Relação entre Brasil e Alemanha: Equidistância pragmática e a busca pela autonomia nacional (1930-1961)

  • Claudia Santos

Resumo

RESUMO

O tema proposto neste presente artigo refere-se ao estudo das relaçõesentre Brasil e Alemanha no período de 1930 a 1961. O trabalho está dividido emtrês partes. A primeira parte consiste nas relações estritamente comerciais eeconômicas entre Brasil e Alemanha. A segunda parte retrata o cenário políticointerno e os seus reflexos na política externa dos governos de Getúlio Vargas,Eurico Dutra e Juscelino Kubistchek. A terceira parte compreende uma análisegeral dos pontos levantados ao longo do artigo por meio das teorias de relaçõesinternacionais, realismo e liberalismo. O intuito da pesquisa foi o decontribuir para que o leitor conhecesse mais profundamente a relaçãogermano-brasileira e pudesse refletir sobre a conexão Brasil e Alemanha emrelação à política externa. Dessa forma, o leitor estaria apto a responder aproblemática central do presente trabalho, de perceber como o Brasil utiliza aAlemanha como alternativa viável para obtenção de seus interesses. Não se trata somente da autonomia brasileira, mas também do seu  processo de industrialização  em um cenário em que os Estados Unidos se impõem como hegemonia mundial. A partir de uma revisão bibliográfica, foram averiguados os dados que abordassemaspectos relacionados ao tema. Além disso, tais dados poderiam descrever, deforma precisa, o posicionamento do Brasil quanto à política externa do período.

Palavras-chave: Relação Brasil e Alemanha. Equidistânciapragmática. Autonomia. Política externa. Teoria das relaçõesinternacionais.

 

ABSTRACT

The theme proposed in thisarticle refers to the study of the relations between Brazil and Germany from1930 to 1961. The work is divided into three parts. The first part consists ofstrictly commercial and economic relations between Brazil and Germany. Thesecond part depicts the internal political scene and its reflexes in theforeign policy of the governments of Getulio Vargas, Eurico Dutra and JuscelinoKubistchek. The third part comprises a general analysis of points raisedthroughout the article by means of theories of international relations, realismand liberalism. The aim of the research was to provide the reader deeperknowledge about the relation between Germany and Brazil so that the readercould reflect on the Brazil and Germany connection in foreign policy field. Inthis way, the reader would be able to respond to the central problem of thiswork, to understand how Brazil uses Germany as a viable alternative forobtaining its interests. It concerns not only the Brazilian autonomy, but alsoits industrialization process in a scenario in which the United States imposethemselves as world hegemony. From a literature review, data that addressedaspects related to the theme were verified. In addition, such data coulddescribe, in a precise manner, the positioning of Brazil in relation to theforeign policy of the period.

Key words: Relation between Brazil and Germany. PragmaticEquidistance. Autonomy. Foreign Policy. Theory of international relations.

 

RESUMEN

El tema propuesto en esteartículo se refiere al estudio de las relaciones entre Brasil y Alemania en elperíodo 1930 a 1961. El trabajo se divide en tres partes. La primera parteconsiste estrictamente en las relaciones económicas y comerciales entre Brasily Alemania. La segunda parte describe la escena política interna y sus reflejosen la política exterior de los gobiernos de Getulio Vargas, Eurico Dutra yJuscelino Kubistchek. La tercera parte incluye un análisis general de lascuestiones planteadas a lo largo de todo el artículo por medio de las teoríasde las relaciones internacionales, realismo y liberalismo. El objetivo de lainvestigación es contribuir para que el lector conozco más profundamente larelación germano-brasileña y pueda reflexionar sobre la conexión Brasil yAlemania con respecto a la política exterior. De esta manera, el lector estaríaen condiciones de responder a la cuestión central de este trabajo, paraentender cómo Brasil utiliza la Alemania como una alternativa viable paraobtener sus intereses. No se trata sólo de la autonomía brasileña, sino tambiénde su proceso de industrialización en un escenario en el que los Estados Unidosse impone como hegemonía mundial. De una revisión de la literatura, secomprobaron los datos que abordaron aspectos relacionados con el tema. Además,esos datos podrían describir, de una manera precisa, el posicionamiento deBrasil, como la política exterior de la época.

