Utopia e distopia da ecologia política, meio ambiente e justiça ambiental

  • Uilmer Rodrigues Xavier da Cruz Doutorando em Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Bolsista de doutorado da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG).
  • Ricardo Alexandrino Garcia Professor Associado da Universidade Federal de Minas Gerais , Brasil

Resumo

Resumo

Ao longo dos anos, a Geografia demonstra grande preocupação com a relação inerente entre o homem e a natureza. Não é possível deixar de notar a associação existente entre a degradação ambiental, a desigualdade social e as práticas capitalistas de exploração e esgotamento dos recursos naturais. Tal ligação evoca o conceito de justiça social e seus aspectos, discutidos neste ensaio, o qual considera as relações sociais, de poder, e o meio ambiente, observa a possibilidade de equidade na distribuição de recursos, e compreende a perspectiva que conecta a desigualdade ambiental à desigualdade social.

Palavras-chave: Ecologia política. Meio ambiente. Justiça ambiental.

Abstract 

Over the years, Geography has shown great concern upon the inherent relationship between man and nature. One cannot fail to notice the relationship between environmental degradation, social inequality, and capitalist practices of exploitation and depletion of natural resources. Such association evokes the social justice concept and its aspects, discussed in this essay, which considers social and power relations and the environment, observes equity possibility in resources distribution, and understands the perspective that connects environmental inequality to social inequality.

Keywords: Political Ecology. Environment. Environmental Justice.

Resumen

A lo largo de los años, la Geografía ha demostrado gran preocupación por la relación inherente entre el hombre y la naturaleza. No es posible dejar de percibir la asociación entre la degradación del ambiente, la desigualdad social y las prácticas capitalistas de explotación y agotamiento de los recursos naturales. Tal vínculo evoca el concepto de justicia social y sus aspectos, discutidos en este ensayo, que considera las relaciones sociales de poder y el medioambiente, observa la posibilidad de equidad en la distribución de recursos y comprende la perspectiva que conecta la desigualdad ambiental a la desigualdad social.

Palabras-clave: Ecología política. Medioambiente. Justicia ambiental.

Biografia do Autor

Uilmer Rodrigues Xavier da Cruz, Doutorando em Geografia da Universidade Federal de Minas Gerais - UFMG. Bolsista de doutorado da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG).

Doutorando em Geografia pela Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG), Bolsista de doutorado da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de Minas Gerais (FAPEMIG) (2020). Mestre em Geografia pela Universidade do Estado do Rio de Janeiro (UERJ) (2019), Graduação em Geografia - Ênfase em Sistemas de Informações Geográficas pela Pontifícia Universidade Católica de Minas Gerais (PUC-MG) (2008). Interesse de investigação: Rede de reciclagem, cadeia globais, circuitos da economia urbana, produção social do trabalho, narrativas do poder e espaço, políticas públicas de coleta seletiva, gestão integrada de resíduos sólidos, tecnologias sociais para gestão integrada de resíduos sólidos. Responsável por implantar o software CATAsig, PLACAR DA RECICLAGEM e por ministrar cursos, palestras, capacitações em várias cooperativas de catadores no estado da Bahia, São Paulo, Rio de Janeiro e Minas Gerais.

Ricardo Alexandrino Garcia, Professor Associado da Universidade Federal de Minas Gerais , Brasil

Professor do departamento de Geografia do Instituto de Geociências (IGC) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e coordena, desde 2010, o Laboratório de Estudos Territoriais (LESTE/IGC/UFMG); foi o Coordenador do Programa de Pós-graduação em Geografia (2015-2019), sub-coordenou o programa de Pós-graduação em Análise e Modelagem de Sistemas Ambientais (2013-2015), sub-chefiou o departamento de Geografia (2014-2015) e foi o diretor do Instituto Casa da Glória (Eschwege) entre 2010 e 2013, todos vindulados ao IGC/UFMG; é o editor chefe do Cadernos do Leste (1679-5806), editor da revista Geografias (1808-8058), revisor de diversos periódicos científicos e lidera o grupo de pesquisa em Geografia Aplicada (CNPq). Possui mestrado (2000) e doutorado (2002) em Demografia pela UFMG e graduação em Psicologia (1995) pela USP. Tem experiência de pesquisa em geografia regional, métodos de análise regional e desenvolvimento econômico; geografia aplicada, distribuição espacial das atividades econômicas e regionalização; teoria e métodos quantitativos, modelos estocásticos, multivariados e espaciais, e modelagem de sistemas, geoprocessamento e modelos espacialmente explícitos; projeção populacional, com ênfase nos modelos de componentes da dinâmica demográfica e de pequenas áreas; distribuição espacial da população, movimentos populacionais e migração. Vem publicando e orientando, ultimamente, diversos trabalhos acadêmicos nas áreas da Geografia Econômica, Planejamento Urbano e Regional, Ciências Ambientais, Demografia e Economia Regional

Publicado
2021-06-04
Como Citar
RODRIGUES XAVIER DA CRUZ, U.; ALEXANDRINO GARCIA, R. Utopia e distopia da ecologia política, meio ambiente e justiça ambiental. Revista Meio Ambiente e Sustentabilidade, v. 10, n. 20, p. 59-71, 4 jun. 2021.
Seção
Artigo