquisas denominadas do tipo “Estado da Arte”. Diálogos Educacionais, Natal, v. 6, p. 37, 2006.

ROSADO-NUNES, Maria José Fontelas. O impacto do feminismo sobre o estudo das religiões. Cadernos Pagu (UNICAMP), Campinas, v. 16, p. 79-96, 2001.

SANTO ROSÁRIO, Irmã Maria Regina do. O Cardeal Dom Leme. Rio de Janeiro: José Olympio, 1962.

SIRINELLI, Jean-François. Os intelectuais. In: RÉMOND, René (org.) Por uma história política. Rio de Janeiro: UFRJ; Fundação Getúlio Vargas, 1996. p. 231- 269.

SOARES, Márcia Guedes. Maria Antonietta de Castro intelectual da educação. In: CONGRESSO BRASILEIRO DE HISTÓRIA DA EDUCAÇÃO, 9., 2018, João Pessoa - PB. Anais [...]. João Pessoa: SBHE, 2018. Disponível em: https://sbhe.org.br/anais. Acesso em: 10 ago. 2022.

SOUZA, Sandra Duarte de. Revista Mandrágora: gênero e religião nos estudos feministas. Revista de Estudos Feministas, Florianópolis, v. 12, n. spe, p. 122-130, dez. 2014.

TEIXEIRA LOPES, Eliane Marta; GALVÃO, Ana Maria de Oliveira. História da educação. 2. ed. Rio de Janeiro: DP&A, 2005. 114 p.

VIEIRA, Balbina Otoni. História do serviço social: Contribuição para a construção de sua teoria. Rio de Janeiro: Agir, 1978.

YIN, Robert K. Pesquisa estudo de caso - desenho e métodos. Porto Alegre: Bookman, 1994.

Downloads

Publicado

2023-06-01

Como Citar

TIZOTT, S.; MESQUIDA, P. Mulheres (intelectuais) católicas, educação, religião e sociedade. REVISTA INTERSABERES, [S. l.], v. 18, p. e023tl4007, 2023. DOI: 10.22169/revint.v18.e023tl4007. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/e023tl4007. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigo