Uso de plantas medicinais por idosos de uma unidade de saúde em São José dos Pinhais – PR

  • Samantha Queiroz de Faria Lima
  • Vinicius Bednarczuk de Oliveira Centro Universitário Internacional - UNINTER

Resumo

O uso medicinal de plantas é comum entre idosos, como parte da prática terapêutica popular, isto é, do tratamento geralmente empregado pela população como alternativa para curar doenças. A partir disto, esta pesquisa quantitativa transversal, através de um questionário autoaplicável, avalia o uso tradicional de plantas por idosos em uma unidade de saúde localizada em São José do Pinhais-PR. Foram verificadas as principais plantas utilizadas e indicadas pelos participantes do estudo, bem como as recomendações de uso. Apesar do conhecimento empírico dos idosos, a falta de aconselhamento profissional qualificado para trabalhar com fitoterapia, como de farmacêuticos, pode levar a interações medicamentosas com efeitos adversos, intoxicação e outros riscos à saúde.

Palavras-chave: plantas medicinais; fitoterápicos; SUS; idosos.

Abstract

The medicinal use of plants is common among the elderly, as part of the popular therapeutic practice, i.e., the treatment usually employed by the population as an alternative to cure diseases. Based on this, this cross-sectional quantitative research, through a self-administered questionnaire, assessed the traditional use of medicinal plants by the elderly in a healthcare unit located in São José dos Pinhais-PR. The main plants used and indicated by the study participants were verified, as well as the use recommendations. Despite the empirical knowledge of the elderly, the lack of advice from health professionals qualified to work in herbal medicine, such as pharmacists, can lead to drug interactions with adverse effects, intoxication, and other health risks.

Keywords: medicinal plants; herbal drugs; SUS; elderly.

Resumen

El uso medicinal de plantas es común entre personas mayores, como parte de la práctica terapéutica popular, es decir, del tratamiento usualmente utilizado por la población como alternativa para la cura de enfermedades. A partir de eso, esta investigación, de carácter cuantitativo transversal, hecha por medio de un cuestionario autoaplicable, evalúa el uso tradicional de plantas medicinales por personas mayores de una unidad de salud ubicada en São José dos Pinhais – PR. Se identificaron las principales plantas utilizadas e indicadas por los participantes del estudio, así como las recomendaciones para su uso. A pesar del conocimiento empírico de las personas mayores, el no recurrir a la orientación de profesionales de la salud capacitados para trabajar con la fitoterapia, como el farmacéutico, puede generar interacciones medicamentosas, con efectos adversos, intoxicación, entre otros riesgos para la salud.

Palabras-clave: plantas medicinales; fitoterápicos; SUS; personas mayores.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Samantha Queiroz de Faria Lima

Acadêmica do curso de farmácia do Centro Universitário Campos de Andrade, Curitiba, Brasil.

Vinicius Bednarczuk de Oliveira, Centro Universitário Internacional - UNINTER

Professor do Centro Universitário Internacional – UNINTER.

Referências

Balbinot S, Velasquez PG, Düsman E. Reconhecimento e uso de plantas medicinais pelos idosos do Município de Marmeleiro – Paraná. Rev. Bras. Plantas Med. 2013;15(4 supl. 1):632-638. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-05722013000500002

Veiga Junior VF, Pinto AC, Maciel MAM. Plantas medicinais: cura segura. Quím. Nova. 2005;28(3):519-528. DOI: https://doi.org/10.1590/S0100-40422005000300026

Brasil. Agência Nacional De Vigilância Sanitária — Anvisa. Resolução nº 26, 13 de maio de 2014. Dispõe sobre o registro de medicamentos fitoterápicos e o registro e a notificação de produtos tradicionais fitoterápicos. Diário Oficial da União. 13 mai. 2014; (90 seção 1): 52.

Brasil. Ministério da Saúde. Portaria n° 971, de 13 de maio de 2006. Aprova a Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares (PNPIC) no Sistema Único de Saúde. Diário Oficial da União. 4 mai. 2006;(91 seção 1):73.

Pereira ARA, Velho APM, Cortez DAG, Szerwieski LLD, Cortez LER. Traditional use of medicinal plants by elderly. Rev. Rene. 2016;17(3):427-34. DOI: https://doi.org/10.15253/2175-6783.2016000300018

Magalhães NO. Fitovigilância de Plantas Medicinais e Fitoterápicos usados por pacientes atendidos em Clínica de Hipertensão de Araraquara [TCC]. Araraquara: Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho; 2012. 90 p.

Evangelista KA. O uso de plantas medicinais por idosos atendidos em unidades de saúde da família da região sul de Palmas — TO [TCC]. Palmas: Centro Universitário Luterano de Palmas; 2016. 54 p.

Meneses ALL, Barreto Sá ML. Atenção farmacêutica ao idoso: fundamentos e propostas. Geriatr., Gerontol. Aging [internet]. 2010;4(3):154-161.

