https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/issue/feed Revista UNINTER de Comunicação 2022-05-30T19:44:54+00:00 Guilherme Carvalho guilherme.ca@uninter.com Open Journal Systems <p>A Revista Uninter de Comunicação (RUC) visa a publicação de textos resultantes de pesquisa voltados para a área de comunicação. A amplitude do tema permite que esta revista tenha caráter multidisciplinar, buscando a reflexão da teoria e da prática. A revista é publicada semestralmente e está aberta para submissões em fluxo contínuo.</p> https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/article/view/892 Apresentação 2022-05-30T19:44:53+00:00 Karine Moura Vieira karinemourav@gmail.com <p>Para cada início, um fim antecede. No ano de 2021, a Revista Uninter de Comunicação (RUC) passou por uma série de atualizações para seguir com o seu propósito de divulgar a pesquisa em Comunicação no Brasil. Esta edição da revista marca um processo de mudança, encerrando a&nbsp; modalidade de publicação periódica. A partir de agora, a RUC passa a trabalhar com a modalidade de publicação contínua, que vem sendo adotada por periódicos no Brasil desde 2016. O propósito deste modelo é tornar o processo de comunicação das pesquisas mais ágil, acelerando a divulgação, bem como contribuindo para a disponibilização imediata para leitura, depois de aprovados.</p> 2022-05-30T18:04:19+00:00 Copyright (c) 2022 Karine Moura Vieira https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/article/view/876 O jornal impresso e a abordagem sobre confeitaria na década de 1880 2022-05-30T19:44:53+00:00 Maria Thaís Firmino da Silva firminothais@gmail.com <p><span style="font-weight: 400;">Este artigo tem como premissa apresentar análise no âmbito da relação mídia-gastronomia sob a necessidade de contribuir com abordagens que privilegiam o resgate histórico desse entrecruzamento. Para tanto, a partir de recorte sob o crivo da temática confeitaria e doçaria, foi viabilizada investigação em edições do período de 1880 a 1889 do jornal impresso brasileiro Gazeta do Norte: Orgão Liberal, especificamente na editoria denominada Conhecimentos Úteis. O estudo se respaldou em abordagem qualitativa e quantitativa,&nbsp; com método próprio amparado pela análise de conteúdo, e primou pela execução das seguintes etapas</span><span style="font-weight: 400;">: 1) </span><span style="font-weight: 400;">Aprofundamento temático e contextual; 2) Exploração do material; 3) Coleta de dados; 4) Análise de dados; 5) Apresentação de resultados.&nbsp;</span></p> 2022-05-30T00:00:00+00:00 Copyright (c) 2022 Maria Thaís Firmino da Silva https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/article/view/863 Utilizando ferramentas digitais na detecção de fake news 2022-05-30T19:44:53+00:00 Thiago Fernandes Ladeira fernandesladeira@hotmail.com Francisco Fernandes Ladeira ffernandesladeira@yahoo.com.br <p>A disseminação em larga escala de notícias falsas (“fake news”) é um dos principais efeitos colaterais da internet. Este tipo de prática pode influenciar processos eleitorais, difamar imagens de pessoas e, em contextos conturbados, inflamar radicalismos ideológicos. Não por acaso, a difusão de fake news tem sido motivo de preocupação por parte de organizações internacionais e pensadores de diferentes áreas. Diante dessa realidade, consideramos que uma forma adequada para detecção e enfrentamento à disseminação em massa de notícias falsas esteja na utilização de ferramentas digitais como MobNex, FakeSpread e Kanban. Sendo assim, o presente trabalho aponta como as utilizações desses instrumentos podem ser de grande valia para a desconstrução das fake news, constituindo-se assim em recursos que potencializam o direito à informação confiável, condição indispensável para o desenvolvimento de uma sociedade