Percepção dos enfermeiros da APS sobre o uso da fitoterapia no tratamento complementar das DCNTS

Autores

  • Victor Emanoel da Silva Morais Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão, Brasil
  • Isadora Sayonara Ferreira Coelho Centro Universitário de Ciência e Tecnologia do Maranhão- UNIFACEMA
  • Camilla Lohanny Azevedo Viana Centro Universitário de Ciências e Tecnologia do Maranhão, Brasil

Palavras-chave:

Enfermeiros, Fitoterapia, Atenção Primária, Doenças Crônicas não Transmissíveis, enfermeiros; fitoterapia; atenção primária; Doenças Crônicas não Transmissíveis.

Resumo

Atualmente, há no mundo um número bastante elevado de pessoas que sofrem com Doenças Crônicas não Transmissíveis, considerados os fatores de risco e se não controladas e tratadas corretamente. Assim sendo, o trabalho objetivou conhecer e destacar a aptidão dos enfermeiros sobre o uso da fitoterapia na Atenção Primária à Saúde (APS) para complementar o tratamento de pacientes com Doenças Crônicas Não Transmissíveis (DCNTs). Trata-se de uma revisão integrativa da literatura, com abordagem qualitativa dos dados, tendo sido consultadas as bases de dados BDENF-Enfermagem, IBECS, LILACS e SciELO nos idiomas português e espanhol, contemplando estudos disponíveis dos anos de 2019 a 2023. Oito estudos foram selecionados para compor essa revisão e a maioria deles destaca que as capacidades e habilidades em implementar a fitoterapia são consideradas um desafio, pois em âmbito acadêmico as instituições de ensino superior ainda não respaldam essa prática para a área da enfermagem, focando apenas nas intervenções biomédicas do cuidar, sendo que o profissional capacitado e qualificado irá alertar sobre os riscos da automedicação indiscriminada, quais plantas e fitoterápicos não usar, os efeitos adversos, as interações medicamentosas entre medicamento farmacológicos e planta medicinal, as dosagens e tipos de plantas medicinais e fitoterápicos específicos para determinadas condições. Contudo, encoraja-se a serem feitas mais pesquisas sobre o tema da fitoterapia voltadas aos caminhos da formação profissional, como em âmbito de trabalho assistencial na atenção primária. Nota-se, devido à escassez da temática, um certo desinteresse e falta de capacitação sobre a fitoterapia na enfermagem.

Palavras-chave: enfermeiros; fitoterapia; atenção primária; Doenças Crônicas não Transmissíveis.

Abstract

A very high number of people suffer from Chronic Noncommunicable Diseases in the world, a condition that must be controlled and treated correctly, since it can be considered a risk factor. For that reason, this study intents to identify and highlight the skills of nurses regarding the use of phytotherapy in Primary Health Care to complement the treatment of patients with Chronic Noncommunicable Diseases. This is an integrative literature review with a qualitative approach to the data, considering the BDENF-Nursing, IBECS, LILACS and SciELO databases in Portuguese and Spanish and using available studies from the years 2019 to 2023. Eight studies constitute this review, and most of them highlighted that the capabilities and skills involved in implementing phytotherapy are considered a challenge since higher education institutions do not support this practice in Nursing, even in the academic field. Most focus is on interventions in biomedical aspects of care, and the trained and qualified professional will warn about the risks of indiscriminate self-medication; plants and herbal medicines not to use; adverse effects; drug interactions between pharmacological drugs and medicinal plants; dosages and types of medicinal plants; and specific herbal medicines for certain conditions. However, they encourage further research on phytotherapy aimed at professional training paths, for instance, in primary care. Due to the scarcity of the theme, the study noticed that there is a certain lack of interest and training in phytotherapy in nursing.

Keywords: nurses; phytotherapy; primary attention; noncommunicable chronic diseases.

Resumen

Actualmente existe en todo el mundo un número muy elevado de personas que sufren de Enfermedades Crónicas no Transmisibles, considerados los factores de riesgo y si no controladas y tratadas correctamente. De ese modo, el trabajo objetivó conocer y destacar la aptitud de los enfermeros sobre el uso de la fitoterapia en la Atención Primaria de Salud (APS) para complementar el tratamiento de pacientes con Enfermedades Crónicas No Transmisibles (DCNT). Se trata de una revisión integrativa de la literatura, con enfoque cualitativo de los datos, para la cual fueron consultadas las bases de datos BDENF-Enfermería, IBECS, LILACS y SciELO, en los idiomas portugués y español, contemplando estudios disponibles de los años 2019 a 2023. Ocho estudios fueron seleccionados para componer esa revisión y la gran parte de ellos destaca que las capacidades y habilidades en implantar la fitoterapia son consideradas un desafío, pues en ámbito académico las instituciones de educación superior todavía no respaldan esa práctica para el área de enfermería, centrándose solamente en las intervenciones biomédicas del cuidar, siendo que el profesional capacitado y calificado ha de advertir sobre los riesgos de la automedicación indiscriminada, qué plantas y hierbas no usar, los efectos adversos, las interacciones farmacológicas entre medicamento farmacológicos y aquellos a base de plantas, las dosificaciones y tipos de plantas medicinales y productos herbales específicos para determinadas condiciones. Sin embargo, se anima a la producción de más investigaciones sobre el tema de la fitoterapia dirigidas hacia los caminos de la formación profesional, como en ámbito de trabajo asistencial en la atención primaria. Se nota, debido al escasez de la temática, un cierto desinterés y falta de capacitación sobre la fitoterapia en enfermería.

