É preciso desconstruir

  • Bárbara Macedo Uninter

Resumo

Mesmo com afirmações de que não há mais preconceito e desigualdade de gênero, assistimos, diariamente, a casos de feminicídios, estupros e violência doméstica contra a mulher. Assim, o objetivo do presente trabalho é analisar tal desigualdade em nossa sociedade e de que maneiras os preconceitos são vivenciados. Trata-se de uma pesquisa qualitativa, que considera que há uma relação entre o mundo objetivo e a subjetividade do sujeito; além disso, o estudo tem caráter bibliográfico e utiliza o método dialético, que propicia uma interpretação dinâmica e totalizante dos fatos, analisados em um contexto social, político e econômico. Além de sofrer violência física, a mulher é alvo constante de julgamento moral, em relação aos seus atos e seu corpo. Logo, para uma libertação feminina efetiva, é preciso desconstruir antigos valores e promover respeito, igualdade de condições de cargos e salários — ou seja, equidade em todas as esferas sociais.

Palavras-chave: feminismo; igualdade; gênero.

Abstract

Even with claims that there is no more prejudice and gender inequality, we see cases of femicide, rape, and domestic violence against women daily. Thus, the objective of the present work is to analyze such imbalance in our society and in what ways prejudices are experienced. It is a qualitative research that considers a relationship between the objective world and the subject's subjectivity; in addition, the study is bibliographic and uses the dialectical method, which provides a dynamic and totalizing interpretation of the facts analyzed in a social, political, and economic context. In addition to suffering physical violence, the woman is a constant target of moral judgment concerning her acts and body. Therefore, for an effective female liberation, it is necessary deconstruct old values and promote respect, equal conditions of positions, and salaries — that it, equity in all social spheres.

Keywords: feminism; equality, gender.

Resumen

Aun con afirmaciones de que ya no hay más prejuicio y desigualdad de género, vemos, diariamente, casos de feminicidios, violaciones y violencia doméstica contra la mujer. Así, el objetivo de este trabajo es analizar esa desigualdad en nuestra sociedad y de qué forma los prejuicios se manifiestan. Se trata de una investigación cualitativa que considera que existe una relación entre el mundo objetivo y la subjetividad del sujeto; además, el estudio tiene carácter bibliográfico y utiliza el método dialéctico, que permite una interpretación dinámica y totalizante de los hechos, analizados en un contexto social, político y económico. Además de sufrir violencia física, la mujer es blanco contante de juicios morales respecto a sus actos y su cuerpo. De manera que, para una liberación femenina efectiva, es necesario deconstruir antiguos valores y promover respeto, igualdad de condiciones en materia de cargos y sueldos — es decir, equidad en todos los ámbitos sociales.

Palabras-clave: feminismo; igualdad; género.

Biografia do Autor

Bárbara Macedo, Uninter
Possui graduação em Educação Física pela Universidade da Região de Joinville em Licenciatura e bacharelado, também formada em Pedagogia pela FIAR e UNINTER , cursando Bacharelado em Serviço Social pela UNINTER e Programa de Pós Graduação - Mestrado em Educação pela FURB com a linha de pesquisa em Educação, Cultura e Dinâmicas Sociais; participa do grupo de pesquisa: Filosofia e Educação - EDUCOGITANS. Atualmente é Administradora Escolar da Rede Municipal de Ensino de Araquari. Tem experiência em diversas áreas da Educação Física como professora de Ensino Fundamental, Médio e EJA, Ginástica Laboral e Instrutora de musculação, também em Pedagogia como Administradora Escolar.

Referências

BEAUVOIR, Simone de. O segundo sexo. Ed. 4, São Paulo: PARIS, 1970.

BOURDIEU, Pierre. A Dominação Masculina. Ed. 2. Rio de Janeiro: Bertand Brasil, 2002.

CISNE, Mirla. Feminismo e consciência de classe no Brasil. Cortez Editora. 2015.

ESTES, Clarissa Pinkola. Mulheres que correm com os lobos. Rio de Janeiro: Arcos do tempo, 1999.

JAGGAR, Alison M; BORDO, Susan R. Gênero, Corpo, Conhecimento. Rio de Janeiro: Rosa dos Tempos, 1997.

LAMB, Christina. Eu sou Malala. São Paulo: Companhia especial das letras, 2014.

MAGGS, Sam. WONDER WOMEN. São Paulo: Primavera Editorial, 2017.

MORAIS, Fernando. Olga. São Paulo: Companhia das Letras, 1985.

SOLNIT, Rebecca. Os homens explicam tudo para mim. São Paulo: Saraiva, 2017.

VANNUCHI, Paulo. Luta, substantivo feminino. Secretaria Especial dos Direitos Humanos da Presidência da República, 2010

VICENTINI, Taiani. A EPISTEMOLOGIA DA PRODUÇÃO DE TESES DE DOUTORADO E DISSERTAÇÕES DE MESTRADO SOBRE EDUCAÇÃO COMPARADA DO BRASIL E DA ARGENTINA COM ÊNFASE EM REFORMAS EDUCACIONAIS: UMA ABORDAGEM A PARTIR DA TEORIA DECOLONIAL. UNIVERSIDADE REGIONAL DE BLUMENAU - FURB CENTRO DE CIÊNCIAS DA EDUCAÇÃO, ARTES E LETRAS - CCEAL PROGRAMA DE PÓS-GRADUAÇÃO EM EDUCAÇÃO - PPGE MESTRADO EM EDUCAÇÃO. Blumenau, 2019.

WOOLF, Virginia. Um teto todo seu. São Paulo: Saraiva

Publicado
2021-06-24
Seção
Artigos