Desafios profissionais em um centro de reabilitação para crianças autistas

Resumo

O transtorno do espectro autista é um transtorno do desenvolvimento que consiste em uma desordem neurobiológica e provoca prejuízos na interação social, na comunicação e na linguagem. Objetivou-se identificar os desafios enfrentados pelos profissionais de um centro especializado em reabilitação para tratar crianças autistas em uma cidade do norte de Minas Gerais. Trata-se de um estudo descritivo de abordagem qualitativa, realizado com 9 profissionais. Os dados foram coletados no mês de agosto de 2020 por meio de entrevista semiestruturada e analisados mediante análise temática. As dificuldades dos profissionais para prestar cuidados às crianças autistas são de natureza diversa, perpassam pela própria conduta a ser adotada no tratamento, questões familiares, dificuldades financeiras para obtenção de recursos pedagógicos adequados para estimulação da criança e a falta de habilidades dos professores para inclusão da criança no ambiente escolar. Os profissionais buscam amenizar as dificuldades por meio do aperfeiçoamento profissional, responsabilização da família com o tratamento, troca de experiências com outros profissionais e estabelecimento de planos de cuidados individualizados para o autista. Conclui-se que existem muitos aspectos que precisam ser trabalhados para oferecer um serviço de melhor qualidade à criança, que vai desde o engajamento da família no tratamento até a disponibilização de recursos pedagógicos mais adequados aos autistas.

Palavras-chave: pessoal de saúde; reabilitação; centros de reabilitação; transtorno autístico; transtorno do espectro autista.

Abstract

Autism spectrum disorder is a developmental disorder that consists of a neurobiological disorder and causes impairments in social interaction, communication, and language. The objective was to identify the challenges faced by professionals at a specialized rehabilitation center to treat autistic children in a city in the north of Minas Gerais. This is a descriptive study with a qualitative approach, carried out with 09 professionals. Data were collected in August 2020 through a semi-structured interview and analyzed using thematic analysis. The difficulties of professionals to provide care to autistic children are of a different nature, permeating the very conduct to be adopted in the treatment, family issues, financial difficulties to obtain adequate pedagogical resources to stimulate the child, and the lack of skills of teachers to include the child in the school environment. The professionals seek to alleviate the difficulties through professional development, making the family responsible for the treatment, exchanging experiences with other professionals, and establishing individualized care plans for the autistic person. It is concluded that there are many aspects that need to be worked on to offer a better-quality service to the child, ranging from family engagement in treatment to the availability of more adequate pedagogical resources for the autistic.

Keywords: health personnel; rehabilitation; rehabilitation centers; autistic disorder; autism spectrum disorder.

Resumen

El trastorno del espectro autista es un trastorno del desarrollo que consiste en un trastorno neurobiológico y causa problemas en la interacción social, en la comunicación y en el lenguaje. El objetivo fue identificar los retos que enfrentan los profesionales de un centro de rehabilitación especializado en el tratamiento de niños autistas en una ciudad del norte de Minas Gerais. Se trata de un estudio descriptivo de orden cualitativo, realizado con 9 profesionales. Los datos se recopilaron en agosto de 2020 por medio de entrevista semiestructurada y se analizaron mediante análisis temático. Las dificultades de los profesionales para atender a los niños autistas son de naturaleza diversa, pasan por la conducta a adoptar en el tratamiento, cuestiones familiares, dificultades económicas para obtener los recursos pedagógicos adecuados para estimular al niño y la falta de habilidades de los profesores para incluir al niño en el entorno escolar. Los profesionales buscan paliar las dificultades a través del desarrollo profesional, de la inclusión de la familia en el tratamiento, del intercambio de experiencias con otros profesionales y del establecimiento de planes de atención individualizados para el autista. Se concluye que son muchos los aspectos que es necesario trabajar para poder ofrecer un servicio de mejor calidad al niño, que va desde el involucramiento de la familia en el tratamiento hasta la provisión de recursos educativos más adecuados para autistas.

Palabras-clave: personal de salud; rehabilitación; centros de rehabilitación; trastorno autístico; trastorno del espectro autista.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Ernandes Gonçalves Dias, Faculdade Verde Norte (FAVENORTE)

Mestre em Ciências pelo Programa de Inovação e Tecnologia em Enfermagem na USP (EERP). Especiasta em Docência na Saúde (UFRGS) e em Enfermagem do Trabalho pela Faculdade Vale do Gorutuba (FAVAG). Coordenador da APS em Monte Azul, Minas Gerais. Docente na Faculdade Verde Norte (FAVENORTE).

Emilly Kamila Cardoso Almeida, Faculdade Verde Norte (Favenorte)

Graduanda em Enfermagem pela Faculdade Verde Norte (Favenorte).

Mariana Monteiro Gonçalves, Faculdade Verde Norte (Favenorte)

Graduanda em Enfermagem pela Faculdade Verde Norte (Favenorte).

Maiza Barbosa Caldeira, Faculdade Verde Norte (Favenorte)

Especialista em Docência na Saúde pela Universidade Federal do Rio Grande do Sul e Coordenadora do Curso de Graduação em Enfermagem na Faculdade Verde Norte (Favenorte).