democrática. Para avaliar a eficácia dos mecanismos online de identificação de fake news, apresentamos, como estudo de caso, um procedimento com o site FakeCheck. No entanto, é importante frisar que, recorrer a uma determinada ferramenta, por si só, não esgota as possibilidades de descontração de fake news, processo complexo que envolve, entre outros pontos, comparar fontes, checar questões gramaticais e reconhecer possíveis técnicas de manipulação</p> 2022-05-30T18:09:15+00:00 Copyright (c) 2022 Thiago Fernandes Ladeira, Francisco Fernandes Ladeira https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/article/view/870 Convergência entre Whatsapp e Instagram na conscientização sobre a COVID-19 2022-05-30T19:44:53+00:00 Orlando Maurício de Carvalho Berti berti@uespi.br <p>Este artigo aborda a convergência comunicacional entre os aplicativos <em>WhatsApp</em> e <em>Instagram </em>para ações de conscientização e combate à COVID-19. Analisam-se os benefícios e desvantagens dessa convergência, e suas consequências comunicacionais. Por meio de um estudo de caso, embasado por estudo netnográfico e de pesquisa-ação sobre a <em>Rede Piauí Sem Covid</em>, observa-se que o <em>Instagram</em> pode convergir com o <em>WhatsApp</em> como ferramentas gratuitas em favor de causas sociais, especialmente em crises como a pandemia do coronavírus.</p> <p><strong>Palavras-chave</strong>: convergência tecnológica; <em>WhatsApp</em>; <em>Instagram</em>; COVID-19; Rede Piauí Sem Covid.</p> <p><strong>Abstract</strong></p> <p>This article addresses the communicational convergence between WhatsApp and Instagram applications for actions to raise awareness and combat COVID-19. It analyzes the benefits and disadvantages of this convergence and its communicational consequences. Through a case study, supported by netnographic study and action research on <em>Piauí Sem Covid Network</em>, it is observed that Instagram can converge with WhatsApp as free tools in favor of social causes, especially in crises like the coronavirus pandemic.</p> <p><strong>Keywords</strong>: technological convergence; Whatsapp; Instagram; COVID-19; Piauí Sem Covid Network.</p> <p><strong>Resumen</strong></p> <p>Este artículo trata la convergencia comunicacional entre los aplicativos <em>WhatsApp</em> e <em>Instagram </em>para acciones de concientización y combate al COVID-19. Se analizan las ventajas y desventajas de esa convergencia y sus consecuencias comunicacionales. Por medio de un estudio de caso, basado en un estudio netnográfico y de investigación-acción sobre la <em>Rede Piauí Sem Covid</em>, se pudo observar que el <em>Instagram</em> puede coincidir con el <em>Whats’App</em> como herramientas gratuitas en beneficio de causas sociales, especialmente en crisis como la pandemia del coronavirus.</p> <p><strong>Palabras-clave</strong>: convergencia tecnológica; <em>WhatsApp</em>; <em>Instagram</em>; COVID-19; Rede Piauí Sem Covid.</p> 2022-05-30T18:13:21+00:00 Copyright (c) 2022 Orlando Maurício de Carvalho Berti https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/article/view/847 Recepção Clássica e discurso científico em Dark 2022-05-30T19:44:53+00:00 Rafael Guimarães Tavares da Silva gtsilva.rafa@gmail.com Sara Anjos scbanjos@gmail.com <em>Dark</em> é uma aclamada série alemã em três temporadas (2017; 2019; 2020), criada pela roteirista Jantje Friese e dirigida por Baran bo Odar, contando com distribuição pela Netflix. Em seu jogo contínuo de suspense, esse intricadíssimo enredo esbanja referências das mais diversas ordens para construir uma narrativa complexa em termos de temporalidade, simbologia e sentido: a mitologia clássica, a tradição religiosa judaico-cristã, o ocultismo medieval e a ciência moderna são algumas das fontes importantes para a compreensão desse universo ficcional. Nosso propósito aqui é sugerir de que modo as referências a elementos clássicos e judaico-cristãos (mesmo quando refratados por autores modernos, como Nietzsche) contribuem para a construção de um sentido da trama em chave mítica e trágica ao longo da maior parte de suas três temporadas. O desenlace da série, contudo, em seu último episódio, parece oferecer uma espécie de contraponto a essa impressão geral e, à luz disso, pretendemos reorientar nossa análise. 