Gênero e sexualidade na escola: caminhos para uma educação libertadora

  • Guilherme Carpes Motta UNINTER, URI e UFSM

Resumo

Resumo

O presente artigo pretende trazer à discussão um assunto que se faz cada vez mais necessário e pertinente dentro das salas de aula e que, diante da realidade, parece cada vez mais distante de se tornar uma prática entre mantenedores, gestores escolares e professores. Visando abordar a necessidade de se trabalhar gênero e sexualidade dentro da escola em suas mais variadas vertentes, diversidades e maneiras de se manifestar, é crucial oferecer informação para os profissionais da educação — já formados, ou em formação —, com o objetivo de desconstruir paradigmas sociais vigentes, assim como proporcionar uma nova visão sobre o tema, considerado polêmico entre os setores conservadores da sociedade. A partir da visão de educação libertadora de Paulo Freire, aliada à necessidade de trabalhar a temática de gênero e sexualidade na escola, pretende-se com este trabalho demonstrar que não se faz educação realmente libertadora enquanto houver opressão dentro dos muros da escola e que as opressões referentes aos aspectos de gênero e sexualidade são extremamente severas, tanto em sala de aula como em sociedade, cabendo à escola, em seu papel libertador, transformar tal realidade.

Palavras-chave: Gênero. Sexualidade. Libertação. Educação.

Abstract

The present article intends to bring to the discussion a subject that is becoming more and more necessary and pertinent within the classrooms and that, in face of reality, seems increasingly distant from becoming a practice among maintainers, school managers and teachers. In order to address the need to work on gender and sexuality within the school in its most varied aspects, diversity and ways of manifesting, it is crucial to offer information to education professionals — already graduated, or graduating —, with the objective of deconstructing current social issues, as well as providing a new view on the topic, considered controversial among the conservative sectors of society. Based on Paulo Freire's vision of liberating education, combined with the need to work on gender and sexuality at school, this work intends to demonstrate that there is no liberating education as long as there is oppression within the school walls and that oppression related to aspects of gender and sexuality is extremely severe, both in the classroom and in society, and it is up to the school, in its liberating role, to transform this reality.

Keywords: Gender. Sexuality. Liberation. Education.

Resumen

Este artículo pretende discutir un tema que se hace cada vez más necesario y pertinente en los salones de clase y que, frente a la realidad, parece cada vez más lejano de volverse una práctica entre responsables, gestores escolares y docentes. Con el fin de abordar la necesidad de trabajarse género y sexualidad en la escuela, en sus distintas vertientes, diversidades y formas de manifestarse, es fundamental ofrecerles información a los profesionales de la educación — graduados o en proceso de formación —, con el objetivo de desconstruir paradigmas sociales vigentes, así como presentarles una nueva visión sobre el tema, considerado polémico entre los sectores conservadores de la sociedad. A partir de la visión de educación liberadora de Paulo Freire, aliada a la necesidad de tratar el tema género y sexualidad en la escuela, este trabajo pretende demostrar que no se hace una educación realmente liberadora mientras haya opresión dentro de los muros de la escuela y que la opresión referida a los aspectos de género y sexualidad es extremadamente severa, tanto en el salón de clases como en la sociedad; le cabe a la escuela, en su rol liberador, transformar esa realidad.

Palabras-clave: Género. Sexualidad. Liberación. Educación.

Biografia do Autor

Guilherme Carpes Motta, UNINTER, URI e UFSM
Pedagogo pela Universidade Regional Integrada do Alto Uruguai e das Missões – URI Campus Santiago, especialista em Psicopedagogia Clínica e Institucional e Licenciando em Filosofia pelo Centro Universitário Internacional – UNINTER e Bacharelando em Filosofia pela Universidade Federal de Santa Maria – UFSM. Atualmente é professor de filosofia e sociologia e professor alfabetizador no Gênius Cursos Preparatórios em Santa Maria – RS.

Referências

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo I: fatos e mitos. 4. ed. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1970.

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo II: a experiência vivida. 2.ed. São Paulo: Difusão Europeia do Livro, 1967.

BRASIL. Caderno escola sem homofobia. 1. ed. Brasília-DF: MEC, 2011. Disponível em: http://revistaescola.abril.com.br/pdf/kit-gay-escola-sem-homofobia-mec.pdf. Acessado em 18/10/2015.

BUTLER, Judith. Problemas de gênero: feminismo e subversão da identidade. 10. ed. Rio de Janeiro: Civilização Brasileira, 2016.

LOURO, Guacira Lopes (org). Corpo educado: pedagogia das sexualidades. 2. ed. Belo Horizonte: Autêntica, 2000.

FAVERO, Sofia. A quem pertence o espaço público? Quem não é considerado humano, logo, passa a não ser e deixa de ter necessidades fisiológicas? In: RIO GRANDE DO SUL, Assembleia Legislativa, PSOL. Direitos LGBTs: Conheça o que foi conquistado e lute por mais direitos. 1. ed. Porto Alegre: Assembleia Legislativa; PSOL, 2015.

FREIRE, Paulo. Pedagogia do oprimido. 54. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2013.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da esperança: um reencontro com a pedagogia do oprimido. 21. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2014.

FREIRE, Paulo. Pedagogia da autonomia: Saberes necessários à prática educativa. 51. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2015.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

MEYER, Dagmar Estermann. Gênero e educação: teoria e política. In: FELIPE, Jane; GOELLNER, Silvana Vilodre; LOURO, Guacira Lopes (org.). Corpo, gênero e sexualidade: um debate contemporâneo na educação. 5. ed. Petrópolis, RJ: Vozes, 2010.

NINO, Aldones; PIVA, Paulo Jonas de Lima. O cotidiano escolar e os impactos da teoria queer face à pedagogia heterossexista. Sapere Aude, Belo Horizonte, v. 4, n. 7, p. 501-505, 2013. ISSN: 2177-6342.

SCOTT, Joan. Gênero: uma categoria útil para análise histórica. Educação e Realidade, Porto Alegre, v. 20, n. 2, 1995. Disponível em: https://seer.ufrgs.br/educacaoerealidade/article/view/71721/40667. Acessado em: 22/06/2016.

Publicado
2020-11-16
Seção
Artigos