Silva AB, Araújo CRF, Mariz SR, Meneses AB, Coutinho MS, Alves RBS. O uso de plantas medicinais por idosos usuários de uma unidade básica de saúde da família. Rev. Enferm. UFPE [internet]. 2015;9(3):7636-7643. DOI: 10.5205/reuol.7049-61452-1-ED.0903supl201517

Pilla MAC, Amorozo MCM, Furlan A. Obtenção e uso das plantas medicinais no distrito de Martim Francisco, Município de Mogi-Mirim, SP, Brasil. Acta. Bot. Bras. 2006;20(4):789-802. DOI: https://doi.org/10.1590/S0102-33062006000400005

Albertasse PD, Thomaz LD, Andrade MA. Plantas medicinais e seus usos na comunidade da Barra do Jucu, Vila Velha, ES. Rev. Bras. Plantas Med. 2010;12(3):250-260. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-05722010000300002

Portela JLR, Mionis D, Figueiredo E, Tavares G, Manfredini V, Farias F. Revisão sobre a utilização de plantas medicinais por Idosos no Brasil. In: Anais do 4º Salão Internacional de Ensino, Pesquisa e Extensão [internet]; 2012 26-28 nov.; Bagé, RS. Bagé: Unipampa – Campus Bagé; 2012;4(3).

Lopes MA, Nogueira IS, Obici S, Albiero ALM. Estudo das plantas medicinais, utilizadas pelos pacientes atendidos no programa Estratégia saúde da família em Maringá/PR/Brasil. Rev. Bras. Plantas Med. 2015;17(4 supl. 1):702-6. DOI: https://doi.org/10.1590/1983-084X/12_173

Brasil. Ministério da Saúde. Memento Fitoterápico [acesso em 22 jun. 2021]. 2014. Disponível em: http://portal.anvisa.gov.br/documents/33832/259456/Suplemento+FFFB.pdf/478d1f83-7a0d-48aa-9815-37dbc6b29f9a

Unifal. RENISUS — Relação Nacional de Plantas Medicinais de Interesse ao SUS [internet]. Alfenas: Universidade Federal de Alfenas; 2009. [acesso em 22 jun. 2021]. Disponível em: https://www.unifal-mg.edu.br/hpmed/files/RENISUS.pdf

Szerwieski LLD, Garcia Cortez DA, Bennemann RM, Silva ES, Cortez LER. Uso de plantas medicinais por idosos da atenção primária. Rev. Eletr. Enferm. [internet]. 2017;19:1-11. DOI: http://dx.doi.org/10.5216/ree.v19.42009

Oliveira TL, Neri GF, Oliveira VJS, Brito NM. Utilização de plantas medicinais por idosos em três bairros do município de Conceição do Almeida-BA [acesso em 22 jun. 2021]. Journal of Biology & Pharmacy and Agricultural Management. 2018;14(2):138-51. ISSN 1983-4209 Disponível em: http://revista.uepb.edu.br/index.php/biofarm/article/view/3947

Ianck MA, Moraes EF, Mezzomo TR, Oliveira VB. Conhecimento e uso de plantas medicinais por usuários de unidades básicas de saúde na região de Colombo-PR [acesso em 22 jun. 2021]. Revista Saúde e Desenvolvimento. 2017;11(8):29-30. ISSN 2316-2864 Disponível em: https://www.revistasuninter.com/revistasaude/index.php/saudeDesenvolvimento/article/view/757

Schwambach KH, Amador TA. Estudo da Utilização de Plantas Medicinais e Medicamentos em um Município do Sul do Brasil [acesso em 22 jun. 2021]. Acta Farm. Bonaer. 2007;26(4);602-608. Disponível em: http://www.latamjpharm.org/trabajos/26/4/LAJOP_26_4_4_4_X2943KW5C0.pdf

Rodrigues HG, Meireles CG, Lima JTS, Toledo GP, Cardoso JL, Gomes SL. Efeito embriotóxico, teratogênico e abortivo de plantas medicinais. Rev. Bras. Plantas Med. 2011;13(3):359-366. DOI: https://doi.org/10.1590/S1516-05722011000300016

Moreira RCT, Costa LCB, Costa RCS, Rocha EA. Abordagem etnobotânica acerca do uso de plantas medicinais na Vila Cachoeira, Ilhéus, Bahia, Brasil [acesso em 22 jun. 2021]. Acta Farm. Bonaer. 2002;21(3):205-2011. Disponível em: http://www.latamjpharm.org/trabajos/21/3/LAJOP_21_3_3_1_L8H8YN8M78.pdf

Arnous AH, Santos AS, Beinner RPC. Plantas medicinais de uso caseiro —conhecimento popular e interesse por cultivo comunitário. Rev. espaço saúde. 2005;6(2):1-6.

Publicado
2021-07-14
Seção
Artigos