Formação docente e os multiletramentos: produção e análise do gênero fanclipe

Autores

DOI:

https://doi.org/10.22169/revint.v18.e023do3004

Palavras-chave:

Multiletramentos, Fanclipe, Formação docente, Textos multissemióticos

Resumo

Esta pesquisa tem como objetivo explorar o gênero fanclipe no contexto dos multiletramentos, no intuito de salientar a importância da produção e análise multissemiótica na formação docente. Isso se justifica pelo surgimento das mídias digitais e pela necessidade de os professores se atualizarem em relação aos novos desafios da educação. Para isso, recorre-se a autores como Jenkins (2009), Machado (2000), Rojo (2009) e Soares (2004), além da BNCC (2018). A metodologia é composta por: pesquisa bibliográfica, sobre a Teoria dos Multiletramentos e sobre o gênero fanclipe; análise do corpus, constituído por recortes de um fanclipe criado por uma das autoras. Como resultado, foram encontradas contribuições em relação à formação docente pautada nos multiletramentos; possível produção de fanclipes por alunos; leitura e análise de fanclipes para discussão de temáticas sociais.

Palavras-chave: Multiletramentos; Fanclipe; Formação docente; Textos multissemióticos.

ABSTRACT

This research has the objective of exploring the fanclip genre in the context of the multiliteracies, highlighting the importance of multisemiotic production and analysis for the process of student formation. Such is justified by the advent of digital media as well as the need for teachers to update themselves in relation to new educational challenges. Thus, authors such as Jenkins (2009), Machado (2000), Rojo (2009), and Soares (2004), besides BNCC (2018), are brought to the debate. The methodology is composed by: bibliographical research regarding Multiliteracy Theory and the fanclip genre; and the analysis of the fanclip’s frames created by one of the authors. As result, contributions were found related to teaching training based on multiliteracies; possible production of fanclips by students; the reading and analysis of fanclips for the
discussion of social theme.

Keywords: Multiliteracies; Fanclip; Teacher education; Multisemiotic texts.

RESUMEM

Esta investigación tiene como objetivo explorar el género fan video en el contexto de los multiletramientos, con el fin de resaltar la importancia de la producción multisemiótica para la formación del profesorado, esto se justifica por el surgimiento de los medios digitales y la necesidad de los docentes de actualizarse en relación a los nuevos desafíos. de educación. Para ello se utilizan autores como Jenkins (2009), Machado (2000), Rojo (2009) y Soares (2004), además del BNCC (2018). La metodología consiste en: investigación bibliográfica, sobre la Teoría de los Multiletramientos y el género fan video; análisis del corpus, constituido por recortes de un fan video creado por uno de los autores. A consecuencia, se encontraron aportes en relación a formación docente basada en multiletramientos; posible producción de fan video por parte de los estudiantes; lectura y análisis de fan video para la discusión de temas sociales.

Palabras-clave: Multiletramientos; Fan video; Formación del profesorado; Textos multisemióticos.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Thaís Costa Prado Alves, Universidade Federal de Lavras

Graduada em Letras Português/Inglês pela Universidade Federal de Lavras. Lavras/MG, Brasil.

Helena Maria Ferreira, Universidade Federal de Lavras

Doutora em Linguística, Professora do Departamento de Estudos da Linguagem na Universidade Federal de Lavras e Diretora da Faculdade de Educação, Linguagens e Ciências Humanas. Lavras/MG, Brasil.

Isabela Vieira Lima, Universidade Federal de Alfenas

Mestra em Letras pela Universidade Federal de Lavras, Professora Substituta do Instituto de Ciências Humanas e Letras na Universidade Federal de Alfenas. Alfenas/MG, Brasil.

Referências

ARAÚJO, Júlio César. Os chats: uma constelação de gêneros na internet. Tese (Doutorado em Linguística). Centro de Humanidades. Departamento de Letras Vernáculas. Universidade Federal do Ceará, 2006.

BARROS, Diana Luz Pessoa de. Algumas reflexões semióticas sobre a enunciação. In: DI FANTI, Maria da Glória; BARBISAN, Leci (Orgs.). Enunciação e discurso: tramas de sentidos. São Paulo: Contexto, 2012. p. 25-49.

BRASIL. Ministério da Educação. Base Nacional Comum Curricular. Brasília: MEC, 2018. Disponível em:

<http://basenacionalcomum.mec.gov.br/images/BNCC_EI_EF_110518_versaofinal_site.pdf>. Acesso em: 20 fev. 2021.

DIONÍSIO, Ângela Paiva. Multimodalidades e leituras: funcionamento cognitivo, recursos semióticos, convenções visuais. Recife: Pipa Comunicação, 2014.

FELIPE, A.K.B; KARWOSKI, A.M. A inserção de novas tecnologias em sala de aula. In: JORNADA DE INICIAÇÃO CIENTÍFICA DA UNIVERSIDADE FEDERAL DO TRIÂNGULO MINEIRO, 22. Anais... Uberaba: UFTM, 2014. p. 377.

FERREIRA, Isabella Bacha. Textos multissemióticos e novas habilidades de leitura: contribuições para a formação docente. 2019. 92 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Pós Graduação em Educação, Universidade Federal de Lavras, Lavras, 2019. Disponível em:

<http://repositorio.ufla.br/bitstream/1/34353/3/DISSERTA%C3%87%C3%83O_Textos%20multissemi%C3%B3ticos%20e%20novas%20habilidades%20 de%20leitura%3A%20contribui%C3%A7%C3%B5es%20para%20a%20 forma%C3%A7%C3%A3o%20docente.pdf.> Acesso em: 01 mai 2021

GOMES, Rosivaldo. Gêneros multissemióticos e ensino: uma proposta de matriz de leitura. Trem de Letras, v. 3, n. 1, p. 56-80, 2017.

