Tinder e Spotify: reflexos identitários no consumo de música vinculado na plataforma de relacionamentos

Autores

  • Fernanda Angelo Costantino PPG Mídia e Cotidiano

DOI:

https://doi.org/10.21882/ruc.v6i10.742

Resumo

Em setembro de 2016, o aplicativo para relacionamentos Tinder iniciou uma parceria com a plataforma de música Spotify, que permite aos usuários vincular as canções consumidas neste último com seu perfil na rede de encontros. Este artigo busca explorar de que forma tal recurso vem sendo utilizado para as dinâmicas de auto-apresentação na plataforma. A fim de cumprir tal objetivo, será realizado uma pesquisa de inspiração etnográfica no Tinder – com a aplicação da observação participante no programa e entrevista com alguns usuários.

DOI: 10.21882/ruc.v6i10.742

Recebido em: 04/05/2018

Aceito em: 31/05/2018

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Fernanda Angelo Costantino, PPG Mídia e Cotidiano

Mestre pelo Programa de Pós-Graduação em Mídia e Cotidiano da Universidade Federal Fluminense.

Referências

BRAGA, Robson da Silva. O consumo serve para encenar: Mise-en-scène e práticas de consumo em clubes de forró eletrônico de Fortaleza. In: XXXVIII Congresso Brasileiro de Ciências da Comunicação, 2015. Rio de Janeiro. Anais... São Paulo: INTERCOM, 2015.

CAMPBELL, Colin; BARBOSA, Lívia (orgs.). Cultura, consumo e identidade. Rio de Janeiro: Editora FGV, 2006.

CANCLINI, Nestor García. Los estudios sobre Comunicación y Consumo: El Trabajo Interdisciplinario en Tiempos Neoconservadores. Diálogos de la Comunicación. Revista Académica de la Federación Latinoamericana de Facultades de Comunicación Social. nº. 32, 1992.

CARRERA, Fernanda. Gerenciamento de impressões, música e sites de redes sociais: o self a partir do compartilhamento de letras e vídeos. In: Contemporânea, vol.10, n.01, janeiro-abril de 2012.

FRAGOSO, Suely; RECUERO, Raquel; AMARAL, Adriana. Métodos de pesquisa para internet. Porto Alegre: Editora Sulina, 2012.

GOFFMAN, Erving. A representação do eu na vida cotidiana. Petrópolis: Vozes, 2009.

GUBER, Rosana. La etnografía: método, campo y reflexividad. Bogotá: Grupo Editorial, Norma, 2001.

HINE, Christine. “Estratégias para etnografia da internet em estudos de mídia”. In: CAMPANELLA, Bruno; BARROS, Carla. Etnografia e consumo midiático: novas tendências e desafios metodológicos. Rio de Janeiro: E-papers, 2016.

MADIANOU, Mirca; MILLER, Daniel. Polymedia: Towards a new theory of digital media in interpersonal communication. In: International Journal of Cultural Studies, vol. 16, n.02, 2012.

POLIVANOV, Beatriz. Personas no Facebook: Percepções sobre (Des)encaixes entre Selves On e Offline. In: Congresso Internacional Comunicação e Consumo, 2014. Anais… São Paulo: Comunicon, 2014.

RECUERO, Raquel. Redes Sociais na Internet. Porto Alegre: Sulina, 2009.

SLATER, Don. Cultura do consumo e modernidade. São Paulo: Nobel, 2002.

SOUZA e SILVA, Adriana de. From Cyber to Hybrid: Mobile Technologies as Interfaces of Hybrid Spaces. In: Space and Culture, vol. 9, n.3, 2006, Sage Publications.

Entrevistas:

C., Entrevista concedida a Fernanda Angelo Costantino. Rio de Janeiro, 2017. [Entrevista realizada pelo aplicativo Tinder].

D., Entrevista concedida a Fernanda Angelo Costantino. Rio de Janeiro, 2017. [Entrevista realizada pelo aplicativo Tinder].

G., Entrevista concedida a Fernanda Angelo Costantino. Rio de Janeiro, 2017. [Entrevista realizada pelo aplicativo Tinder].

I., Entrevista concedida a Fernanda Angelo Costantino. Rio de Janeiro, 2017. [Entrevista realizada pelo aplicativo Tinder].

B., Entrevista concedida a Fernanda Angelo Costantino. Rio de Janeiro, 2017. [Entrevista realizada pelo aplicativo Tinder].

L., Entrevista concedida a Fernanda Angelo Costantino. Rio de Janeiro, 2017. [Entrevista realizada pelo aplicativo Tinder].

R., Entrevista concedida a Fernanda Angelo Costantino. Rio de Janeiro, 2017. [Entrevista realizada pelo aplicativo Tinder].

V., Entrevista concedida a Fernanda Angelo Costantino. Rio de Janeiro, 2017. [Entrevista realizada pelo aplicativo Tinder].

S., Entrevista concedida a Fernanda Angelo Costantino. Rio de Janeiro, 2017. [Entrevista realizada pelo aplicativo Tinder].

L., Entrevista concedida a Fernanda Angelo Costantino. Rio de Janeiro, 2017. [Entrevista realizada pelo aplicativo Tinder].

W., Entrevista concedida a Fernanda Angelo Costantino. Rio de Janeiro, 2017. [Entrevista realizada pelo aplicativo Tinder].

Downloads

Publicado

2018-06-29

Como Citar

ANGELO COSTANTINO, F. Tinder e Spotify: reflexos identitários no consumo de música vinculado na plataforma de relacionamentos. Revista UNINTER de Comunicação, [S. l.], v. 6, n. 10, p. 102–114, 2018. DOI: 10.21882/ruc.v6i10.742. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/article/view/742. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos