60 anos de legalidade: como o jornal Correio do Sul defendeu seu posicionamento com a produção de discursos simbólicos de patriotismo

  • Marcelo Pimenta e Silva Uninter
  • Liziane Borges Fagundes

Resumo

A crise política gerada com a renúncia do presidente Jânio Quadros completa 60 anos neste 2021. Este artigo volta-se para a análise da repercussão deste fato histórico sob a perspectiva de um jornal de uma cidade tradicional do interior do Rio Grande do Sul. Utilizando como fonte primária o jornal Correio do Sul, de Bagé, no interior gaúcho, pôde-se analisar os editoriais publicados pelo impresso acerca da ameaça à democracia com a tentativa de impedir que o vice-presidente, João Goulart, assumisse o posto vago. Mais do que verificar como o jornal abordou a chamada “Campanha da Legalidade”, busca-se, neste artigo, investigar e compreender como o Correio do Sul construiu, por meio de seu discurso, uma produção de representações simbólicas que referendavam a defesa de aspectos como a “Pátria”, a “Democracia” e a “Constituição”. A partir dessa constatação, pretende-se compreender por que o jornal trabalhou com esse discurso, tentando contextualizar seus interesses e propostas de produção simbólica que, naquele momento, apoiavam o ordenamento constitucional e a posse de João Goulart.

Palavras-chave: legalidade; democracia; pátria; constituição; imprensa.

Abstract

The political crisis generated with the resignation of President Jânio Quadros completes 60 years in 2021. This article analyzes the repercussions of this historical fact from the perspective of a newspaper from a traditional city in the countryside of Rio Grande do Sul. Using as a primary source the newspaper Correio do Sul, from Bagé, it was possible to analyze the editorials published by the press about the threat to democracy in an attempt to prevent the vice president, João Goulart, from assuming the vacant post. More than verifying how the newspaper approached the so-called “Campaign of Legality”, this article seeks to investigate and understand how Correio do Sul constructed, through its discourse, a production of symbolic representations that endorsed the defense of aspects as the “Homeland”, “Democracy” and the “Constitution”. Based on this observation, we intend to understand why the newspaper worked with this discourse, trying to contextualize its interests and proposals for symbolic production that, at that time, supported the constitutional order and the inauguration of João Goulart.

Keywords: legality; democracy; homeland; constitution; press.

Resumen

La crisis política generada por la renuncia del presidente Jânio Quadros completa 60 años en este 2021. Este artículo se interesa por el análisis de la repercusión de este hecho histórico desde la perspectiva de un periódico de una ciudad tradicional del interior de Rio Grande do Sul. Usando como fuente primaria el periódico Correio do Sul, de Bagé, en el interior riograndense, se pudieron analizar los editoriales publicados por ese medio acerca de la amenaza a la democracia por el intento de impedir que el vicepresidente João Goulart asumiera la vacante. Más que verificar cómo el periódico abordó la llamada “Campaña de la Legalidad”, se busca, en este artículo, estudiar y comprender cómo el Correio do Sul construyó, por medio de su discurso, una producción de representaciones simbólicas que refrendaban la defensa de aspectos como “Patria”, “Democracia” y “Constitución”. A partir de esa constatación, se pretende comprender por qué el periódico trabajó con ese discurso, intentando contextualizar sus intereses y propuestas de producción simbólica que, en aquel momento, apoyaban el orden constitucional y la toma de posesión de João Goulart.

Palabras-clave: legalidad; democracia; patria; constitución; prensa.

Biografia do Autor

Marcelo Pimenta e Silva, Uninter

Estudante do curso de Licenciatura em História.

Liziane Borges Fagundes

Mestre em Educação pela Universidade Federal de Santa Catarina.

Referências

BENEVIDES, Maria Vitória de Mesquita. A UDN e o udenismo: ambiguidades do liberalismo brasileiro (1945-1965). Rio de Janeiro: Paz e Terra, 1981. (Coleção Estudos Brasileiros, v. 51).

CARDOSO, Ciro Flamarion; VAINFAS, Ronaldo (org.). Novos domínios da História. Rio de Janeiro: Elsevier, 2012.

CHARAUDEAU, Patrick. Discurso das mídias. São Paulo: Contexto, 2006.

