A estrutura simbólica da marca Red Bull: voando no universo lúdico do energético austríaco

Autores

  • Heloisa Juncklaus Preis Moraes Universidade do Sul de Santa Catarina
  • Lucas Pereira Damazio Universidade do Sul de Santa Catarina

DOI:

https://doi.org/10.21882/ruc.v6i10.695

Resumo

Fundamentado nos estudos do imaginário propostos pelo antroólogo Gilbert Durand, esta pesquisa intenta analisar os comerciais da marca Red Bull, a fim de averiguar quais símbolos, arquétipo e mito são empregados para criar a imagem corporativa da empresa. Para realizar esta pesquisa, foi necessário recorrer, como método de pesquisa, à mitocrítica, técnica investigativa que visa analisar os mitos nas produções artísticas, literárias e comerciais. Após a aplicação do método, foi possível identificar, por meio dos mitemas, que a empresa, em seus comerciais, utiliza-se, com frequência, dos símbolos de ascensão e recorre às narrativas mitológicas de Hermes, deus da fertilidade, dos joos e da comunicação, para criar o enredo das suas propagandas.

DOI: 10.21882/ruc.v6i10.695

Recebido em: 25/08/2017

Aceito em: 03/05/2018

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Heloisa Juncklaus Preis Moraes, Universidade do Sul de Santa Catarina

Doutora em Comunicação Social. Docente do Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da Universidade do Sul de Santa Catarina. Líder do Grupo de Pesquisas do Imaginário e Cotidiano (CNPq-Unisul).

Lucas Pereira Damazio, Universidade do Sul de Santa Catarina

Mestre e Doutorando no Programa de Pós-Graduação em Ciências da Linguagem da Universidade do Sul de Santa Catarina.

Referências

ARAÚJO, A. F., GOMES, E. S. L., AL-MEIDA, R. O mito revivido: a mitanálise como método de investigação do imaginário. São Paulo: Képos, 2012.

BENDENDO, M. Branding para empre-endedores. São Paulo: M. Books do Brasil, 2015.

BRANDÃO, J. S. Mitologia Grega: volume I. Rio de Janeiro: Vozes, 1986.

CHEVALIER, J. GHEERBRANT, A. Dici-onário dos símbolos: mitos, sonhos, costu-mes, gestos, formas, figuras, cores, números. 29. ed. São Paulo: José Olympio, 2016.

COSTA, V. L. M. Esporte de aventura e risco na montanha: um mergulho no imagi-nário. São Paulo: Manole, 2000.

DOMINGUES, C. Criação sem pistolão. São Paulo: Campus, 2003.

DURAND, G. Estruturas antropológicas do imaginário: introdução à arquetipologia geral; tradução Godinho, H. 2. ed. São Pau-lo: Martins Fontes, 2001.

FERREIRA-SANTOS, M; ALMEIDA, R. Aproximações ao imaginário: bússola de investigação poética. São Paulo: Képos, 2012.

GOMES, E. S. L. Um baú de símbolos na sala de aula. São Paulo: Paulinas, 2013.

JUNG, C. G. Os arquétipos e o inconsci-ente coletivo; tradução Appy, M. L., Silva, D. M, R. F. Petrópolis: Vozes, 2000.

MARK, M.; PEARSON, S. C. O herói e o fora-da-lei: como construir marcas extraordi-nárias usando o poder dos arquétipos. São Paulo: Cultrix, 2001.

PITTA, D. P. R. Iniciação à teoria do ima-ginário de Gilbert Durand. Rio de Janeiro: Atlântica, 2005.

PUGLIESI, M. Mitologia greco-romana: arquétipos dos deuses e heróis. 2. ed. São Paulo: Madras, 2005.

RED BULL ENERGY DRINK. Marcos históricos. Disponível em: <http://energydrink-br.redbull.com/historia-red-bull> Acesso em: 15 nov. 2017.

SEARS, K. Tudo o que você precisa saber sobre mitologia: dos deuses e deusas aos monstros e mortais, seu guia sobre mitologia antiga. São Paulo: Editora Gente, 2015.

TURCHI, Maria Zaira. Literatura e Antro-pologia do Imaginário. Brasília: Editora UnB, 2003.

ZINANI, C. J. A. A construção da identi-dade feminina. 2. ed. Caxias do Sul: Educs, 2013.

YouTube. Red Bull Evolução: Disponível em: <https://www.youtube.com/watch?v=O3_DkK-zLLE> Acesso em: 15 nov. 2017.

YouTube. Red Bull Flossing Cats. Disponí-vel em: <https://www.youtube.com/watch?v=XoQsoETUyBk> Acesso em: 15 nov. 2017.

YouTube. Red Bull Flugtag 2016. Disponí-vel em: <https://www.youtube.com/watch?v=A6H1U4Fbl7k> Acesso em: 15 nov. 2017.

Downloads

Publicado

2018-06-29

Como Citar

MORAES, H. J. P.; DAMAZIO, L. P. A estrutura simbólica da marca Red Bull: voando no universo lúdico do energético austríaco. Revista UNINTER de Comunicação, [S. l.], v. 6, n. 10, p. 3–19, 2018. DOI: 10.21882/ruc.v6i10.695. Disponível em: https://www.revistasuninter.com/revistacomunicacao/index.php/revista/article/view/695. Acesso em: 13 abr. 2024.

Edição

Seção

Artigos