Poaia, ciclo extrativista da economia do Vale do Rio Carangola

Autores

  • Márcia Aparecida de Souza SEEDUC-RJ
  • Henrique Cunha Júnior Universidade Federal do Ceará

Resumo

O Vale do Rio Carangola pertencente à Zona da Mata Mineira, com extensão territorial para o noroeste fluminense, região ainda pouco documentada nos estudos acadêmicos. O primeiro ciclo econômico da região baseou-se na extração da erva poaia até seu esgotamento. Neste artigo, apresentamos os aspectos botânico, econômico, geográfico e histórico dessa planta. Bibliográfica e exploratória, a pesquisa se apoia em percursos e entrevistas na região. O artigo trata dos temas referentes à botânica da planta e suas propriedades medicinais, à importância comercial, aos estudos científicos e ao esgotamento da espécie.

Palavras-chave: poaia; Vale do Rio Carangola; economia do Vale do Rio Carangola; percurso socio-geográfico-histórico do rio Carangola.

Abstract

The Carangola River Valley belongs to the Zona da Mata Mineira, the forest zone of Minas Gerais State. This geographic region extends its territory to the Rio de Janeiro Northwest and has been documented in very few academic studies. The Valley’s first economic cycle was based on Brazil Pusley extraction until it depletes. We present in this paper the botanical, economic, geographic and historical aspects of this plant. Bibliographic and exploratory, the research is based on pathways and interviews in the region. The article deals with themes on the plant’s botanic, medicinal properties, trade importance, scientific studies and deplete of the species.

Keywords:  Brazil pusley; carangola river valley; carangola river valley economy; socio-geographic-historial route of the carangola river.

Resumen

El valle del río Carangola es una región perteneciente a la Zona da Mata Mineira con extensión de territorio hacia el noroeste fluminense, región aún poco documentada en estudios académicos. La primera actividad de la economía de la región fue la extracción de la ipecacuana, que se hizo hasta su agotamiento. En este artículo presentamos diversos aspectos de esa planta, desde el punto de vista botánico, económico, geográfico e histórico. La investigación tiene carácter bibliográfico y exploratorio — en recorridos por la región — y realización de entrevistas. El artículo trata temas relativos a la botánica de la planta, sus propiedades medicinales, la importancia del comercio de ese vegetal, de los estudios realizados sobre la hierba y también sobre el agotamiento de la especie.

Palabras-clave: ipecacuana; valle del río Carangola; economía del valle del río Carangola; recorrido socio-geográfico-histórico del río Carangola.

Biografia do Autor

Márcia Aparecida de Souza, SEEDUC-RJ

Mestre em ensino (UFF).

Henrique Cunha Júnior , Universidade Federal do Ceará

Doutor em Engenharia Elétrica (UFC).

Referências

ABREU, Karla Maria Pedra de. Estrutura, florística e diversidade de fragmentos de floresta estacional semidecidual no Norte-Noroeste fluminense. 2013. 214 f. Tese (Doutorado em Ecologia e Recursos Naturais) — Centro de Biociências e Biotecnologia, Universidade Estadual do Norte Fluminense Darcy Ribeiro, Campos dos Goytacazes, 2013.

CARNEIRO, Patrício Aureliano Silva. Conquista e povoamento de uma fronteira: a formação regional da Zona da Mata no Leste da Capitania de Minas Gerais (1694-1835). 2008. 295 f. Dissertação (Mestrado em Geografia) — Universidade Federal de Minas Gerais, Belo Horizonte, 2008. Disponível em: https://repositorio.ufmg.br/bitstream/1843/MPBB-7CUF2D/1/disserta__o_de_mestrado_patricio_2008.pdf. Acesso em: 20 fev. 2021.

CARVALHO, R. A. B. Imigrantes italianos em uma nova fronteira: Noroeste Fluminense (1896-1930). 2001. 135 f. Dissertação (Mestrado em História Social do Trabalho) — Universidade Severino Sombra, Vassouras, 2001.

CORRÊA Márcio Xavier. Ensaio bibliográfico sobre a economia da poaia na Zona da Mata Mineira. In: CICLO DE ESTUDOS HISTÓRICOS, 20., 2010, Ilhéus. Anais [...]. Ilhéus: Universidade Estadual de Santa Cruz, 2010.

CORRÊA, Márcio Xavier. Memória sobre a economia extrativa da poaia. 2012. 166 f. Dissertação (Mestrado em História) — Universidade Federal de Juiz de Fora, Juiz de Fora, 2012.

