Os formatos da tira no ensino

Autores

  • Paulo Eduardo Ramos Professor adjunto da UNIFESP

DOI:

https://doi.org/10.22169/revint.v12i25.1210

Resumo

 

RESUMO

 

Um dos impactos da indústria cultural nas histórias em quadrinhos foi a criação de formatos regulares para a construção de tiras. Necessidade dos jornais, o molde fixo foi o modo encontrado de padronizar a produção para levar o mesmo produto a mais de um diário. Este artigo tem como objetivo demonstrar como esses diferentes formatos narrativos têm sido apropriados por materiais didáticos brasileiros.  A exposição procurará demonstrar que a variedade de moldes narrativos tem explicações em seu processo de produção e circulação. É algo que, se contextualizado ao aluno, ajudaria no processo de identificação do gênero e de construção do sentido, permitindo uma leitura mais crítica daquele conteúdo.

 

 

Palavras-chave: Formato. Tira. Ensino.

 

 

ABSTRACT One of the impacts of culture industry towards comic books was the creation of regular formats for comic strips. The regular format was the way to standardize them for newspapers. The following paper has the objective of showing how Brazilian textbooks have used such different narrative formats. It will try to show that the each narrative format has its own characteristics in its production and circulation process. Such explanation could help students identifying the comic strip genre as well as its content construction, which would allow them to have a critical point of view when reading it.   Keywords: Format. Comic strip. Teaching.        RESUMEN Uno de los impactos de la industria cultural en las historietas fue la creación de formatos estándar para la construcción de tiras. Una necesidad de los periódicos, el molde fijo fue el camino encontrado para estandarizar la producción para llevar el mismo producto hasta más de una revista. En este artículo se pretende demostrar cómo estos diferentes formatos narrativos han sido apropiados para los materiales de enseñanza brasileños. La exposición tratará de demostrar que la variedad de moldes narrativos tiene explicaciones en su proceso de producción y circulación. Es algo que, si contextualizado al estudiante, ayuda en la identificación del género y en la construcción del sentido, lo que permite una lectura más crítica de ese contenido.

 

Palabras-clave: Formato. Tira. Enseñanza.

 


DOI: http://dx.doi.org/10.22169/revint.v12i25.1210

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

BORGATTO, Ana Trinconi; BERTIN, Terezinha; MARCHEZI, Vera. Projeto Teláris: Português – 6º ano. 2. ed. São Paulo: Ática, 2015. Disponível em: <https://somoseducacaopnld2017.digitalpages.com.br/html/reader/218/49008>. Acesso em: 10 abr. 2017.

BRASIL. Edital de convocação 02/2015 – CGPLI. Brasília: Ministério da Educação, 30 jan. 2015. Disponível em: . Acesso em 14 abr. 2017.

BRASIL. PNLD 2017: guia digital. Brasília: FNDE/Ministério da Educação, 2017. Disponível em: <http://www.fnde.gov.br/pnld-2017/>. Acesso em: 14 abr. 2017.

BRASIL. Portal do Professor. Brasília: MEC. Disponível em: <http://portaldoprofessor.mec.gov.br/index.html>. Acesso em: 10 abr. 2017.

CASTRO, Thiago Estevão Calixto de. Tiras cômicas online: mediação e interações na linguagem das tiras. 195 f. Dissertação (Mestrado em Tecnologia). Programa de Pós-Graduação em Tecnologia, Universidade Federal Tecnológica do Paraná. Curitiba, 2016. Disponível em:

http://repositorio.utfpr.edu.br/jspui/bitstream/1/1802/1/CT_PPGTE_M_Castro,%20Thiago%20Estev%C3%A3o%20Calixto%20de_2016.pdf Acesso em: 13 abr. 2017.

GORDON, Ian. Comic strips and consumer culture: 1890-1945. Washington: Smithsonian Institution Press, 1998.

GROENSTEEN, Thierry. O sistema dos quadrinhos. Trad. Érico Assis. Nova Iguaçu, RJ: Marsupial Editora, 2015.

INSTITUTO PRÓ-LIVRO. Retratos da Leitura no Brasil – 4ª edição. São Paulo: Instituto Pró-Livro, 2016.

O´SULLIVAN, Judith. The great American comic strip: one hundred years of cartoon art. Boston: Bulfinch Press Book, 1990.

RAMOS, Paulo. Faces do humor: uma aproximação entre piadas e tiras. Campinas, SP: Zarabatana Books, 2011.

RAMOS, Paulo. Pontos de fuga: registros do processo de alargamento do formato das tiras. Nona Arte: Revista Brasileira Pesquisas em Histórias em Quadrinhos. São Paulo: Observatório de Histórias em Quadrinhos; Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo, 2014. v. 3, n. 1. p. 85-103. Disponível em: <http://www2.eca.usp.br/nonaarte/ojs/index.php/nonaarte/article/view/96/117>. Acesso em: 13 abr. 2017.

RAMOS, Paulo. A leitura dos quadrinhos. 2. ed. 2. reimpr. São Paulo: Contexto, 2016.

RAMOS, Paulo. Tiras no ensino. São Paulo: Parábola Editorial, 2017.

WALKER, Brian. No princípio... In: BROWNE, Dik. Hagar, o Horrível: tiras diárias completas – 1973-1974. Trad. Alexandre Boide. Porto Alegre: L&PM, 2016. p. 4-9.

WALKER, Mort. O livro de ouro do Recruta Zero. Rio de Janeiro: Pixel, 2016.

Downloads

Como Citar

RAMOS, P. E. Os formatos da tira no ensino. REVISTA INTERSABERES, [S. l.], v. 12, n. 25, p. 84–97, 2017. DOI: 10.22169/revint.v12i25.1210. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/1210. Acesso em: 25 jun. 2024.

Artigos mais lidos pelo mesmo(s) autor(es)