HOOKS, Bell. O feminismo é para todo mundo: políticas arrebatadoras. 6. ed. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 2020.

IBGE – INSTITUTO BRASILEIRO DE GEOGRAFIA E ESTATÍSTICA. Nomes no Brasil:

nomes mais populares. Rio de Janeiro: IBGE, 2010. Disponível em:

<https://censo2010.ibge.gov.br/nomes/#/ranking> . Acesso em: 03 mai 2021.

JENKINS, Henry. Cultura da convergência. Trad. de Susana Alexandria. São Paulo: Aleph, 2009.

JOLY, Martine. Introdução à Análise da Imagem. 70 ed. Lisboa, 2007.

KALANTZIS, Mary; COPE, Bill.; PINHEIRO, Petrilson. Letramentos. Campinas: Unicamp, 2020.

KLEIN, Edna Lampert; VOSGERAU, Dilmeire Sant’Anna Ramos. Possibilidades e desafios

da prática de aprendizagem colaborativa no ensino superior. Educação, v. 43, n. 4, p.

-698, 2018.

LIBERALI, Fernanda et al. Projeto DIGIT-M-ED BRASIL: uma proposta de desencapsulação da aprendizagem escolar por meio dos multiletramentos. Revista Prolíngua, v. 10, N. 3 - nov/dez de 2015.

MACHADO, A. A televisão levada a sério. São Paulo: Editora SENAC, 2000.

MACHADO, Arlindo. Made in Brasil: três décadas do vídeo brasileiro. São Paulo: Iluminuras/Itaú Cultural, 2007.

MARCELO, Carlos. Las tecnologías para la innovación y la práctica docente. Rev. Bras. Educ., Rio de Janeiro , v. 18, n. 52, p. 25-47, março 2013 . Disponível em:

<https://www.scielo.br/pdf/rbedu/v18n52/03.pdf> . Acesso em: 15 abr. 2021.

MOZDZENSKI, L. As configurações genéricas e multimodais do videoclipe. Signo, Santa Cruz do Sul, v. 38, n. 64, p. 100-117, junho de 2013. Disponível em: https://online.unisc.br/seer/index.php/signo. Acesso em: 23 abr 2021.

NEW LONDON GROUP. A Pedagogy of Multiliteracies: Designing Social Futures. Harvard Educational Review, 66.60-92, 1996.

NOVELLINO, Marcia Olivé. Fotografias em livro didático de inglês como língua

estrangeira: análise de suas funções e significados. 2007. 203 f. Dissertação (Mestrado) - Curso de Mestrado em Letras, Departamento de Letras, Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro, Rio de Janeiro, 2007.

OLIVEIRA, Natália Maria França de; COUTINHO, Francisco Ângelo. A influência das cores na identificação e Interpretação de imagens no ensino de ciências. VII Enpec, Florianópolis, nov. 2009.

RAGI, Taísa Rita; SALLES, Raphael Soares; FERREIRA, Helena Maria. FORMAÇÃO DE PROFESSORES PARA O TRABALHO COM A PRODUÇÃO DE TEXTOS MULTISSEMIÓTICOS: O GÊNERO FANCLIPE EM QUESTÃO. Anais do

CIET:EnPED:2020 - (Congresso Internacional de Educação e Tecnologias | Encontro de Pesquisadores em Educação a Distância), São Carlos, ago. 2020. ISSN 2316-8722.

Disponível em: <https://cietenped.ufscar.br/submissao/index.php/2020/article/view/1409>. Acesso em: 20 fev 2021.

ROJO, Roxane. Letramentos múltiplos, escola e inclusão social. São Paulo: Parábola Editorial, 2009.

ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo (Orgs.). Multiletramentos na escola. São Paulo: Parábola Editorial, 2012.

ROJO, Roxane; MOURA, Eduardo. Letramentos, mídias, linguagens. São Paulo: Parábola Editorial, 2019.

SILVEIRA, Deise M. M. AUDIODESCRIÇÃO DE CHARGES E CARTUNS NO LIVRO DIDÁTICO DIGITAL: UMA PROPOSTA DE PARÂMETROS À LUZ DA GRAMÁTICA DO DESIGN VISUAL. Salvador, 2019.

SOARES, Elza. “A música serve para denunciar, para gritar”. Cult. [2015]. [Entrevista cedida a] Nathalia Parra. Disponível em:

<https://revistacult.uol.com.br/home/a-musica-servepara-denunciar-para-gritar/>. Acesso em: 01 mai 2021.

SOARES, Thiago. Videoclipe: o elogio da desarmonia. Recife: Livro Rápido, 2004.

VIEIRA, Josenia; SILVESTRE, Carminda. Introdução à multimodalidade: contribuições da gramática sistêmico-funcional, análise de discurso crítica, semiótica social. Brasília: J. Antunes Vieira, 2015.

VILLARTA-NEDER, Marco A.; FERREIRA, Helena M. Processos de textualização em

textos não verbais: formando professores na perspectiva dos multiletramentos. Calidoscópio

– v. 17, n. 3, set-nov 2019.

XAVIER, Antonio Carlos. A era do hipertexto: linguagem e tecnologia. Recife: ed. Universitária da UFPE, 2009.

Downloads

Publicado

2023-06-01

Como Citar

COSTA PRADO ALVES, T.; MARIA FERREIRA, H.; VIEIRA LIMA, I. Formação docente e os multiletramentos: produção e análise do gênero fanclipe. REVISTA INTERSABERES, [S. l.], v. 18, p. e023do3004, 2023. DOI: 10.22169/revint.v18.e023do3004. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/intersaberes/index.php/revista/article/view/e023do3004. Acesso em: 25 jun. 2024.

Edição

Seção

Dossiê