Diagnóstico atual e propostas para o planejamento do uso turístico sustentável da cachoeira da chave (Votorantim – SP)

Autores

  • Victor Renan de Barros UFSCar
  • Heros Augusto Santos Lobo UFSCar

Resumo

O planejamento do turismo em áreas naturais está fundado no ordenamento territorial, por meio do que se fazem propostas de gestão e uso estratégicos dos recursos naturais e sociais. Quando aplicado aos potenciais atrativos turísticos, seu enfoque deve ser de correção das atividades turísticas irregulares. O objetivo da pesquisa apresentada a seguir foi analisar o uso turístico da Cachoeira da Chave, situada em uma propriedade pública do município de Votorantim-SP, a fim de propor diretrizes iniciais para uma gestão sustentável do local. Os resultados do estudo evidenciaram que a maioria do público frequentador da cachoeira é local e regional, formado sobretudo por jovens com baixo grau de escolaridade. A avaliação geral do ponto turístico mostrou o uso recreativo das águas como principal fator para visitação, embora o rio seja reconhecidamente poluído. A satisfação dos visitantes é elevada, apesar de apontarem diversos aspectos de infraestrutura, gestão e segurança que precisam melhorar. Isto evidencia a necessidade de ações de educação e sensibilização dos usuários, assim como de melhorias significativas para o planejamento e a gestão do uso do espaço da Cachoeira da Chave.

 

Palavras-chave: turismo sustentável; sustentabilidade; educação ambiental; lazer urbano.

Abstract

Tourism planning in natural areas is based on territorial planning, through which proposals are made for the strategic management and use of natural and social resources. When applied to potential tourist attractions, its focus should be on correcting irregular tourist activities. The objective of the research presented below was to analyze the tourist use of Cachoeira da Chave, located on a public property in the municipality of Votorantim-SP, and propose initial guidelines for sustainable management of the site. The results of the study showed that most of the public attending the waterfall is local and regional, formed mainly by young people with low levels of education. The general evaluation of the tourist spot showed the recreational use of the waters as the main factor for visitation, although the river is known to be polluted. Visitor satisfaction is high, although they point out several aspects of infrastructure, management, and safety that need to be improved. This highlights the need for user education and awareness actions, as well as significant improvements to the planning and management of the use of the Chave Waterfall space.

Keywords: sustainable tourism; sustainability; environment education; urban leisure.

Resumen

La planificación turística en espacios naturales se fundamenta en el ordenamiento territorial, mediante el cual se diseñan propuestas estratégicas de manejo y uso de los recursos naturales y sociales. Cuando ella se aplica a las atracciones turísticas potenciales, su enfoque debe orientarse a la corrección de actividades turísticas irregulares. La investigación que se presenta a continuación tuvo como objetivo analizar el uso turístico de Cachoeira da Chave, ubicada en una propiedad pública en el municipio de Votorantim-SP, con el fin de proponer directrices iniciales para la gestión sostenible del lugar. Los resultados del estudio mostraron que la mayor parte del público que frecuenta la cascada es local y regional, formado principalmente por jóvenes con bajo nivel educativo. La evaluación general del sitio turístico mostró el uso recreativo del agua como un factor primordial para la visita, aunque se reconoce que el río está contaminado. La satisfacción de los visitantes es alta, a pesar de señalar diversos aspectos de infraestructura, gestión y seguridad que deben mejorarse. Esto resalta la necesidad de acciones de educación y sensibilización de los usuarios, así como de mejoras significativas en la planificación y gestión del uso del espacio de Cachoeira da Chave.

Palabras-clave: turismo sostenible; sustentabilidad; educación ambiental; ocio urbano.

Biografia do Autor

Victor Renan de Barros, UFSCar

Bacharel em Turismo

Referências

BRASIL. [Constituição (1988)]. Constituição da República Federativa do Brasil de 1988. Brasília, DF: Presidência da República, [2023]. Disponível em: http://www.planalto.gov.br/ccivil_03/constituicao/constituicao.htm. Acesso em: 18 jul. 2023.

FERNANDES, I. L. C. A fórmula da sustentabilidade dissolvida em desenvolvimento persiste como solução para as mazelas do planeta? Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade, Curitiba, v .9, n. 18, p. 5-16, 2020.

