Currículo e educação em Direitos Humanos: desafios e possibilidades

Resumo

RESUMO

Este artigo discute a política educacional brasileira diante dos desafios da contemporaneidade, para a efetivação de um modelo de educação que respeite a diversidade e a dignidade humana. Para tal, aborda a emergência da Educação em Direitos Humanos no processo de formação cidadã e no fortalecimento da democracia, ao problematizar sua relação com o currículo. O estudo discute o currículo, enquanto relação de poder, e enfatiza seu papel formativo, capaz de afetar a identidade dos estudantes, o que incide sobre suas ações e decisões. A questão da Educação em Direitos Humanos, que já era apontada como importante desde a Declaração dos Direitos Humanos em 1948, ganhou mais relevância na comunidade internacional com a promoção da Década da Educação em Direitos Humanos — ocorrida entre 1995 e 2004. Em sintonia com o cenário internacional, o governo brasileiro criou, em 2003, o Comitê Nacional de Educação em Direitos Humanos, com a atribuição de elaborar e monitorar o Plano Nacional de Educação em Direitos Humanos (PNEDH), que após ser objeto de vários debates e modificações ao longo dos anos, chega à sua versão definitiva em 2007. Tais avanços são indícios daquilo que o Brasil vem construindo na defesa de uma sociedade mais democrática, justa e solidária.

Palavras-chave: Educação em Direitos Humanos. Currículo. Plano Nacional de educação em Direitos Humanos. Diretrizes Nacionais para a educação em Direitos Humanos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Eva Aparecida Oliveira

Assistente social pelo Centro Universitário UniBrasil.

Emily de Oliveira Abreu

Pedagoga pelo Centro Universitário UniBrasil.

Publicado
2021-07-25
Como Citar
de Oliveira , J. L., Oliveira, E. A., & Abreu , E. de O. (2021). Currículo e educação em Direitos Humanos: desafios e possibilidades: . REVISTA INTERSABERES, 16(38), 584-599. https://doi.org/10.22169/revint.v16i38.2178