As políticas públicas e o perfil do aluno do século XXI frente à inserção da tecnologia na educação

Autores

  • Clarina Alves do Prado Mestranda do Programa de Pós-Graduação em Ensino de Ciências, Matemáticas e Tecnologias – PPGECMT da Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC.
  • Iandra Pavanati Doutora em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Professora no Instituto de Ensino Superior Santo Antônio – INESA. E-mail: iandrapavanati@hotmail.com
  • Kariston Pereira Doutor em Engenharia e Gestão do Conhecimento pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Professor na Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC.
  • Tatiana Comiotto Doutora em Educação Científica e Tecnológica pela Universidade Federal de Santa Catarina – UFSC, Professora na Universidade do Estado de Santa Catarina – UDESC.

DOI:

https://doi.org/10.22169/revint.v12i25.1216

Resumo

RESUMO

O presente artigo traz uma reflexão acerca da presença das tecnologias em ambientes educacionais, as políticas públicas envolvidas na inserção desses recursos e o perfil do estudante do século XXI frente a esse cenário.  O perfil discente deste século, inserido na chamada Era Digital e nomeado por Prensky como ‘nativo digital’, é marcado por seus processos interativos constituindo uma nova cibercultura. Surge, dessa forma, uma nova demanda em ambiente escolar, já que renovar as práticas pedagógicas inserindo as novas tecnologias torna-se essencial. O percurso das políticas públicas nacionais e do município de Joinville – Santa Catarina, frente à inserção da tecnologia da informação e comunicação (TIC) nas instituições escolares, vêm se construindo em uma nova realidade para muitas escolas. Este cenário revela que o avanço da TIC e a velocidade das transformações psicossociais e culturais, decorrentes desse avanço, são temas que, cada vez mais, exigem dos sistemas educacionais uma mudança significativa em seus processos.

 

Palavras-chave: Tecnologia educacional. Nativo digital. Políticas públicas.

 

 

 

 

ABSTRACT

The following paper focus on technologies within educational environments, public policies involved in inserting such resources and the 21st century student profile regarding such scenario. The 21st century student profile, within the so-called Digital Era and named by Marc Presnsky as “digital native”, is characterized by its interactive processes, which is the base of a new cyberculture. Thus, there is a new demand regarding school environments since it is essential to renew the pedagogical practices through new technologies. The evolution of national public policies as well as in the city of Joinvile, Brazil, regarding the use of Communication and Information Technology (CIT) within schools, has become a new reality for several of them. Such scenario unveils the advancement of CIT and the speed of social and psychosocial transformations, deriving from such advancement, which are issues that require a significant change in their processes.

 

Keywords: Educational technology. Digital native. Public policies.

 

 

 

 

 

RESUMEN

En este artículo se presenta una reflexión acerca de la presencia de la tecnología en los centros educativos, las políticas públicas que participan en la integración de estos recursos y el estudiante del siglo XXI perfil frente a este escenario. El perfil de los estudiantes de este siglo, se inserta en la era digital llamado y nombrado por Prensky como "nativo digital", está marcada por su proceso interactivo que constituye una nueva cibercultura. Se plantea, por lo tanto, una nueva demanda en el entorno escolar, como renovar las prácticas pedagógicas inserción de las nuevas tecnologías se convierte en esencial. La ruta de las políticas públicas nacionales y el municipio de Joinville - Estado de Santa Catarina, la inserción de la información y la comunicación (TIC) en las escuelas, han sido la construcción de una nueva realidad para muchas escuelas. Este escenario muestra que el avance de las TIC y la velocidad de las transformaciones psicosociales y culturales que resultan de este avance, son temas que requieren cada vez más los sistemas educativos un cambio significativo en sus procesos

 

Palabras clave: tecnología educativa. Nativo digital. Políticas públicas.



DOI: http://dx.doi.org/10.22169/revint.v12i25.1216

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

ALMEIDA, Caroline Medeiros Martins de et al. Sistema circulatório no 8° ano do Ensino Fundamental- séries finais: utilizando tablets como ferramenta de estudo. X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – X ENPEC. Águas de Lindóia, SP. Nov. 2015. Disponível em: http://www.xenpec.com.br/anais2015/resumos/R0224-1.PDF. Acesso em: 20 out. 2016.

BRASIL, Ministério da Educação. Decreto nº 6.300 de 2007. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/fndelegis/action/UrlPublicasAction.php?acao=abrirAtoPublico&sgl_tipo=DEC&num_ato=00006300&seq_ato=000&vlr_ano=2007&sgl_orgao=NI. Acesso em: 18 de nov. de 2015.

BRASIL, Ministério da Educação. Portaria nº 522 de 9 de abril de 1997. Disponível em: https://www.fnde.gov.br/fndelegis/action/UrlPublicasAction.php?acao=abrirAtoPublico&sgl_tipo=POR&num_ato=00000522&seq_ato=000&vlr_ano=1997&sgl_orgao=MED. Acesso em: 18 de nov. de 2015.

DAMASCENO, Handherson Leyltton Costa. Os tablets chegaram: as tecnologias móveis nas escolas de Salvador/Bahia. 2014, 100f. Dissertação (Mestrado) Faculdade de educação. Universidade Federal da Bahia – UFBA.