FREITAS, V. P. Cachoeiras, Exploração Econômica e Proteção do Meio Ambiente. Veredas do Direito, Belo Horizonte, v. 12, n. 23, p. 217-234, 2015.

GABRIELLI, C. P. Turismo responsável: caminhos possíveis? Revista de Turismo Contemporâneo, Natal, v. 5, n. 1, p. 81-97, 2017.

HANAI, F. Y. Desenvolvimento Sustentável e Sustentabilidade do Turismo: Conceitos, Reflexões e Perspectivas. Revista Brasileira de Gestão e Desenvolvimento Regional, Taubaté, v. 8, n. 1, p. 198-231, 2012.

HARDY, A.; BEETON, R. J. S.; PEARSON, L. Sustainable tourism: an overview of the concept and its position in relation to conceptualization of tourism. Journal of Sustainable Tourism, [s. l.], v. 10, n. 6, p. 496, 2002.

LOBO, H. A. S. Trajetórias do ideário de natureza e seus reflexos no turismo contemporâneo. In: MORETTI, E. C. (org.). Olhares geográficos: produção social da natureza. 1. ed. Porto Alegre: TotalBooks, 2020. p. 192-214.

LOVELOCK, J. Gaia: Cura Para Um Planeta Doente. São Paulo: Cultrix, 2007.

MEDEIROS, L. C. Turismo e sustentabilidade ambiental: referências para o desenvolvimento de um turismo sustentável. Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade, Curitiba, v. 3, n. 2, p. 197-234, 2013.

MOUSINHO, P. Glossário. In: TRIGUEIRO, A. Meio ambiente no século 21. Rio de Janeiro: Sextante, 2003. p. 350.

NOVAES, W. ECO-92: avanços e interrogações. Estudos Avançados, São Paulo, v. 6, n. 15, p. 79-93, 1992.

QUINTAS, J. S. Educação no Processo de Gestão Ambiental: Uma Proposta de Educação Ambiental Transformadora e Emancipatória. In: MINISTÉRIO DO MEIO AMBIENTE. Identidades da Educação Ambiental Brasileira. Brasília: MMA, 2004. p. 113-140.

SACHS, I. Ecodesenvolvimento: crescer sem destruir. São Paulo: Vértice, 1986.

SACHS, I. Estratégias de transição para o século XXI: desenvolvimento e meio ambiente. São Paulo: Nobel, 1993.

SCHEUER, J. M.; NEVES, S. M. A. da S. Planejamento urbano, áreas verdes e qualidade de vida. Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade, Curitiba, v. 11, n. 05, p. 74-89, 2016.

SILVA, A. E.; MARCHETTO, M. A Percepção da Educação Ambiental no Ensino de Jovens e Adultos – EJA Escola Estadual Antônio Aggio – São Paulo Capital. E&S – Engineering and Science, [s. l.], v. 2, n. 4, p. 102-112, 2015.

SILVA, C. Nossa História Nossa Gente. Sorocaba: Crearte, 2014.

VISITANTES reclamam da água esverdeada na cachoeira da Chave em Votorantim. G1, Sococaba e Jundiaí, 7 dez. 2018. SP. Sorocaba e Jundiaí. Disponível em: https://g1.globo.com/sp/sorocaba-jundiai/noticia/2018/12/07/visitantes-reclamam-de-agua-esverdeada-na-cachoeira-da-chave-em-votorantim.ghtml. Acesso em: 7 dez. 2018.

VOTORANTIM. Plano Diretor de Turismo. Votorantim: Prefeitura Municipal de Votorantim, Secretaria de Cultura, Turismo e Lazer, 2017.

WCED. Our common Future. Oxford: Oxford University Press, 1987.

Downloads

Publicado

2023-08-03

Como Citar

RENAN DE BARROS, V.; SANTOS LOBO, H. A. Diagnóstico atual e propostas para o planejamento do uso turístico sustentável da cachoeira da chave (Votorantim – SP). Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade, [S. l.], v. 12, n. 24, p. 75–89, 2023. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/revistameioambiente/index.php/meioAmbiente/article/view/1077. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigo