Atuação do profissional enfermeiro na assistência às crianças com transtorno do espectro autista

  • Tatyanne Lima Rocha Ferreira Universidade Positivo
  • Laís Carolini Theis

Resumo

O objetivo do presente estudo é descrever a participação dos profissionais enfermeiros na assistência às crianças com Transtorno Espectro Autista. Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, realizada nas bases de dados Medical Literature Analysis and Retrieval System Online, Literatura Latino-Americana e do Caribe em Ciências da Saúde e Scientific Electronic Library Online, referente às publicações no período de 2014 a 2019, nos idiomas Português e Inglês. Obtiveram-se sete estudos os quais foram analisados por meio da Análise Temática de conteúdo. Os resultados evidenciaram que as contribuições do profissional enfermeiro iniciam desde a primeira consulta, que por meio da aplicação de escalas e avaliação de sinais e sintomas contribui para diagnóstico precoce, a importância do profissional enfermeiro no ambiente escolar, e orientações para criança e cuidadores no processo de autocuidado apoiado. Entretanto, evidencia-se a necessidade de capacitação e educação permanente sobre a temática para os profissionais enfermeiros.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Laís Carolini Theis

Enfermeira. Especialista em Gestão Hospitalar e dos Serviços de Saúde. Mestre em Saúde Coletiva. Doutoranda em Ciências de Saúde.

 

Referências

BARBIANI, R.; NORA, C. R. D.; SCHAEFER, R. Práticas do enfermeiro no contexto da atenção básica: scoping review. Rev. Latino-Am. Enfermagem, Ribeirão Preto, v. 24, e2721, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1518-8345.0880.2721.

BARDIN, L. Análise de conteúdo. São Paulo: Edições 70, 2011.

BERTAZZO, J. B.; MOSCHINI, R. Acompanhamento terapêutico escolar: o atendimento a alunos com transtornos globais do desenvolvimento nas classes inclusivas. In: ANPED SUL- SEMINÁRIO DE PESQUISA EM EDUCAÇÃO DA REGIÃO SUL, 9., 2012, Santa Maria. Anais [...]. Santa Maria: Anped, 2012. p. 1-11.

BRASIL. Lei nº 12.764, de 27 de dezembro de 2012. Institui a Política Nacional de Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista; e altera o § 3º do art. 98 da Lei nº 8.112, de 11 de dezembro de 1990. Diário Oficial da República Federativa do Brasil: Brasília, DF, 2012.

BRASIL. Portaria nº 1.996, de 20 de agosto de 2007. Dispõe sobre as diretrizes para a implementação da Política Nacional de Educação Permanente em Saúde. Diário Oficial da República Federativa do Brasil: Brasília, DF, 2007.

BROOME, M. E. Integrative literature reviews for the development of concepts. In: RODGERS, B. L.; KNAFL, K.A. Concept Development in Nursing: Foundations: Techniques and Applications. Philadelphia: W. B. Saunders Company, 2006. p. 231-250.

DEL CIAMPO, L. A. O Programa de Saúde da Família e a Puericultura. Ciênc. Saúde Coletiva, Rio de Janeiro, v. 11, n. 3, p. 739-743, 2006. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/S1413-81232006000300021.

FRANZOI, M.A.H. et al. Intervenção musical como estratégia de cuidado de enfermagem a crianças com transtorno do espectro do autismo em um centro de atenção psicossocial. Texto Contexto – Enferm., Florianópolis, v. 25, n. 1, p. 1-8, 2016. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/0104-070720160001020015.

HALPIN, J. What do nurses think they are doing in pre-school autism assessment? British Journal of Nursing, [S.l.], v. 25, n. 6, p. 319-323. 2016. DOI: https://doi.org/10.12968/bjon.2016.25.6.319.

HOFZMANN, R. R. Experiência dos familiares no convívio de crianças com transtorno do espectro autista (TEA). Enferm. Foco, Brasília, v. 2, n. 10, p. 64-69, 2019.

LAVICH, C. R. P. Ações de educação permanente dos enfermeiros facilitadores de um núcleo de educação em enfermagem. Rev. Gaúcha Enferm., Porto Alegre, v. 38, n. 1, e62261, 2017. DOI: http://dx.doi.org/10.1590/1983-1447.2017.01.62261.

