Principais interações entre plantas medicinais e medicamentos

  • Ana Luiza Chrominski Carneiro Uninter
  • Larissa Comarella

Resumo

RESUMO

Com o objetivo de pesquisar as principais interações entre os medicamentos e as plantas medicinais, bem como suas consequências e prevenção, o presente trabalho apresenta relatos de diversos autores de interações ocorridas entre as plantas popularmente conhecidas como ginkgo biloba, ginseng, hipérico, kavakava, alho, camomila, castanha da índia, gengibre, chá verde, eucalipto e alcachofra com alguns medicamentos. Esses fatos, geralmente são desconhecidos pela população que tem a falsa impressão de que plantas medicinais são livres de perigos devido a fatores culturais que se consolidou ainda mais com saberes e práticas desse uso tradicional durante vários anos. Se faz necessária uma conscientização da população, e também dos profissionais de saúde para que possam orientar esses pacientes, atuando na prevenção da intoxicação, interação medicamentosa e da automedicação, já que em sua maioria, o consumo das plantas medicinais é sem indicação médica, visando assim uma melhor qualidade de vida da população. As crianças, por estarem em desenvolvimento são portadores de doenças crônicas, e os idosos representam os grupos de risco que na maioria das vezes utiliza uma série de medicamentos para diversas patologias, e quando vão ao médico não relatam que usam tais fitoterápicos ou plantas medicinais, fazendo então seu uso constante sem o conhecimento médico.

 

Palavras-chaves: Plantas medicinais. Fitoterapia. Interação medicamentosa.

ABSTRACT

 

In order to study the main interactions of drugs and medicinal plants, and their consequences and prevention, the following study presents several interactions occurred with some popular plants, such as gingko biloba, ginseng, St. John’s Wort, Kava, garlic, chamomile, horse-chestnut, ginger, green tea, eucalyptus, artichoke and some drugs. Such facts are unknown to the population that believe that medicinal plants are harmless due to culture aspects that reinforce such beliefs. There is a necessity to make people and health professionals aware of such perils so such professionals will be able to guide patients in order to prevent intoxication, drug interaction and self-medication since most cases of using medicinal plants happen without any medical supervision. Such actions would guarantee a better quality of life for the population. Children, who are still growing and who have chronic diseases, and the elders are the risk groups that most of the time use several drugs for several pathologies and in an appointment with a doctor the use of phototherapy medicines is not reported.

 

Key words: Medicinal Plant. Phototherapy. Drug Interaction.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ana Luiza Chrominski Carneiro, Uninter
Farmacêutica
Publicado
2016-09-14
Seção
Artigos