CORRÊA, Márcio Xavier. A prescrição terapêutica de ipecacuanha nas práticas médicas (século XIX). In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 29., 2017, Brasília. Anais [...]. Brasília: ANPUH/UNB, 2017. Tema: Contra os preconceitos: História e democracia. Disponível em: https://www.snh2017.anpuh.org/resources/anais/54/1502109808_ARQUIVO_textoANPUH2017MarcioCorrea.pdf . Acesso em: fev.2021

CUNHA JUNIOR, H. Metodologia afrodescendente em pesquisa. Ethnos Brasil, São Paulo, v. 6, p. 69-80, 2008.

IGLÉSIAS, Francisco. Minas Gerais. In: HOLANDA, Sérgio Buarque de (org.). História Geral da Civilização Brasileira: o Brasil Monárquico. São Paulo: Difusão Européia do Livro, 1972. p. 364-412. v. 2, t. 2.

LAMEIRA, O. A. Cultivo da ipecacuanha [Psychotria ipecacuanha (Brot.) Stokes]. Belém: Embrapa Amazônia Oriental. 2002. p. 1-4. (Circular Técnica n. 28).

MARTINS, E. R.; OLIVEIRA, L. O. Conservação da poaia (Psychotria ipecacuanha Standl.): I Estratégias de Localização de populações e etnobotânica. Rev. Bras. Pl. Med., Botucatu, v. 7, n. 1, p. 6-10, 2004.

MONTEIRO, Eugenia del Carmen Quilodrán Briones. Experiências instituintes no sistema público de ensino: o caso de Natividade. 2005. Dissertação (Mestrado em Educação) — Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal Fluminense, Niterói, 2005.

NETTO, Marcos Mergarejo; DINIZ, Alexandre M. A. A formação geo-histórica da Zona da Mata de Minas Gerais. R. RA´E GA, Curitiba, n. 12, p. 21-34, 2006.

OLIVEIRA, Carlos Edinei de. Universo da poaia e seu patrimônio cultural: marcas do tempo de Rondon e da coluna Prestes. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 27., 2013, Natal-RN. Anais [...]. Natal: ANUH, 2013. Disponível em: anpuh.org.br/uploads/anais-simposios/pdf/2019-01/1548874924_00e3edd043ab329144352bfeaae9fb50.pdf. Acesso em: fev. 2021.

PEDROSA, Manuel Xavier de Vasconcelos. Zona silenciosa da historiografia mineira — a Zona da Mata. Revista do Instituto Histórico e Geográfico de Minas Gerais, Belo Horizonte, v. 9, p. 189-230, 1962.

RAW, Isaias; SANT’ANNA, Osvaldo A. Aventuras da microbiologia. 1. ed. São Paulo: Harcker Editores, 2002.

SILVA, M. M. da; CUNHA JUNIOR, H. Percursos urbanos como forma de pesquisar o patrimônio afrocratense. Geotextos (online), Salvador, v. 15, p. 199, 2019.

SILVA, Renata Aquino da. Afroinscrições negras em Petrópolis: História urbana, Memória e Territorialidade. 2018. Tese (Doutorado em Educação) — Programa de Pós-Graduação em Educação, Universidade Federal do Ceará, Fortaleza, 2018.

SOUZA, M. A.; CUNHA JUNIOR, H. Bairros negros e suas formações na cidade de Natividade-RJ. In: CUNHA JÚNIOR, Henrique; BIÉ, Estanislau Ferreira (orgs.). Bairros negros, cidades negras. 1. ed. Fortaleza-CE: Via Dourada, 2019. v. 1, p. 01-280.

TUPINI, Mônica Teixeira; VARGAS, Evandro Francisco Marques. Da planta para a língua: Uma análise das representações sociais sobre a puaia em Bom Jesus do Itabapoana. Cadernos do CNLF, Rio de Janeiro, v. 19, n. 12, 2015. Sociolinguística, Dialetologia e Geolinguística.

VALVERDE, Orlando. Estudo regional da Zona da Mata de Minas Gerais. Revista Brasileira de Geografia, Rio de Janeiro, n. 20, n. 1, jan./mar. 1958.

Downloads

Publicado

2023-04-10

Como Citar

APARECIDA DE SOUZA, M.; CUNHA JÚNIOR , H. Poaia, ciclo extrativista da economia do Vale do Rio Carangola. Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade, [S. l.], v. 11, n. 23, p. 45–57, 2023. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/revistameioambiente/index.php/meioAmbiente/article/view/1043. Acesso em: 19 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigo