Atuação do(a) assistente social em equipe multiprofissional na abordagem grupal com pessoas vivendo com HIV

Autores

  • Gabriela de Almeida Silva Universidade Federal de Alagoas
  • Andréa Pacheco de Mesquita Universidade Federal de Alagoas

Resumo

O estudo objetiva relatar experiência vivenciada por uma residente de Serviço Social, atuante em uma equipe multiprofissional, na abordagem grupal com pessoas que vivem com HIV no Serviço Ambulatorial Especializado (SAE) de um hospital universitário em Alagoas. A abordagem da pesquisa é de natureza qualitativa, do tipo relato de experiência, de caráter bibliográfico e documental. No levantamento bibliográfico foram consultados autores que discutem acerca da temática e dos elementos constituintes da realidade na qual se situa o objeto; para a pesquisa documental, foram utilizadas legislações e dados publicados referentes ao tema. A pesquisa bibliográfica se deu através da construção do estado da arte da pesquisa. A atuação por meio da abordagem grupal com pessoas vivendo com HIV, a partir do trabalho multiprofissional, possibilitou desvelar questões que traduzem o que está para além dos dados coletados pela equipe, permitindo a análise de como o conservadorismo presente na sociedade contribui para o isolamento dos/as usuários/as, bem como a importância do controle social como ferramenta para garantir o atendimento de qualidade e a necessidade do processo de reflexão sobre as demandas. As considerações finais desta experiência levam à necessidade de outros estudos, pesquisas e vivências em equipes multiprofissionais, visando à abordagem em grupo e tendo como perspectiva o resgate da cidadania de pessoas vivendo com HIV.

Palavras-chave: residência multiprofissional; Serviço Social; abordagem grupal; HIV.

Abstract

This study reports the experience of a Social Service resident working in a multidisciplinary team in a group approach to people living with HIV (PLHIV) in the Specialized Outpatient Service of a university hospital in Alagoas. The research approach is qualitative, of the experience report type, with a bibliographic and documentary character. The bibliographic survey consulted authors who discuss the theme and the constituent elements of the reality in which the object is located; for the documentary research, legislation and published data related to the subject were used. The bibliographical research took place through the construction of the state of the art of the research. Acting through a group approach with PLHIV, based on multidisciplinary work, made it possible to reveal questions that translate what lies beyond the data collected by the team, allowing the analysis of how the conservatism present in society contributes to the isolation of users, as well as the importance of social control as a tool to guarantee quality care and the need for a process of reflection on the demands. The final considerations of this experience lead to the need for other studies, research and experiences in multidisciplinary teams, aiming at a group approach and having as a perspective the rescue of citizenship of PLHIV.

Keywords: multiprofessional residence; Social Service; group approach; HIV.

Resumen

El objetivo de este estudio es relatar la experiencia de una residente de Trabajo Social que trabaja en un equipo multidisciplinario en el abordaje grupal a personas que viven con VIH en el Ambulatorio de Referencia de un hospital universitario en Alagoas. La investigación tiene un enfoque cualitativo, del tipo relato de experiencia, con base en fuentes bibliográficas y documentales. La investigación bibliográfica consultó autores que discuten el tema y los elementos constitutivos de la realidad en la cual el objeto está localizado. La investigación documental utilizó legislación y datos publicados relacionados con el tema. La investigación bibliográfica se llevó a cabo a través de la construcción del estado de la arte de la investigación. El trabajo grupal con personas que viven con VIH, basado en un trabajo multidisciplinario, permitió revelar cuestiones que traducen lo que está más allá de los datos recolectados por la equipo, permitiendo analizar cómo el conservadurismo presente en la sociedad contribuye para el aislamiento de los usuarios, así como la importancia del control social como herramienta para garantizar una atención de calidad y la necesidad de un proceso de reflexión sobre las demandas. Las consideraciones finales de esta experiencia conducen a la necesidad de otros estudios, investigaciones y experiencias en equipos multidisciplinarios, con enfoque en el abordaje grupal y con la perspectiva de rescatar la ciudadanía de las personas que viven con VIH.

Palabras clave: residencia multiprofesional; Trabajo Social; abordaje grupal; VIH.

Biografia do Autor

Gabriela de Almeida Silva, Universidade Federal de Alagoas

Assistente Social graduada pela Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Mestra em Serviço Social pelo Programa de Pós-Graduação em Serviço Social da Universidade Federal de Alagoas (PPGSS/UFAL). Residente no Programa de Residência Multiprofissional em Saúde na área do Adulto e do Idoso no Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA/UFAL).

Andréa Pacheco de Mesquita, Universidade Federal de Alagoas

Assistente Social, mestra em educação brasileira pela Universidade Federal do Ceará, doutora em estudos interdisciplinares em Mulher, Gênero e Feminismo pela Universidade Federal da Bahia. Tutora da Residência Multiprofissional em Saúde na área do Adulto e do Idoso pelo Hospital Universitário Professor Alberto Antunes (HUPAA/UFAL). Professora do curso de graduação e pós-graduação de Serviço Social da Faculdade de Serviço Social (FSSO) da Universidade Federal de Alagoas (UFAL). Líder do grupo Frida Kahlo/UFAL/CNPQ. 

Referências

ARAÚJO, Maria Helena de. O impacto da Adesão no Tratamento de HIV/AIDS no HD/HU/UFAL. Caderno Hospital Dia, Maceió, n. 2, dez. 2000.

ARAÚJO, Maria Helena de. et al. Assistência Social e sua contribuição no tratamento e na qualidade de vida dos pacientes com HIV/AIDS do Hospital Dia/HU/UFAL. Caderno Hospital Dia, Maceió, n. 3, ed. esp., dez. 2008.

ARAÚJO, Marize Barros de Souza; ROCHA, Paulo de Medeiros. Trabalho em equipe: um desafio para a consolidação da estratégia de saúde da família. Ciência & Saúde Coletiva, v. 12, n. 2, p. 455-464, 2007. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/vgK3yjGm6fBBxnXj6XZHzzq/?lang=pt. Acesso em: fev. 2023.

BRASIL. Lei nº 8.080, de 19 de setembro de 1990. Dispõe sobre as condições para promoção, proteção e recuperação da saúde, a organização e o funcionamento dos serviços correspondentes e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 20 set. 1990.

BRASIL. Lei nº 8.662, de 7 de junho de 1993. Dispõe sobre a profissão de assistente social e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 7 jun. 1993a.

BRASIL. Lei nº 8.742, de 7 de dezembro de 1993. Dispõe sobre a organização da Assistência Social e dá outras providências. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 7 dez. 1993b.

BRASIL. Lei nº 9.313, de novembro de 1996. Dispõe sobre a distribuição gratuita de medicamentos às pessoas que vivem com HIV. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 13 de nov. 1996.

BRASIL. Lei nº 14. 289, de 3 de janeiro de 2022. Torna obrigatória a preservação do sigilo sobre a condição de pessoa que vive com infecção pelos vírus da imunodeficiência humana (HIV) e das hepatites crônicas (HBV e HCV) e de pessoa com hanseníase e tuberculose, nos casos que estabelece; e altera a Lei n° 6.259, de 30 de outubro de 1975. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 3 de jan.. 2022.

COMISSÃO NACIONAL DE RESIDÊNCIA MULTIPROFISSIONAL EM SAÚDE (CNRMS). Resolução CNRMS nº 3, de 4 de maio de 2010. Dispõe sobre a duração e a carga horária dos programas de Residência Multiprofissional em Saúde e de Residência em Área Profissional da Saúde e sobre a avaliação e a frequência dos profissionais da saúde residentes. Diário Oficial da União, Brasília, DF, 5 maio 2010. Seção I, p. 14-15.

BRASIL. Ministério da Saúde. Política Nacional de Humanização: PNH. Brasília: Ministério da Saúde, 2013. Folheto.