LYNCH, B. A. Developmental Screening and Follow-up by Nurses. McN, The American Journal of Maternal/child Nursing, [S.l.] v. 40, n. 6, p. 388-393, 2015.

MAGALHÃES, J. M. Assistência de enfermagem à criança autista: revisão integrativa. Enferm. Glob. Murcia, v. 19, n. 2, p. 531-559, 2020. DOI: http://dx.doi.org/eglobal.356741.

MARANHÃO, S. Educação e trabalho interprofissional na atenção ao transtorno do espectro do autismo: uma necessidade para a integralidade do cuidado no sus. Revista Contexto & Saúde, [S.l.], v. 19, n. 37, p. 59-68, 2019. DOI: https://doi.org/10.21527/2176-7114.2019.37.59-68.

MONTENEGRO, K. S. Aplicativo sobre a detecção precoce do autismo: uma ferramenta educacional para o ensino em saúde. Revista Eletrônica Acervo Saúde, [S.l.], v. 11, n. 6, p. 1-10, 2019. DOI: https://doi.org/10.25248/reas.e347.2019.

NASCIMENTO, Y. C. M. L. et al. Transtorno do espectro autista: detecção precoce pelo enfermeiro na estratégia saúde da família. Revista Baiana de Enfermagem‏, Salvador, v. 32, p.1-12, 2018. DOI: http://dx.doi.org/10.18471/rbe.v32.25425.

OLIVEIRA, R. S. Atuação do enfermeiro nas escolas: desafios e perspectivas. Gestão e Saúde, Brasília, v. 2, n. 18, p. 10-22, 2018.

QUEIRÓS, P. J. P.; VIDINHA, T. S. S.; ALMEIDA FILHO, A. J. Autocuidado: o contributo teórico de Orem para a disciplina e profissão de enfermagem. Rev. Enf. Ref., Coimbra, v. 3, p. 157-164, 2014. DOI: http://dx.doi.org/10.12707/RIV14081.

RASCHE, A. S.; SANTOS, M. S. S. Enfermagem escolar e sua especialização: uma nova ou antiga atividade. Rev. Bras. Enferm., Brasília, v. 4, n. 66, p. 607-609, 2013. DOI: https://doi.org/10.1590/S0034-71672013000400022.

RODRIGUES, P. M. S. Autocuidado da criança com espectro autista por meio das Social Stories. Esc. Anna Nery, Rio de Janeiro, v. 21, n. 1, p. 1-9, 2017. DOI: https://doi.org/10.5935/1414-8145.20170022.

RUTKOWSKI, E. M.; BRIMER, D. Physical Education Issues for Students with Autism. The Journal of School Nursing, [S.l.], v. 30, n. 4, p. 256-261, 2014.

SANTOS, L. S. A aplicação da teoria do autocuidado na assistência de enfermagem à criança e ao adolescente. 2018. 28 f. TCC (Graduação) - Curso de Enfermagem, Universidade Católica do Salvador, Salvador, 2018.

SEIZE, M. M.; BORSA, J. C. Instrumentos para Rastreamento de Sinais Precoces do Autismo: revisão sistemática. Psico-Usf, Itatiba, v. 22, n. 1, p. 161-176, 2017. DOI: https://doi.org/10.1590/1413-82712017220114.

SOUSA, B. S. A. A enfermagem no cuidado da criança autista no ambiente escolar. Saúde e Pesquisa, Maringá, v. 11, n. 1, p. 163-170, 2018. DOI: https://doi.org/10.17765/2176-9206.2018v11n1p163-170.

SOUZA, M. T.; SILVA, M. D.; CARVALHO, R. Revisão integrativa: o que é e como fazer. Einstein, São Paulo, v. 1, n. 8, p.102-106, 2010.

URSI, E. S. Prevenção de lesões de pele no perioperatório: revisão integrativa da literatura. 2005. 130 f. Dissertação (Mestrado em Enfermagem) - Universidade de São Paulo, Escola de Enfermagem de Ribeirão Preto, Ribeirão Preto, 2005.

Publicado
2021-10-21
Seção
Artigos