FAGUNDES, Marina Miranda. Competência informacional e geração z : um estudo de caso em duas escolas de Porto Alegre. 2011. 105f. Trabalho de conclusão de curso. Faculdade de Biblioteconomia e Comunicação. Universidade Federal do Rio Grande do Sul. Disponível em: http://www.lume.ufrgs.br/bitstream/handle/10183/37536/000819864.pdf?sequence=1. Acesso em: 19 de nov. de 2015.

GABRIEL, Martha. Educar: a revolução digital na educação. São Paulo: Saraiva, 2013.

GIACOMAZZO, Graziela Fatima. FIUZA, Patricia Jantsch. A inserção dos tablets nas escolas estaduais de ensino médio no extremo sul de Santa Catarina: percepção dos professores. 20º Congresso Internacional ABED de Educação à Distância - CIAED 2014. Disponível em: http://www.abed.org.br/hotsite/20-ciaed/pt/anais/pdf/270.pdf. Acesso em: 20 out. 2016.

IBGE. Acesso à internet e à televisão e posse de telefone móvel celular para uso pessoal: 2014. Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE. Coordenação de trabalho e rendimento. Rio de Janeiro: IBGE, 2016.

JOINVILLE. Secretaria de Educação. Educação vai entregar 12.800 tablets para alunos do 6º ao 9º ano (2015). Disponível em: https://educacao.joinville.sc.gov.br/noticia/368-Educa%C3%A7%C3%A3o+vai+entregar+12.800+tablets+para+alunos+do+6%C2%BA+ao+9%C2%BA+ano.html. Acesso em: 21 set. 2015.

LEMOS, André. Cibercultura: tecnologia e vida social na cultura contemporânea. 6 ed. Porto Alegre: Sulinas, 2013.

LEVY, Pierre. Cibercultura. 3. ed. 1. reimp. São Paulo: Editora 34, 2011.

LIMA, Simone da Costa. SOUZA, Raquel Cristina de Souza e. Projeto todos contra o bullying: práticas de leitura e Escrita hipertextual por alunos do ensino fundamental. Revista Texto Digital. v.11, n.1, 2015. Disponível em: https://periodicos.ufsc.br/index.php/textodigital/article/view/1807-9288.2015v11n1p21/29768. Acesso em: 20 out. 2016.

LOPES, Letícia Azambuja et al. O uso de tablets como ferramenta para verificar as concepções sobre insetos construídas por estudantes do 7° ano do ensino fundamental. X Encontro Nacional de Pesquisa em Educação em Ciências – X ENPEC. Águas de Lindóia, SP. Nov. de 2015. Disponível em: http://www.xenpec.com.br/anais2015/resumos/R0290-1.PDF. Acesso em: 20 out. 2016.

OLIVEIRA, Martha Kohl de. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento um processo sócio-histórico. São Paulo: Scipione, 1997.

_______. Vygotsky: aprendizado e desenvolvimento um processo sócio-histórico. 4ª Ed. São Paulo: Scipione, 2005.

PEREIRA, Kariston et al. Uma visão articulada das teorias de Piaget e Vygotsky e suas implicações na educação à distância. Revista educação em rede. v. 2. n.1 . Florianópolis: UDESC, 2007 - anual. Disponível em: <http://www.revistas.udesc.br/index.php/educacaoemrede/article/view/1765>. Acesso em: 18 de out. de 2015.

PRADO, Maria Elisabette. COSTA, Nielce Lobo da. O processo de apropriação pedagógica e tecnológica do Tablet na formação do professor de Matemática. IV Congresso Brasileiro de Informática na Educação - CBIE 2015. Disponível em: http://www.br-ie.org/pub/index.php/wcbie/article/view/6121/4289. Acesso em: 20 out. 2016.

PRENSKY, Marc. Digital Natives, Digital Immigrants. On the horizon. MCB

University Press, v. 9, n. 5, out. 2001, p. 1-6. Disponível em: <http://www.marcprensky.com/writing/Prensky%20-%20Digital%20Natives,%20Digital%20Immigrants%20-%20Part1.pdf>. Acesso em: 14 jun. 2015.

REAL, Luciane M. TAVARES, Mara Noble Rosane. Tablets Educacionais: formação de professores e mudanças na aprendizagem. IV Congresso Brasileiro de Informática na Educação - CBIE 2015. Disponível em: http://www.br-ie.org/pub/index.php/wcbie/article/view/6109/4280. Acesso em: 20 out. 2016.

REAL, Luciane M. Corte. TAVARES, Mara Noble Rosane. PICETTI, Jaqueline dos Santos. Formação de Professores para o Uso Educacional de Tablets no Ensino Médio: possíveis mudanças na prática pedagógica. II Congresso Brasileiro de Informática na Educação - CBIE 2013. Disponível em: http://br-ie.org/pub/index.php/wcbie/article/view/2729/2383. Acesso em: 20 out. 2016.

SANTAELLA, Lucia. Navegar no ciberespaço: o perfil cognitivo do leitor imersivo. São Paulo: Paulus, 2004.

Downloads

Como Citar

PRADO, C. A. do; PAVANATI, I.; PEREIRA, K.; COMIOTTO, T. As políticas públicas e o perfil do aluno do século XXI frente à inserção da tecnologia na educação. REVISTA INTERSABERES, [S. l.], v. 12, n. 25, p. 178–187, 2017. DOI: 10.22169/revint.v12i25.1216. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/1216. Acesso em: 25 jun. 2024.