Palabras clave: enfermeros; fitoterapia; atención primaria; Enfermedades Crónicas no Transmisibles.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Referências

Souza LT, Azevedo MV, Torres RC, Teles WS, Silva MC, Barros AM et al. Desafios enfrentados por enfermeiros na aplicabilidade da fitoterapia na atenção primária: uma revisão integrativa. Braz Jour Heal Rev [Internet]. 2021 [cited 2023 May 15];4(3):11885-99. Available from: https://ojs.brazilianjournals.com.br/ojs/index.php/BJHR/article/

view/30601/pdf doi: http://dx.doi.org/10.34119/bjhrv4n3-173

Ribeiro LG, Marcondes D. A interface entre a atenção primária à saúde e práticas integrativas e complementares no sistema único de saúde: formas de promover as práticas na aps. APS em Revista [Internet]. 2021 [cited 2022 Sept 22];3(2):102-9. Available from: https://apsemrevista.org/aps/article/view/185/97 doi: http://dx.doi.org/10.14295/aps.v3i2.185

Bomfim WC. Expectativa de vida com e sem hipertensão arterial e diabetes em adultos brasileiros mais velhos. Rev. Baiana Saúde Pública [Internet]. 2022 [cited 2023 June 21];45(2):9-23. Available from: https://rbsp.sesab.ba.gov.br/index.php/rbsp/article/

view/3460/3000 doi: http://dx.doi.org/10.22278/2318-2660.2021.v45.n2.a3460

Rodrigues ML, Campos CE, Siqueira BA. A fitoterapia na Atenção Primária à Saúde segundo os profissionais de saúde do Rio de Janeiro e do Programa Mais Médicos. Cad. Ibero Am. Direito Sanit. [Internet]. 2020 [cited 2023 May 21];9(4):28-50. Available from: https://www.cadernos.prodisa.fiocruz.br/index.php/cadernos/article/view/637/773 doi: https://doi.org/10.17566/ciads.v9i4.637

Caboclo EK, Santos JB, Sousa AR, Bordin AO, Castro LS, Lisboa HC. Fitoterápicos e plantas medicinais na prática dos profissionais de saúde em unidades de Estratégia Saúde da Família. Rev. Ciênc. Méd. Biol. [Internet]. 2022 [cited 2023 May 19];21(2):211-7. UFB. Available from: https://periodicos.ufba.br/index.php/cmbio/article/view/

/27803 doi: http://dx.doi.org/10.9771/cmbio.v21i2.47704

Gonçalves RN, Gonçalves JR, Buffon MC, Negrelle RR, Rattmann YD. Plantas medicinais na Atenção Primária à Saúde: riscos, toxicidade e potencial para interação medicamentosa. Rev. APS [Internet]. 2022 [cited 2023 May 22];25(1):120-53. Available from: https://periodicos.ufjf.br/index.php/aps/article/view/16611/24826

Zeni AL, Galvão TC, Sasse OR. Capacitação de profissionais na atenção primária em saúde: um caminho para a promoção da fitoterapia. Rev. Baiana Saúde Pública [Internet]. 2022 [cited 2023 May 20];45(3):70-91. Available from: https://rbsp.sesab.ba.gov.br/index.php/rbsp/article/view/3424/3055 doi: http://dx.doi.org/10.22278/2318-2660.2021.v45.n3.a3424

Galhoto R, Barba FF, Zeni F, Zeni AL. Perspectiva e desafios na inserção da prática plantas medicinais e fitoterápicos no cotidiano da Atenção Primária à Saúde, no município de Gaspar, SC. Rev. APS [Internet]. 2021 [cited 2023 May 20];24(4):727-45. Available from: https://periodicos.ufjf.br/index.php/aps/article/view/28743/24631

Martins PG, Brito RS, Santos PC, Laverde CR, Oliveira NF, Pilger C. Conhecimento popular e utilização das práticas integrativas e complementares na perspectiva das enfermeiras. J. nurs. Health. [Internet]. 2021 [cited 2023 May 22];11(2):e2111219495. Available from: https://periodicos.ufpel.edu.br/ojs2/index.php/enfermagem/

article/view/19495/13388 doi: https://doi.org/10.15210/jonah.v11i2.19495

Rojas LV. Representaciones sobre los cuidados con plantas medicinales en enfermeras de atención primaria en salud. Index enferm. [Internet]. 2020 [cited 2023 May 15];28(4). Available from: https://scielo.isciii.es/scielo.php?script=sci_arttext&pid=S1132-12962019000300006

