Análise da utilização da gamificação como processo educativo no ensino de biologia e química

Autores

Palavras-chave:

Metodologias Ativas, Protagonismo discente, Interdisciplinaridade.

Resumo

A inserção de diferentes metodologias de ensino tem-se tornado um fator recorrente no processo de ensino e aprendizagem, uma vez que despertam nos alunos o interesse e o engajamento no decorrer do processo. O estudo apresentado teve como objetivo o desenvolvimento de um processo avaliativo interdisciplinar, por meio da gamificação, entre os componentes curriculares Biologia e Química, envolvendo alunos de uma turma de ensino fundamental dos anos finais de uma escola da rede privada de ensino no município de São Mateus, de modo a promover engajamento e protagonismo dos estudantes. O processo foi realizado no decorrer de um trimestre por meio de diferentes etapas envolvendo a gamificação. Os resultados demonstraram que, com o passar das etapas, os alunos mostraram-se interessados e engajados, apresentando o envolvimento esperado para o processo de ensino e aprendizagem. Concluímos que a exploração dos diferentes elementos e possibilidades trazidos pela gamificação contribui de forma significativa para motivar intrinsecamente e extrinsecamente os alunos no decorrer de um processo educativo, potencializando participações e níveis de engajamento no decorrer do percurso.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Antonio de Oliveira, Instituto Federal do Espírito Santo - Campus Vila Velha

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática, Instituto Federal do Espírito Santo (Campus Vila Velha), São Mateus-ES, Brasil.

Débora Lázara Rosa, Instituto Federal do Espírito Santo - Campus Vila Velha

Doutoranda no Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências e Matemática - EDUCIMAT/IFES. Mestrado em Ensino na Educação Básica pelo Centro Universitário Norte do Espírito Santo - CEUNES/UFES. Especialização em Ensino na Educação Básica pelo Centro Universitário Note do Espírito Santo CEUNES/UFES. Experiência na Educação Básica e no Ensino Superior. 

Manoel Augusto Polastreli Barbosa, Instituto Federal do Espírito Santo - Campus Vila Velha

Doutorando Profissional em Educação em Ciências e Matemática (IFES). Mestre em Ensino, Educação Básica e Formação de Professores (PPGEEDUC) - UFES (Campus Alegre). Professor Formador do Curso de Complementação Pedagógica - IFES Campus Piúma. Coordenador de Projetos Educacionais na Superintendência de Educação a Distância (SEAD) - Universidade Federal do Espírito Santo (UFES). Designer Educacional no Projeto de Cursos em Rede na Modalidade a Distância - Instituto Federal do Espírito Santo (IFES).

Carlos Roberto Pires Campos, Instituto Federal do Espírito Santo - Campus Vila Velha

Licenciado em Ciências Sociais e Letras pela Faculdade de Filosofia Ciências e Letras de Belo Horizonte (1988 e 1990), Especialista em Geologia do Quaternário pelo Museu Nacional da UFRJ, mestrado em Letras pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (1995), Mestrado em Arqueologia pelo Museu Nacional da UFRJ (2012), doutorado em História Social da Cultura pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro (2003) e Pós-Doutorado em Educação, Ciência e Tecnologia pelo CEFET-RJ (2015). Atualmente é professor permanente do Programa de Pós-Graduação em Educação em Ciências e Matemática, nos níveis mestrado e doutorado, do Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia do Espírito Santo, Campus Vila Velha. 

Marize Lyra Silva Passos, Instituto Federal do Espírito Santo

Pós-doutorado na Universidade de HAMK (Finlândia). Doutora em Engenharia de Produção pela UFRGS e em Educação pela Universidad del Norte (revalidado pela UFAL). Mestre em Informática e Especialista em Análise de Sistemas pela UFES. Engenheira de Petróleo e Administradora de Empresas formada pela Universidade Vila Velha (UVV). Professora e pesquisadora do Instituto Federal do Espírito Santo desde 1996 lotada no Centro de Referência em Formação e Educação a Distância. É professora permanente dos programas de Pós-graduação mestrado em Educação Profissional e Tecnológica (ProfEPT) e Mestrado Profissional em Educação em Ciências e Matemática (EDUCIMAT).

Referências

ALVES, Flora. Gamification: como criar experiências de aprendizagem engajadoras. Um guia completo: do conceito à prática. 2. ed. São Paulo: DVS, 2015.

ARAÚJO, José Carlos. Da metodologia ativa à metodologia participativa. In: VEIGA, Ilma Passos Alencastro (org.). Metodologia participativa e as técnicas de ensino e aprendizagem. Curitiba: CRV, 2017. p. 17-56.

BISSOTO, Maria Luísa; CAIRES, Susana. Metodologias Ativas e Participativas: seus contributos para o atual cenário educacional. Revista Práxis Educacional, v. 15, n. 35,

p. 161-182, out./dez. 2019. DOI: doi.org/10.22481/praxisedu.v15i35.5673. Disponível em: periodicos2.uesb.br/index.php/praxis/article/view/5673/4288. Acesso em: 25 mar. 2024.

BUSARELLO, Raul Inácio. Gamification: princípios e estratégias. São Paulo: Pimenta Cultural, 2016.

GIL, Antônio Carlos. Como elaborar projetos de pesquisa. São Paulo: Atlas, 2007.

KLOCK, Ana Carolina Tomé et al. Análise das técnicas de gamificação em ambientes virtuais de aprendizagem. Revista Renote: Novas tecnologias na Educação, v. 12, n. 2,

p. 1-10, dez. 2014. DOI: doi.org/10.22456/1679-1916.53496. Disponível em: seer.ufrgs.br/index.php/renote/article/view/53496/33013. Acesso em: 25 mar. 2024.

MCGONIGAL, Jane. A realidade em jogo: por que os games nos tornam melhores e como eles podem mudar o mundo. Tradução de Eduardo Rieche. Rio de Janeiro: Best Seller, 2012.

MURR, Caroline Elisa; FERRARI, Gabriel. Entendendo e aplicando a gamificação: o que é, para que serve, potencialidades e desafios. Florianópolis: UFSC: UAB, 2020.

STUDART, Nelson. A gamificação como design instrucional. Revista Brasileira de Ensino de Física, [s. l.], v. 44, n. 1, p. 1-11, dez. 2022. DOI: doi.org/10.1590/1806-9126-RBEF-2021-0362. Disponível em: scielo.br/j/rbef/a/TFcKMNMYWRRhBGNxNmHRn3v/?format=pdf. Acesso em: 25 mar. 2024.

VIANNA, Ysmar et al; Gamification, Inc.: Como reinventar empresas a partir de jogos. Rio de Janeiro: MJV Press, 2013.

ZICHERMANN, Gabe; CUNNINGHAM, Christopher. Gamification by Design: Implementing Game Mechanics in Web and Mobile Apps. Sebastopol, CA: O’Reilly Media, Inc. 2011.

Downloads

Publicado

2024-04-24

Como Citar

OLIVEIRA, A. A. de; ROSA, D. L.; BARBOSA, M. A. P.; CAMPOS, C. R. P.; PASSOS, M. L. S. Análise da utilização da gamificação como processo educativo no ensino de biologia e química. REVISTA INTERSABERES, [S. l.], p. e24tl4004, 2024. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/2552. Acesso em: 19 jul. 2024.

Edição

Seção

Artigo