Palabras-clave: Relación Brasil y Alemania. Equidistancia pragmática. Autonomia. Políticaexterna. Teoria de las relaciones internacionales

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Claudia Santos
Graduanda no Curso de Relações Internacionais pelo Centro Universitário UNINTER. Bolsista de Iniciação Científica – PIC pelo grupo de Elites Políticas Brasileiras. Pesquisadora do Grupo de Pesquisa “Temas Contemporâneos de Relações Internacionais” na linha de pesquisa sobre Cooperação Internacional, Governança Global e Novos Atores. Também já foi Bolsista enquanto Monitora da Disciplina de Teoria das Relações Internacionais.

Referências

BANDEIRA, Moniz. O milagre alemão e o desenvolvimento do Brasil: as relações da Alemanha com o Brasil e a América Latina (1949-1994). São Paulo: Ensaio, 1994. 246 p.

CASTRO, Sérgio Henrique Nabuco de; FONSECA JÚNIOR, Gelson. Temas de política externa brasileira II. In: NETTO, Thompson Francisco (Org.). 6. Relações Brasil-Alemanha. São Paulo: Paz e Terra, 1994. 201 p. (Relações Internacionais) p. 103-115

CERVO, Amado Luiz. Inserção internacional: formação dos conceitos brasileiros. São Paulo: Saraiva, 2011. 297p

CERVO, Amado Luiz. Política de comércio exterior e desenvolvimento: a experiência brasileira. Rev. bras. polít. int. [online]. 1997, vol.40, n.2, pp. 5-26. ISSN 0034-7329. Disponível em <http://dx.doi.org/10.1590/S0034-73291997000200001. Acesso em: 17 de julho de 2012.

DINIZ, Eli “O Estado Novo: Estrutura de Poder Relações de Classe” in: Fausto, Boris (org) História Geral da Civilização Brasileira. Tomo III. O Brasil Republicano, 3 volume: Sociedade e Política (1930-1964). Rio de Janeiro: Editora Bertrand Brasil, Vol.10 - 9ª Ed. 2007.

FAUSTO, Boris. História concisa do Brasil. 2. ed.; 1. reimp. São Paulo: Edusp, 2008. 324 p.

HOLANDA, Sérgio Buarque de. Raízes do Brasil. 26 ed. São Paulo: Companhia das Letras, 2005. 220 p.

IANNI, Octavio. Estado e planejamento econômico no Brasil (1930-1970). Rio de Janeiro, RJ: Civilização Brasileira, [1971].

LOHBAUER, Christian. Brasil, Alemanha: fases de uma parceria, 1964-1999. São Paulo: Konrad-Adenauer-Stiftung, 2000. 199 p. (Pesquisa; n.19)

MOURA, Gerson. Autonomia na dependência: a política externa brasileira de 1935 a 1942. Rio de Janeiro, RJ: Nova Fronteira, 1980.

NOGUEIRA, João Pontes; MESSARI, Nizar. Teoria das relações internacionais: correntes e debates. Rio de Janeiro: Elsevier, 2005. 250 p.

PINHEIRO, Letícia. Política externa brasileira: (1889-2002). Rio de Janeiro: J. Zahar, 2004. 81 p. (Descobrindo o Brasil).

REID, Michael. O continente esquecido: a batalha pela alma latino-americana. In: ______. Sociedades em Mutação. Rio de Janeiro: Campus, 2008. 396p

SARFATI, Gilberto. Teorias de relações internacionais. 3. tir. São Paulo: Saraiva, 2007. 383 p.

SEMINÁRIO INTERNACIONAL "A REVOLUÇÃO DE 30", 1983, Brasília, DF. A revolução de 30. In: STEITENNFUS, Ricardo Antônio Silva (Org.). O difícil aprendizado de nacionalismo: As relações brasileiras com a Itália e a Alemanha, 1930-1942. Brasília: Ed. UnB, 1983. 722 p. (Coleção temas brasileiros; 54) p. 623-641.

SESSENTA anos de politica externa brasileira (1930-1990): crescimento, modernização e política externa. São Paulo: Cultura, 1996. 388 p.

SOARES, Frederico Lamengo de Teixeira. Análise econômica da parceria Brasil - Alemanha no contexto das relações entre o Mercosul e a União Européia. Rev. bras. polít. int. vol.43 no.2 Brasília July/Dec. 2000. Disponível em < http://dx.doi.org/10.1590/S0034-73292000000200004 >. Acesso em: 20 de março de 2012.

Publicado
2013-12-10
Como Citar
Santos, C. (2013). Relação entre Brasil e Alemanha: Equidistância pragmática e a busca pela autonomia nacional (1930-1961). IUS GENTIUM, 7(4), 27 - 52. https://doi.org/10.21880/ius gentium.v7i4.96
Seção
Artigos