Branquitude em Maputo

herança colonial a ser desvelada

Autores

  • Paola Prandini Universidade de São Paulo

Resumo

Este artigo apresenta reflexão sobre como a permanência de colonialidades contemporaneamente representam valores da branquitude sistêmica presente em relações interpessoais empreendidas na cidade moçambicana de Maputo. Portanto, o intuito é também o de propor intervenções afeitas à práxis educomunicativa decolonial e decolonizadora como caminhos possíveis para transformação social, com base em uma potencial troca entre África e América Latina.

 Palavras-chave: Moçambique; colonialidades; língua; educomunicação.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Paola Prandini, Universidade de São Paulo

Doutora em Ciências da Comunicação pela Escola de Comunicações e Artes, da Universidade de São Paulo (Brasil). Durante o doutoramento (2018-2022), foi pesquisadora-visitante da Universidade Eduardo Mondlane, em Moçambique.

Downloads

Publicado

2023-11-03

Como Citar

PRANDINI, P. Branquitude em Maputo: herança colonial a ser desvelada. Revista UNINTER de Comunicação, [S. l.], v. 11, n. 18, p. 84–103, 2023. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/article/view/912. Acesso em: 14 jun. 2024.