Rondinele Antunes de Araújo, Faculdade Verde Norte (Favenorte)

Especialista em Auditoria em Saúde e Enfermagem do Trabalho e Docente na Faculdade Verde Norte (Favenorte).

Referências

ALMEIDA, S. S. A. et al. Transtorno do espectro autista. Residência Pediátrica, Rio de Janeiro, v. 8, n. 1, p. 72-78, 2018.

ARAÚJO, L. A. et al. Transtorno do Espectro do Autismo. Sociedade Brasileira de Pediatria, Rio de Janeiro, v. 1, n. 5, p. 1-24, 2019.

BATTISTI, A. V.; HECK, G. M. P. A inclusão escolar de crianças com autismo na educação básica: Teoria e prática. 2015. 47 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Licenciatura em Pedagogia) - Universidade Federal da Fronteira Sul, Chapecó, 2015.

BRASIL. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Especializada e Temática. Linha de cuidado para a atenção às pessoas com transtornos do espectro do autismo e suas famílias na rede de atenção psicossocial do sistema único de saúde. Brasília: Editora do Ministério da Saúde, 2015.

BRAUN, V.; CLARKE, V. Using thematic analysis in psychology. Qualitative Research in Psychology, [s. l.] v. 3, n. 2, p. 77-101, 2006. Disponível em: http://dx.doi.org/10.1191/1478088706qp063oa. Acesso em: 26 ago. 2020.

CÂNDIDO, F. R. Tecnologias assistivas e inclusão escolar: o uso do software GRID2 no Atendimento Educacional Especializado a estudante com autismo em escola pública do Distrito Federal. 2015. 238 f. Dissertação (Mestrado em Educação) - Faculdade de Educação, Universidade de Brasília, Brasília, 2015.

DIAS, E. G. Proposta de instrumento para autoavaliação de projetos de pesquisa envolvendo seres humanos. Rev. Grad. USP, São Paulo, v. 4, n. 1, p. 139-145, jul., 2020. Disponível em: https://doi.org/10.11606/issn.2525-376X.v4i1p139-145. Acesso em: 25 maio 2021.

FERREIRA, A. C. S. S. Conhecimento dos estudantes de enfermagem sobre os transtornos do espectro do autismo. 2018. 20 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação em Enfermagem) - Universidade de Brasília, Brasília, 2018.

FINK, I. C. Autismo e educação: possibilidades e estratégias de inclusão. 2018. 43 f. Monografia (Licenciatura em Pedagogia) - Universidade do Vale do Taquari, Lajeado, 2018.

GOMES, P. T. M. et al. Autismo no Brasil, desafios familiares e estratégias de superação: revisão sistemática. Jornal de Pediatria, Rio de Janeiro, v. 91, n. 2, p. 111-121, 2015.

LIMA, S. M.; LAPLANE, A. L. F. Escolarização de alunos com autismo. Rev. Bras. Ed. Esp., Marília, v. 22, n. 2, p. 269-284, 2016.

LOPES, C. N. N. et al. Conhecendo o transtorno do espectro autista. Cartilha institucional, João Pessoa, p. 1-26, 2017. Disponível em: https://estudante.ifpb.edu.br/static/files/cartilha_espectro_autista.pdff. Acesso em: 21 ago. 2020.

MACHADO, F. P. et al. Respostas parentais aos sinais clássicos de autismo em dois instrumentos de rastreamento. Communication Research, São Paulo, v. 21, e1659, 2016.

MELO, C. A. et al. Identificação do papel do enfermeiro na assistência de

enfermagem ao autismo. Mostra Interdisciplinar do Curso de Enfermagem, Quixada – CE, v. 2, n. 2, dez. 2016.

MERLLETI, C. Autismo em causa: historicidade diagnóstica, prática clínica e narrativas dos pais. Psicologia USP, São Paulo, v. 29, n. 1, p. 146-151, 2018.

SANTOS, R. K.; VIEIRA, A. M. E. C. S. Transtorno do espectro do autismo (TEA): do reconhecimento à inclusão no âmbito educacional. Revista Includere, Rio Grande do Norte, v. 3, n. 1, p. 219-232, 2017.

SANTOS, F. C.; SANTOS, H. C.; SANTANA, M. J. O processo de aprendizagem de crianças autistas. 2016. 12 f. Trabalho de Conclusão de Curso (Graduação) - Faculdade de São Luís de França, Aracaju, 2019.

SILVA, M. F. B. Diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista – TEA. Definição de critérios e considerações sobre a prática. Revista online IPOG, Goiânia, v. 1, n. 5, p. 1-15, 2018. Disponível em: https://assets.ipog.edu.br/wpcontent/uploads/2019/12/07013917/marcia-fernandes-borges-da-silva-psflo002-1211541.pdf. Acesso em: 26 maio 2020.

SILVA, S. A. et al. Conhecimento da equipe interprofissional acerca do autismo infantil. Research, Society and Development, [s. l.], v. 8, n. 9, e07891250, 2019. Disponível em: https://doi.org/10.33448/rsd-v8i9.1250. Acesso em: 09 nov. 2020.

Publicado
2022-02-16
Seção
Artigos