2022-05-30T18:19:07+00:00 Copyright (c) 2022 Rafael Guimarães Tavares da Silva, Sara Anjos https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/article/view/884 Representação feminina nas propagandas de cerveja 2022-05-30T19:44:53+00:00 Claudia Rosa Acevedo acevedocampanario@usp.bre Camila Akemi Kakiuthi camila.kakiuthi@usp.br Giovanna Yukie Takagi giovanna.takagi@usp.br Bruno Catão bruno.catao@gmail.com <p>Esta pesquisa tem como objetivo analisar o posicionamento das marcas de cerveja presentes no Brasil com relação à diversidade feminina e suas representações em comunicação nas publicações do Facebook. Como método, foi utilizado a análise de conteúdo, na qual foram selecionadas campanhas das marcas Skol, Heineken, Itaipava e Brahma, do período de 2015 a 2020. Buscamos verificar se a Skol, após sua polêmica campanha “Viva Redondo” de 2015, apresentou mudança em sua comunicação. Assim sendo, foi analisado também, o posicionamento das outras marcas para servirem como parâmetro de comparação, mostrando um declínio geral da sexualização da mulher na propaganda brasileira de cerveja.</p> 2022-05-30T18:15:19+00:00 Copyright (c) 2022 Claudia Rosa Acevedo, Camila Akemi Kakiuthi, Giovanna Yukie Takagi, Bruno Catão https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/article/view/859 Podemos confiar? 2022-05-30T19:44:53+00:00 Carlos Humberto Ferreira Silva Jr. carlosferreira_jr@yahoo.com.br Alice Gonsalez alice.gonsalez@unesp.br Desirèe Assis desiree.assis@unesp.br Emanuele Almeida emanuele.s.almeida@unesp.br Giulia Colombo Caporrino giullia.colombo@unesp.br Lorrana Marino lorrana.marino@unesp.br <p>Este trabalho tem como objetivo apresentar qual é o nível da compreensão midiática entre as alunas e alunos dos cursinhos pré-vestibulares da Unesp/Bauru. Com intuito de entender como esses jovens se relacionam com as informações que lhes são repassadas, foi distribuído um questionário em que eles indicavam qual o nível de confiabilidade dos conteúdos expostos diante de seu conhecimento prévio e hábitos de consumo de notícias. A partir desses dados, foi realizada uma análise quantitativa a fim de entender o que compreendem como mais ou menos confiáveis. Como resultado foi possível verificar que, mesmo considerando importante a ação da checagem da informação, nem todos a realizam, o que influencia no julgamento das notícias e sua compreensão dos conteúdos midiáticos, prevalecendo convicções pessoais.</p> 2022-05-30T18:16:51+00:00 Copyright (c) 2022 Carlos Humberto Ferreira Silva Jr., Alice Gonsalez, Desirèe Assis, Emanuele Almeida, Giulia Colombo Caporrino, Lorrana Marino https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/article/view/853 Da preparação à revisão: sem elas, não há publicação 2022-05-30T19:44:53+00:00 Adriana Tulio Baggio atbaggio@gmail.com <p>Resenha do livro:</p> <p>MORAES, Eugênio Vinci de. <strong>Processos de revisão textual</strong>. Curitiba: InterSaberes, 2020.</p> 2022-05-30T18:23:53+00:00 Copyright (c) 2022 Adriana Tulio Baggio https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/article/view/865 Resenha do livro Mídia, opinião pública e sociedade – desafios para uma comunicação em transformação – Guilherme Carvalho (org). 2022-05-30T19:44:54+00:00 Maura Martins mauramartins@gmail.com 2022-05-30T18:20:42+00:00 Copyright (c) 2022 Maura Martins