O uso de plantas medicinais no Sistema Único de Saúde (SUS) em um município do oeste catarinense

  • Andressa Pereira Ferreira UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC XANXERÊ
  • Elisangela Bini Dorigon

Resumo

As plantas medicinais são espécies vegetais que apresentam, além de propriedades químicas, uma história de uso tradicional como agentes terapêuticos. O objetivo deste projeto é investigar o uso de plantas medicinais e medicamentos fitoterápicos por pacientes do Sistema Único de Saúde (SUS). Examina-se, também, o perfil dos profissionais de saúde que utilizam e indicam as plantas medicinais e os medicamentos fitoterápicos, como Práticas Integrativas e Complementares em Saúde (PICS). Trata-se de um estudo quantitativo, do tipo observacional e transversal. Após a aprovação do Comitê de Ética em Pesquisa (CEP), realizou-se a investigação em dez unidades de Estratégia Saúde da Família (ESF), uma Unidade Básica de Saúde (UBS) e em um Centro de Atenção Psicossocial (CAPS), com um total de 176 pacientes e 52 profissionais entrevistados. Os resultados indicaram que 80% dos profissionais de saúde e 88% dos pacientes utilizam plantas medicinais frequentemente. A medicina fitoterápica é praticada tanto por curandeiros quanto por fitoterapeutas; entretanto, é preciso que mais profissionais da área tenham acesso a este tipo de conhecimento.

Palavras-chave: medicamentos fitoterápicos; plantas medicinais; Sistema Único de Saúde.

Abstract

Medicinal plants are plant species that have, in addition to chemical properties, a history of traditional use as therapeutic agents. The aim of this project is to investigate the use of medicinal plants and herbal medicines by patients in the Unified Health System (SUS). It also examines the profile of health professionals who use and recommend medicinal plants and herbal medicines, such as Integrative and Complementary Practices in Health (PICS). This is a quantitative, observational and cross-sectional study. After approval by the Research Ethics Committee (CEP), the investigation was carried out in ten units of the Family Health Strategy (ESF), one Basic Health Unit (UBS) and in a Psychosocial Care Center (CAPS), with 176 patients and 52 professionals interviewed. The results indicated that 80% of health professionals and 88% of users interviewed use medicinal plants frequently. Herbal medicine is practiced by both healers and herbalists; however, it is necessary that more professionals in the area have access to this type of knowledge.

Keywords: herbal medicines; medicinal plants; Unified Health System.

Resumen

Las plantas medicinales son especies vegetales que presentan, además de propiedades químicas, una historia de uso tradicional como agentes terapéuticos. El objetivo de este proyecto es investigar el uso de plantas medicinales y medicamentos fitoterápicos por pacientes del Sistema Único de Salud (SUS). Se examina, también, el perfil de los profesionales de salud que utilizan e indican las plantas medicinales y los medicamentos fitoterápicos como Prácticas Integrativas y Complementarias en Salud (PICS). Se trata de un estudio cuantitativo, de observación y transversal. Luego de la aprobación del Comité de Ética en Investigación (CEI), se realizó la investigación en diez unidades de Estrategia Salud de la Familia (ESF), una Unidad Básica de Salud (UBS) y en un Centro de Atención Psicosocial (CAPS), con un total de 176 pacientes y 52 profesionales entrevistados. Los resultados indican que 80% de los pacientes utilizan plantas medicinales con frecuencia. La medicina fitoterápica es practicada tanto por curanderos cuanto por fitoterapeutas; sin embargo, es necesario que un mayor número de profesionales del área tenga acceso a este tipo de conocimiento.

Palabras-clave: medicamentos fitoterápicos; plantas medicinales; Sistema Único de Salud.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Andressa Pereira Ferreira, UNIVERSIDADE DO OESTE DE SANTA CATARINA - UNOESC XANXERÊ

Graduanda em Enfermagem pela Universidade do Oeste de Santa Catarina, campus Xanxerê.

Elisangela Bini Dorigon

Bióloga, Mestre em Ciências da Saúde Humana, docente da Universidade do Oeste de Santa Catarina.

Referências

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Atenção à Saúde. Departamento de Atenção Básica. Política nacional de práticas integrativas e complementares no SUS 2. ed. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2015. 96 p.: il.

Meneguelli AZ. et al. A utilização de plantas medicinais e fitoterápicos na saúde pública brasileira. Rev. Enferm. e Saúde Coletiv. 2017; 1(1): 2-12.

Silva GKF et al. Política Nacional de Práticas Integrativas e Complementares: trajetória e desafios em 30 anos do SUS. Physis [Internet]. 2020 [acesso em 19 nov. 2021]; 30(1): 1-25. Disponível em: https://www.scielo.br/j/physis/a/KrS3WpRhWWS34mccMtyxXPH/abstract/?lang=pt

Brasil. Ministério da Saúde. Secretaria de Ciência, Tecnologia e Insumos Estratégicos. Departamento de Assistência Farmacêutica. Política e Programa Nacional de Plantas Medicinais e Fitoterápicos. Brasília, DF: Ministério da Saúde; 2016. 190 p

Bruning, Maria Cecilia Ribeiro, Mosegui, Gabriela Bittencourt Gonzalez e Vianna, Cid Manso de Melo. A utilização da fitoterapia e de plantas medicinais em unidades básicas de saúde nos municípios de Cascavel e Foz do Iguaçu - Paraná: a visão dos profissionais de saúde. Ciênc. Saúde Colet. [Internet]. 2012 [acesso em 19 nov. 2021]; 17(10). Disponível em: https://doi.org/10.1590/S1413-81232012001000017

World Health Organization. Report of the International Conference on Primary Health Care, Alma-Ata, USSR, 6-12 September 1978 [Internet]. Geneva: OMS; 1978 [acesso em 23 nov. 2021]. Disponível em: file:///C:/Users/92008012/Downloads/9241800011.pdf

Mattos G et al. Plantas medicinais e fitoterápicos na Atenção Primária em Saúde: percepção dos profissionais. Ciênc. Saúde Colet. [Internet]. 2018 [acesso em 19 nov. 2021]; 23 (11): 3735-3744. Disponível em: https://www.scielo.br/j/csc/a/Tymhc5zwFyHpb8DCWTtcf4j/?lang=pt#

Publicado
2021-12-15
Seção
Artigos