Soares DP, Coelho AM, Silva LE, Silva RJ, Figueiredo CR, Fernandes MC. Política nacional de práticas integrativas e complementares em saúde: discurso dos enfermeiros da atenção básica. Rev. enferm. Cent.-Oeste Min. (RECOM) [Internet]. 2019 [cited 2023 May 20];9:56-80. Available from: http://dx.doi.org/10.19175/recom.v9i0.3265

Haraguchi LM, Sañudo A, Rodrigues E, Cervigni H, Carlini EL. Impacto da Capacitação de Profissionais da Rede Pública de Saúde de São Paulo na Prática da Fitoterapia. Rev. bras. educ. méd. [Internet], 2020 [cited 2023 May 19];44(1):1-44. Available from: https://www.scielo.br/j/rbem/a/LhQmyY5gvq6rPct9bdfqzMP/?format=pdf&lang=pt doi: http://dx.doi.org/10.1590/1981-5271v44.1-20190190

Barros MI, Pinto IC. Fitoterapia na estratégia de Saúde da Família: uma revisão à luz do papel do enfermeiro. Rev. Bras. Gest. Ambient. Sustentabilidade [Internet]. 2021 [cited 2023 May 17];8(20):1283-93. Available from: http://www.ecogestaobrasil.net/style/

download.php?f=v08n20a02.pdf doi: http://dx.doi.org/10.21438/rbgas(2021)082002

Souza ND, Fonseca HM, Madalena LJ. A importância da formação do profissional de enfermagem sobre o cuidado no uso de fitoterápicos e plantas medicinais: uma revisão sistemática. Revista Multidebates [Internet]. 2020 [cited 2023 May 20];4(6):270-82. Available from: http://revista.faculdadeitop.edu.br/index.php/revista/article/view/326/282

Rodrigues DC, Pezuk JA. A inserção do ensino de fitoterapia como práticas integrativas e complementares na formação de enfermeiros: uma revisão integrativa sobre a atuação do docente. Ensino Saúde Ambiente [Internet]. 2022 [cited 2023 May 16];14(2):739-47. Available from: https://periodicos.uff.br/ensinosaudeambiente/article/view/43445/31298 doi: https://doi.org/10.22409/resa2021.v14i2.a43445

Nascimento AT, Veroneze EK, Pereira L, Garcia CD, Gomes JA, Petenuci DL. O papel do enfermeiro no uso da fitoterapia como prática complementar na atenção primária em saúde (APS): uma revisão bibliográfica. Rev. Terra & Cult. [Internet]. 2021 [cited 2023 May 21];37(especial):11-21. Available from: http://periodicos.unifil.br/index.php/Revistateste/article/view/2350/1766

Sousa ÁA, Santos AK, Rocha FD. Plantas medicinais em enfermagem: os saberes populares e o conhecimento científico. Extensão em Debate [Internet]. 2019 [cited 2023 May 21];3(1):48-67. Available from: https://www.seer.ufal.br/index.php/extensaoemdebate/article/view/8674/6396

Bezerra PR, Silva EC, Lima EA. Conhecimento dos enfermeiros sobre as práticas integrativas e complementares. Res., Soc. Dev. [Internet]. 2022 [cited 2023 May 20];11(12):e498111234805. Available from: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/

article/view/34805/29310 doi: https://doi.org/10.33448/rsd-v11i12.34805

Oliveira MC, Cruz CK, Rocha GM, Brito MG, Oliveira GA. Toxicidade e atividade antibacteriana de plantas medicinais utilizadas no tratamento de doenças respiratórias: revisão integrativa. Res., Soc. Dev. [Internet]. 2020 [cited 2023 May 20];9(9):e244997169. Available from: https://rsdjournal.org/index.php/rsd/article

/view/7169/6388 doi: https://doi.org/10.33448/rsd-v9i9.7169

Silva LM, Belfort MG. A aplicabilidade das PICs na assistência de enfermagem em pacientes com doença crônica: revisão integrativa. Arq. Cienc. Saude UNIPAR [Internet]. 2023 [cited 2023 Nov 16];27(5):2161-74. Available from: https://ojs.revistasunipar.com.br/index.php/saude/article/view/9745/4676 doi: http://dx.doi.org/10.25110/arqsaude.v27i5.2023-004

Mendonça RC, Caldeira FI, Gasque KC, Ribeiro J Filho. Conhecimento popular e automedicação com plantas medicinais em gestantes de um município do Nordeste brasileiro. Rev. Saúde Pública Paraná [Internet]. 2022 [cited 2023 May 20];5(3):1-23. Available from: http://revista.escoladesaude.pr.gov.br/index.php/rspp/article/

view/685/273 doi: http://dx.doi.org/10.32811/25954482-2022v5n3.685

Downloads

Publicado

2023-12-04

Como Citar

DA SILVA MORAIS, V. E.; FERREIRA COELHO, I. S.; AZEVEDO VIANA , C. L. Percepção dos enfermeiros da APS sobre o uso da fitoterapia no tratamento complementar das DCNTS. Revista Brasileira de Práticas Integrativas e Complementares em Saúde, [S. l.], v. 3, n. 5, p. 120–138, 2023. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/revistasaude/index.php/revista-praticas-interativas/article/view/1372. Acesso em: 29 maio. 2024.

Edição

Seção

Artigos