CORREIO DO SUL. 25 ago. 1961. Bagé: Editora Jornalística Correio do Sul, 1961.

CORREIO DO SUL. 26 ago. 1961. Bagé: Editora Jornalística Correio do Sul, 1961.

CORREIO DO SUL. Dever histórico. 27 ago 1961. Bagé: Editora Jornalística Correio do Sul, 1961.

CORREIO DO SUL. A ordem e a Constituição devem ser respeitadas. 29 ago. 1961. Bagé: Editora Jornalística Correio do Sul, 1961.

CORREIO DO SUL. Forças da reação não conseguirão dobrar a vontade soberana e viril do povo gaúcho. 30 ago. 1961. Bagé: Editora Jornalística Correio do Sul, 1961.

CORREIO DO SUL. Patriotismo e determinação do governo e do povo gaúcho esmagarão as pretensões dos inimigos do Brasil. 31 ago. 1961. Bagé: Editora Jornalística Correio do Sul, 1961.

CORREIO DO SUL. Correio do Sul e os acontecimentos que estão se desenrolando no momento. 1 set. 1961. Bagé: Editora Jornalística Correio do Sul, 1961.

CORREIO DO SUL. A Voz do Brasil irradia infames calúnias. 3 set. 1961. Bagé: Editora Jornalística Correio do Sul, 1961.

DOCKHORN, Gilvan Veiga. Quando a ordem é segurança e o progresso desenvolvimento: o Estado Civil Militar brasileiro. 1999. Dissertação (Mestrado em História) - Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul, Porto Alegre, 1999.

E SILVA, Marcelo Pimenta. Jornalista Flávio Tavares e as memórias da Legalidade. Blog do Pimenta. Bagé, 22 mar. 2012. Disponível em: http://blogdejornalismo.blogspot.com/2012/03/jornalista-flavio-tavares-e-as-memorias.html. Acesso em: 20 nov. 2021.

E SILVA, Marcelo Pimenta; BRIGNOL, Rafael. O jornal Correio do Sul e o presidente Médici: a criação do herói pelas páginas do jornal bageense no ano de 1969. Revista Comunicação & Política, Porto Alegre, v. 29, n. 1, 2012.

FONTOURA, Antônio. Teoria da História. Curitiba: Intersaberes, 2016.

FOUCAULT, Michel. A microfísica do poder. São Paulo: Graal, 2007.

FOCAULT, Michel. A arqueologia do saber. Rio de Janeiro: Forense Universitária, 2012.

JAKOBY, Marcos André. A Campanha da Legalidade de 1961 e o papel da resistência democrática. In: SIMPÓSIO NACIONAL DE HISTÓRIA, 27., 2013, Natal. Anais [...]. Natal: Anpuh, 2013.

JODELET, Denise. Representações sociais: um domínio em expansão. In: JODELET, D. (org.). As representações sociais. Rio de Janeiro: Eduerj, 2002.

JOVCHELOVITCH, Sandra. Representações sociais e esfera pública. Rio de Janeiro: Vozes, 2000.

KONRAD, Diorge Alceno; LAMEIRA, Rafael Fantinel. Campanha da Legalidade: luta de classes e golpe de estado no Rio Grande do Sul (1961-1964). Anos 90: Revista do Programa de Pós- Graduação em História, Porto Alegre, v. 18, n. 33, 2011.

LUCA, Tânia Regina de. História dos, nos e por meio dos periódicos. In: PINSKY, Carla Bassanezi (org.). Fontes Históricas. São Paulo: Contexto, 2011.

ORLANDI, Eni. Análise de discurso: princípios e procedimentos. Campinas: Pontes Editores, 2012.

RÜDIGER, Francisco Ricardo. Tendências do jornalismo. 2. ed. Porto Alegre: Editora UFRGS, 1998.

TAUFER, Paulo Roberto. Partido Libertador: formação e atuação política. 2008. 215 f. Dissertação Mestrado em História) – Unisinos, São Leopoldo, 2008.

VISENTINI, Paulo G. Fagundes; PEREIRA, Analúcia Danilevicz. História do mundo contemporâneo: Da Pax britânica do século XVIII ao choque de civilizações do século XXI. Petrópolis: Vozes, 2008.

Publicado
2021-12-16
Seção
Artigos