Serviço Social e extensão rural questão agrária, questão social e a inserção do assistente social na Ater paranaense

  • José Carlos do Amaral Junior

Resumo

Esse trabalho buscou refletir sobre a inserção dos assistentes sociais na política de extensão rural, a partir da relação existente entre “questão agrária” e “questão social”. Por meio de um estudo de revisão bibliográfica, promoveu uma análise que possibilitou compreender as contingências históricas de demanda pelo profissional do Serviço Social, revelando as questões que envolvem sua inserção na extensão rural, especificamente no caso do Paraná. Pode-se perceber que a demanda por assistentes sociais é relativamente recente; tem a marca das mudanças sociais em torno das políticas agrárias que marcaram a década de 1990. Assim, entende-se que a inserção dos assistentes sociais ocorreu tanto pela supressão da formação dos economistas domésticos, anteriormente considerados os profissionais prioritários para as equipes, quanto pelo surgimento de uma tendência de enfrentamento da “questão agrária” por intermédio das políticas sociais. Esse contexto geral de demanda dos assistentes sociais coloca questões importantes para a reflexão, como a necessidade de superar o caráter fragmentado de percepção do profissional apenas como executor de políticas sociais, a proximidade problemática com o escopo dos economistas domésticos e a necessidade de apreensão da “questão agrária” como parte das expressões da “questão social”.

Palavras-chave: extensão rural; questão agrária; serviço social.

Abstract

This work sought to reflect on the insertion of social workers in rural extension policy, based on the relationship between “agrarian question” and “social question”. Through a bibliographic review study, it promoted an analysis that made it possible to understand the historical contingencies of demand by the Social Work professional, revealing the issues surrounding their insertion in rural extension, specifically in the case of Paraná. It can be seen that the demand for social workers is relatively recent; it has the mark of social changes around agrarian policies that marked the 1990s. Thus, it is understood that the insertion of social workers occurred both by suppressing the training of home economists, previously considered the priority professionals for the teams, and by the emergence of a tendency to face the “agrarian question” through social policies. This general context of demand from social workers raises important questions for reflection, such as the need to overcome the fragmented character of the professional's perception only as an executor of social policies, the problematic proximity to the scope of home economists, and the need to apprehend the “agrarian question” as part of the expressions of the “social question”.

Keywords: rural extension; agrarian question; Social Work.

Resumen

Este trabajo trató de reflexionar sobre la incorporación de los trabajadores sociales en la política de extensión rural, a partir de la relación existente entre la “cuestión agraria” y la “cuestión social”. Por medio de un estudio de revisión bibliográfica, realizó un análisis que permitió comprender las contingencias históricas de la demanda de profesionales del Trabajo Social, revelando las cuestiones que implican su inserción en la extensión rural, específicamente en el caso de Paraná. Se puede percibir que la demanda de trabajadores sociales es relativamente reciente; tiene la marca de los cambios sociales alrededor de las políticas agrarias que marcaron la década de los 90. De esa manera, se entiende que la incorporación de los trabajadores sociales se dio tanto por la supresión de la formación de economistas domésticos, anteriormente considerados prioritarios en los grupos de trabajo, cuanto por el surgimiento de una tendencia de enfrentamiento de la “cuestión agraria” por intermedio de las políticas sociales. Ese contexto general de demanda de trabajadores sociales presenta cuestiones importantes a la reflexión, como la necesidad de superar el carácter fragmentario de la percepción del profesional solo como ejecutor de las políticas sociales, la proximidad problemática con el perfil de los economistas domésticos y la necesidad de aprehensión de la “cuestión agraria” como parte de las expresiones de la “cuestión social”.

Palabras-clave: extensión rural; cuestión agraria; trabajo social.

Referências

AMARAL JUNIOR, J. C. Economia Doméstica e Serviço Social: análise das contingências históricas de uma aproximação. Em processo de publicação. 2020.

AMARAL JUNIOR, J. C. Questões teórico-metodológicas para o “trabalho social” na extensão rural: desafios da ATER paranaense para economistas domésticos e assistentes sociais. Em processo de publicação. 2019.

AMMANN, S. B. Ideologia do Desenvolvimento de Comunidade no Brasil. 12. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2013.

BEHRING, E. R.; BOSCHETTI, I. Política Social - Fundamentos e história. 9. ed. São Paulo: Cortez Editora, 2011. (Biblioteca Básica do Serviço Social).

CASTRO, M. M. História do Serviço Social na América Latina. 12. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

FONSECA, M. T. L. A extensão rural no Brasil, um projeto educativo para o capital. São Paulo: Edições Loyola, 1985.

FREIRE, P. Extensão ou comunicação? 19. ed. Rio de Janeiro: Paz e Terra, 2018.

GIL, A. C. Métodos e técnicas de pesquisa social. 6. ed. São Paulo: Atlas, 2008.

IAMAMOTO, M.; CARVALHO, R. Relações sociais e o Serviço Social no Brasil - esboço de uma interpretação histórico-crítica. 41. ed. São Paulo: Cortez, 2014.

LUSTOSA, M. G. O. Reforma agrária à brasileira - política social e pobreza. São Paulo: Cortez Editora, 2012.

MONTAÑO, C. A natureza do Serviço Social. 2. ed. São Paulo: Cortez, 2009.

NETTO, J. P. Capitalismo monopolista e Serviço Social. 8. ed. São Paulo: Cortez, 2011.

OLIVEIRA, P. C. F. Extensão rural e interesses patronais no Brasil: uma análise da Associação Brasileira de Crédito e Assistência Rural - ABCAR (1948-1974). Dissertação (Mestrado em História) – Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ, 2013.

PEIXOTO, M. Extensão rural no Brasil - uma abordagem histórica da legislação. Textos para Discussão - Senado Federal, 2008. Disponível em: https://www12.senado.leg.br/publicacoes/estudos-legislativos/tipos-de estudos/textos-para-discussao/td-48-extensao-rural-no-brasil-uma-abordagem-historica-da-legislacao. Acesso em 20 de jan. de 2020.

PINHEIRO, C. F. Estado, extensão rural e economia doméstica no Brasil (1948-1974). Dissertação (Mestrado em História) - Universidade Federal Fluminense, Niterói-RJ, 2016.

RODRIGUES, C. M. Conceito de seletividade de políticas públicas e sua aplicação no contexto da política de extensão rural no Brasil. Cadernos de Ciências e Tecnologia, v. 14, n. 1, 1997.

SANT’ANA, R. S. Trabalho bruto no canavial - questão agrária, assistência e Serviço Social. São Paulo: Cortez Editora, 2012.

SANTOS, J. S. “Questão Social” - particularidades no Brasil. São Paulo: Cortez Editora, 2012. (Biblioteca Básico do Serviço Social, 6).

VEIGA, J. E. Fundamentos do agrorreformismo. In: STEDILLE, J. P. (org.). A Questão Agrária no Brasil e o debate da década de 1990. São Paulo: Expressão Popular, 2013. p. 81-110. v. 6.

Publicado
2021-06-24
Seção
Artigos