Enquadramento noticioso no telejornalismo: análise do caso Neymar e a percepção da pessoa com deficiência intelectual

  • Felipe Collar Berni Universidade Estadual de Ponta Grossa (PPGJOR/UEPG)
  • Graziela Soares Bianchi UEPG

Resumo

O presente artigo analisa a cobertura jornalística realizada pelo Jornal Nacional sobre a denúncia de estupro feita por Najila Trindade contra o jogador de futebol Neymar Jr. A partir das discussões e debates propostos pelas teorias Agenda-Setting e Enquadramento Noticioso, observou-se as estratégias escolhidas pelo telejornal para cobrir o acontecimento. Por fim, a partir do contato com um grupo de pessoas com deficiência intelectual, examinou-se as impressões desses sujeitos em relação ao caso — através dos seus hábitos de consumo midiático.

Downloads

Não há dados estatísticos.

Biografia do Autor

Felipe Collar Berni, Universidade Estadual de Ponta Grossa (PPGJOR/UEPG)
Mestrando no Programa de Pós-Graduação em Jornalismo da Universidade Estadual de Ponta Grossa.

Referências

ANTUNES, Elton. Enquadramento: consi-derações em torno de perspectivas tempo-rais para a notícia. Galáxia, São Paulo, n. 18, p. 85-99, dez. 2009.

BONIN, Jiani Adriana. Dos meios às medi-ações: chaves epistêmicas, teóricas e meto-dológicas legadas à pesquisa de recepção. Intexto, Porto Alegre, n. 43, p. 59-73, set./dez. 2018.

CASTRO, Davi. Agenda-setting: hipótese ou teoria? Análise da trajetória do modelo de Agendamento ancorada nos conceitos de Imre Lakatos. Intexto, Porto Alegre, n. 31, p. 197-214, dez. 2014.

ENTMAN, Robert. Framing: Toward Clari-fication of a Fractured Paradigm. Journal of Communication, v. 43, n. 4, p. 51-58, 1993.

ESCOSTEGUY, Ana Carolina. Estudos culturais latino-americanos e Jesús Martín-Barbero: mais afinidades do que disputas. Matrizes, São Paulo, v. 12, n. 1, p. 99-113, jan./abr. 2018.

GENRO FILHO, Adelmo. O segredo da pirâmide: para uma teoria marxista do jor-nalismo. Porto Alegre: Tchê, 1987.

GOFMANN, Erving. Os quadros da ex-periência social: uma perspectiva de aná-lise. Petrópolis: Vozes, 2012.

LIPPMAN, Walter. Opinião pública. Petrópolis: Vozes, 2008.

MARTÍN-BARBERO, Jesús. Dos meios às mediações: comunicação, cultura e hegemonia. Rio de Janeiro: UFRJ, 2015.

MCCOMBS, Maxwell. A teoria da agen-da: a mídia e a opinião pública. Rio de Ja-neiro: Vozes, 2009.

MEDITSCH, Eduardo. Jornalismo como forma de conhecimento. 1997. Disponí-vel em: <http://www.bocc.ubi.pt/pag/meditsch-eduardo-jornalismo-conhecimento.pdf>. Acesso em: 31 ago. 2019.

MILLAN, Ana; SPINAZOLA, Cariza; ORLANDO, Rosimeire. Deficiência inte-lectual: caracterização e atendimento edu-cacional. Educação, Batatais, v. 5, n. 2, p. 73-94, 2015.

REZENDE, Guilherme. Telejornalismo no Brasil: um perfil editorial. São Paulo: Summus Editorial, 2000.

TUCHMAN, Gaye. La producción de la noticia: estudio sobre la construcción de la realidad. Barcelona: Gili, 1983.

Publicado
2020-12-24
Seção
Artigos