BRASIL. Ministério da Saúde. Manual de adesão ao tratamento para pessoas vivendo com HIV e Aids. Brasília: Ministério da Saúde, 2008.

BRASIL. Ministério da Saúde. Boletim Epidemiológico HIV/Aids. Núm. esp., dez. 2022.

BRASIL. Ministério da Saúde. Mais de 52 mil jovens de 15 a 24 anos que vivem com HIV evoluíram para Aids nos últimos dez anos. fev. 2023. Disponível em: https://www.gov.br/saude/pt-br/assuntos/noticias/2023/fevereiro/mais-de-52-mil-jovens-de-15-a-24-anos-com-hiv-evoluiram-para-aids-nos-ultimos-dez-anos. Acesso em: mar. 2023.

BUSS, Paulo Marchiori; FILHO, Alberto Pellegrini. A saúde e seus determinantes sociais. Physis, Rio de Janeiro, v. 17, n. 1, p. 77-93, abr. 2007.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (CFESS). Código de Ética Profissional dos Assistentes Sociais. Resolução CFESS nº 273, de 13 de março de 1993. Brasília, DF, 1993.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (CFESS). Parâmetros para Atuação de Assistentes Sociais na Política de Saúde. Brasília: CFESS, 2014.

CONSELHO FEDERAL DE SERVIÇO SOCIAL (CFESS). Resolução CFESS Nº 557/2009 de 15 de setembro de 2009. Dispõe sobre a emissão de pareceres, laudos, opiniões técnicas conjuntos entre o assistente social e outros profissionais. Brasília, DF, 2009.

GOES, Alberta Emilia Dolores de. Reflexões sobre o cotidiano e a prática profissional no Serviço Social. Anais do XVI Encontro Nacional de Pesquisadores em Serviço Social, v. 1 n. 1, UFES, Vitória – ES, 2018. Disponível em: https://periodicos.ufes.br/abepss/article/view/23431. Acesso em: maio 2023.

IAMAMOTO, Marilda Villela. Projeto profissional, espaços ocupacionais e trabalho do assistente social na atualidade. In: Conselho Federal de Serviço Social (CFESS). (org.). Atribuições Privativas do(a) Assistente Social em questão. Brasília: CFESS, 2002.

JÚNIOR, Dimas Carnaúba. Atualização sobre a epidemia da AIDS no Brasil. Caderno Hospital Dia, Maceió, n. 1, jul. 1999.

NETO, Lauro Ferreira da Silva Pinto. et al. Protocolo brasileiro para Infecções Sexualmente Transmissíveis 2020: infecção pelo HIV em adolescentes e adultos. Epidemiol. Serv. Saúde, Brasília, v. 30, n. 1, e2020588, 2021.

NETTO, José. Paulo; CARVALHO, Maria do Carmo Brant de. Cotidiano: conhecimento e crítica. 10 ed. São Paulo: Cortez Editora, 2012.

PAIVA, Arthur Maia. Uma breve história da epidemia de AIDS em 10 anos de assistência no HUPAA. Caderno Hospital Dia, Maceió, n. 3, dez. 2008.

SCHRAIBER, Lilia Blima. et al. Planejamento, gestão e avaliação em saúde: identificando problemas. Rev. Ciênc. Saúde Colet., v. 4, n. 2, p. 221-42, 1999.

SILVA, Ana Paula Cardoso. et al. Serviço Social e saúde reprodutiva no HFSE um estudo dobre alienação na prática profissional. In: Encontro nacional de pesquisadores em Serviço Social, 16., 2018, Vitória, Espírito Santo. Anais [...]. Vitória (ES): UFES, 2018.

Downloads

Publicado

2023-08-30

Como Citar

DE ALMEIDA SILVA, G.; PACHECO DE MESQUITA, A. Atuação do(a) assistente social em equipe multiprofissional na abordagem grupal com pessoas vivendo com HIV. Humanidades em Perspectivas, [S. l.], v. 5, n. 10, p. 39–55, 2023. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/revista-humanidades/index.php/revista-humanidades/article/view/211. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos